Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Polônia. Ordenar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Polônia. Ordenar por data Mostrar todas as postagens

6 de dez. de 2017

A União Europeia alerta para que a Polônia não adote uma legislação pró-vida




LifeSiteNews, 05 de dezembro de 2017. 



Por Jonathan Abbamonte



05 de dezembro de 2017 (Population Research Institute) – A União Europeia alertou a Polônia a não aprovar nenhuma legislação que proíba o aborto nos casos em que as crianças nascidas viverão com graves deficiências congênitas. 

Em 15 de novembro, o Parlamento Europeu (PE) aprovou uma resolução que iniciou o processo formal de repressão de um Estado-Membro da União Europeia que se encontra supostamente em flagrante “violação” das obrigações que lhes foram incumbidas por força do Tratado da União Europeia (TEU). 

23 de mai. de 2022

Polônia – como o governo “conservador” polaco está silenciosamente entregando a soberania do país aos globalistas

Duda e Zelensky


Como o governo polonês implementa a agenda de Davos, enquanto os poloneses são intoxicados com falso nacionalismo e conservadorismo. 

O governo polonês está atualmente em uma encruzilhada na União Europeia: por um lado, está ajudando a Ucrânia em seus esforços de guerra, por conta de seus laços históricos, e história moderna em comum, como, por exemplo, o sofrimento durante o regime soviético perpetrado contra ambas as nações. Isso, mais o fato da Rússia ter sido responsável por outros incidentes na história recente, já é mais do que o suficiente para entendermos as motivações da Polônia. Mas pelo outro, na União Europeia, a solidariedade para uns não se torna justificativa para outros – e é assim que a União Europeia vê a Polônia na forma como ela se autogoverna. 

27 de ago. de 2022

Polônia – pastor confronta deputado governista por apoiar lei de censura na forma de proteção religiosa



Em 27 de Julho, o pastor polonês, Pawel Chojecki, confrontou o deputado governista, Tadeusz Cymánski, em seu programa de televisão, por apoiar uma lei sobre ultraje (ou ofensas) a Igreja e seus símbolos. O deputado em questão defendeu alterações na lei para que as penalidades fossem ainda mais duras, com a possibilidade até mesmo de pena de prisão. O pastor Pawel sob estas leis (forma atual) foi condenado anteriormente por um tribunal em primeira instância por criticar, e de certo modo, '‘ofender’' as doutrinas da Igreja Católica. Durante o debate ao vivo, o pastor também enfatizou que a lei é injusta, porque abre caminho para condenar cidadãos poloneses de outras denominações religiosas, pelo simples fato de pregar ou contestar a doutrina ou liturgia católica, independente se com adjetivos pesados, ou simples refutações. 

O diálogo do pastor com o deputado pode ser visto acessando este link

30 de abr. de 2022

Polônia à beira de saturação no acolhimento de refugiados da guerra na Ucrânia




Euronews, 30/04/2022 



Por Francisco Marques 



A Polônia anunciou este sábado ter já registado a entrada no país de 3,05 milhões de refugiados oriundos da Ucrânia desde o início da invasão russa, a 24 de fevereiro, e começa a dar sinais de saturação perante a falta de recursos materiais e humanos para responder às necessidades.

Só na sexta-feira, a guarda fronteiriça polaca terá registado 22 mil controlos de entrada no país a pessoas oriundas da Ucrânia.

Desde 24 de fevereiro, há comboios diários a chegar a Przemyśl oriundos de Kiev e de Lviv. Um dos voluntários polacos no acolhimento a estas pessoas em fuga da guerra é Igor Woronin, que se tem cruzado com pessoas que pretendiam ir "ao encontro de amigos ou de família em Breslávia, Varsóvia ou até na Alemanha".

31 de mai. de 2016

Oficial polonês: "Um batalhão é o suficiente para dissuadir a Rússia"

O ministro da Defesa polonês Antoni Macierewicz




DefenseNews, 31 de maio de 2016. 







VARSÓVIA, Polônia – À medida em que se prepara para sediar uma grande reunião da OTAN em julho, a Polônia está mantendo o seu pedido relativamente baixo – no valor de cerca de um batalhão de tropas dentro de suas fronteiras, do qual o ministro diz ser o suficiente para deter a agressão russa. 

Antoni Macierewicz disse que a Polônia está à procura de um “batalhão-adicional” as tropas da OTAN dentro de suas fronteiras. 

21 de dez. de 2017

Parlamento da Polônia condena ideologia e consequências da Revolução Bolchevique



Epoch Times, 20 de dezembro de 2017. 






No dia 7 de novembro, o aniversário de 100 anos do início da Revolução Bolchevique na Rússia, o parlamentar polonês Jozef Brynkus submeteu ao líder do Sejm, a câmara inferior do Parlamento da Polônia, um projeto de resolução que condena a ideologia e as consequências da Revolução Bolchevique. O Sejm aprovou a resolução em 24 de novembro.

A resolução traça os efeitos do comunismo no mundo, desde a Revolução Bolchevique até hoje, com ênfase especial em seus efeitos na Polônia.

25 de set. de 2018

Polônia diz que defenderá suas “razões” após denúncia da Comissão Europeia




Epoch Times, 25 de setembro de 2018 



Lei que preocupa UE reduz a idade de aposentadoria dos juízes do Supremo de 70 anos para 65, mudança que colocaria 27 dos 72 magistrados em risco de aposentadoria antecipada

O governo da Polônia afirmou nesta segunda-feira (24) que está disposto a “defender suas razões constitucionais e legais” no Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) depois que a Comissão Europeia (CE) denunciou nessa instância sua reforma do Tribunal Supremo por lesar a independência do Poder Judiciário.

2 de jun. de 2022

Ucrânia sem atalhos para a União Europeia, e entrega de soberania jurídica polonesa em troca de fundos


Adesão à União Europeia sem "atalhos" 



Euronews, 02/06/2022 



Não há "atalhos" para a adesão à União Europeia. Durante um discurso no fórum GLOBSEC, um evento anual este ano dedicado à crise em torno da guerra na Ucrânia, a Presidente da Comissão Europeia disse que a UE tem a vontade e o dever moral de ajudar a reconstruir a Ucrânia, mas isso não é suficiente para aderir à família europeia.

"Os nossos padrões e condições devem ser atendidos num processo de adesão à UE. Não há joker nem atalho, mas a rapidez desse processo depende do próprio país e do nosso apoio", disse a Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

28 de mai. de 2018

Varsóvia quer base permanente dos EUA em território nacional



Euronews, 28 de maio de 2018


Por António Oliveira e Silva


O Governo polaco entregou aos Estados Unidos uma proposta de acolhimento de uma base militar norte-americana, com caráter permanente, com soldados e as respetivas famílias, a criar em território nacional.

Varsóvia não esconde a vontade de tecer laços de proximidade com Washington, numa iniciativa que não deverá ser do agrado da Federação russa, mas que causa algum incômodo também em Bruxelas, quando a União Europeia procura melhorar as relações com a Rússia de Vladimir Putin.

2 de set. de 2016

Novas gravações e confissões chocantes: o ministro da Defesa polonês promete mais evidências sobre o acidente de Smolensk

11 de abril de 2010 foto de arquivo dos destroços do avião presidencial polonês que caiu em Smolensk a oeste da Rússia



UT, 02 de setembro de 2016. 



Antoni Macierewicz diz que os controladores russos e funcionários de Moscou estão por trás do pior desastre aéreo da Polônia. 

A Polônia apresentará em breve novas evidências de que a Rússia é a culpada pelo acidente de 2010 de um avião em Smolensk, que matou o presidente e altos funcionários do país, disse o ministro da Defesa polonês Antoni Macierewicz em entrevista para o jornal Rzeczpospolita.

O ministro especificou que a comissão de investigação está prestes a apresentar “elementos factuais”, incluindo novas gravações de conversas da tripulação, bem como “confissões chocantes” por algum membro da comissão de Miller [grupo de inquérito anterior, que concluiu sua investigação em 2011]. 

11 de mar. de 2022

Em meio à guerra na Ucrânia, Parlamento Europeu vota para sancionar Polônia e Hungria por serem “de direita”





LDD, 10/03/2022 




O Parlamento Europeu votou por 478 a 155 a favor da imposição de sanções aos dois países que se opuseram à onda de refugiados e à ameaça russa contra a União Europeia.

O Parlamento Europeu votou esta quinta-feira de manhã a favor da imposição de sanções à Hungria e à Polónia, os seus dois Estados-Membros que mais têm ajudado a Ucrânia face à invasão russa e que acolhem o maior número de refugiados ucranianos desde 24 de fevereiro.

A razão? A Comissão Europeia, que se tornaria o Poder Executivo do bloco comunitário, garante que os governos húngaro e polonês aprovaram leis de "direita" que vão contra a Carta Orgânica da União Europeia. São leis contra a doutrinação de gênero nas escolas, leis para combater notícias falsas e controles sobre a imigração ilegal.

3 de set. de 2022

A nova política agrícola da UE se concentra em alimentos do futuro, impulsionado a impulsionar produtos orgânicos e proteínas vegetais




FIF, 01/09/2022 



Por Marc Cervera



01 de setembro de 2022 --- O primeiro lote de planos de Política Agrícola Comum com foco no aumento da agricultura orgânica, objetivos verdes e de biodiversidade e até proteína vegetal foi aprovado pela Comissão Europeia. A CE aprovou o primeiro pacote de planos estratégicos da CAP para sete países da UE em meio à guerra na Ucrânia, que estressou os produtores de alimentos e causou uma infinidade de desafios relacionados ao clima, bem como a inflação.

Os novos CAPs estão definidos para o período de 2023 a 2027, com os sete países – Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Polônia, Portugal e Espanha – que têm um plano aprovado representando 44,4% do orçamento total.

20 de mai. de 2016

Governo da Polônia afirma que nunca irá ceder a ultimatos europeus

Beata Szydlo



DN, 20 de maio de 2016.

As preocupações do executivo comunitário estão relacionadas principalmente com a reforma do Tribunal Constitucional
A primeira-ministra da Polónia afirmou hoje que o seu governo nunca irá ceder a ultimatos, dias antes da possível publicação pela Comissão Europeia de um parecer sobre o respeito do Estado de Direito naquele país.
Numa intervenção, Beata Szydlo disse hoje que o seu executivo, "nunca irá ceder a um ultimato" e pediu ao parlamento polaco para "responder com firmeza aos ataques que têm como alvo a Polónia".

27 de mai. de 2017

“A loucura da elite de Bruxelas”: A fúria da líder polaca contra os líderes europeus por conta do terror em Manchester

Durante o seu discurso apaixonado Beata Szydio criticou a abordagem da União Europeia ao terrorismo 



Express UK, 27 de maio de 2017. 



Por Ajay Nair



A primeira-ministra da Polônia arrasou com as “elites” europeias por não resistirem ao terrorismo em todo o continente em um ataque furioso destinado a Bruxelas. 

Falando no parlamento polonês, Beata Szydlo se enfureceu com a ameaça terrorista posta às nações europeias após o ataque terrorista em Manchester, no qual 22 pessoas foram mortas em um show de musica pop. 

Ela pediu aos líderes europeus para que “levantem-se de seus joelhos e de sua letargia, ou estarão chorando sobre os corpos de suas crianças todos os dias”. 

12 de fev. de 2019

Uma criança que sobreviveu ao aborto ficou gritando por uma hora enquanto foi deixada sozinha para morrer





LifeSiteNews, 11 de fevereiro de 2019. 




Por Cassy Fiano-Chesser 




11 de fevereiro de 2019 (LiveActionNews) – A indústria do aborto não quer admitir que os bebês possam sobreviver ao aborto. Eles chamam isso de um mito e fingem que isso não acontece –, mas acontece. E o que acontece quando os bebês sobrevivem ao aborto é assustador. Muitas vezes, os bebês são deixados para morrer, sem conforto ou compaixão, mas sozinhos, frios e com dor. Foi exatamente o que aconteceu na Polônia, onde um bebê com síndrome de Down foi vítima de um aborto malsucedido e foi deixado para morrer, chorando por quase uma hora, enquanto os médicos não faziam nada

4 de jul. de 2018

Eurodeputados internacionalistas pedem para o primeiro-ministro polonês render o país ao globalismo de Bruxelas




Euronews, 04 de julho de 2018 


Por Isabel Marques da Silva 


O primeiro-ministro da Polónia, Mateusz Morawiecki, voltou a defender a reforma do sistema judicial levada a cabo pelo seu governo ultraconservador, que é classificada como "violadora do Estado de direito" pelas instituições europeias.

Podem acusar-me de populismo, se quiserem, mas temos que responder às perguntas colocadas pelos cidadãos 

Mateusz Morawiecki
Primeiro-ministro, Polónia

28 de set. de 2022

EUA explodiram gasodutos russos Nord Stream 1 e 2, diz ex-ministro da Defesa polonês




ZG, 27/09/2022 



Por Tyler Durden 



Um ex-ministro da Defesa polonês, Radek Sikorski, atribuiu aos Estados Unidos a sabotagem de dois gasodutos, Nord Stream 1 e 2, que transportam gás natural da Rússia para a Alemanha. “Obrigado, EUA”, escreveu Sikorski no Twitter. Sikorski foi Ministro da Defesa Nacional de 2005 a 2007 e atuou como Vice-Ministro da Defesa Nacional e Vice-Ministro das Relações Exteriores, anteriormente. Atualmente é membro eleito do Parlamento Europeu.

Nord Stream 1 e 2 encontram-se no leito do Mar Báltico. O Nord Stream 2 foi concluído no ano passado, mas a Alemanha nunca o abriu porque a Rússia invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro.

27 de mai. de 2016

Putin diz que a Romênia e a Polônia agora podem entrar na mira da Rússia




Reuters, 27 de maio de 2016.







Rússia – o presidente Vladimir Putin advertiu nesta sexta-feira a Romênia e a Polônia que ambos se encontram na mira dos foguetes russos porque eles estão comportando sistemas de escudos antimísseis dos Estados Unidos que Moscou considera uma ameaça à sua segurança. 

Putin emitiu seu sinal mais forte ainda sobre os escudos antimísseis, dizendo que Moscou havia afirmado repetidamente que teria que tomar medidas de retaliação, mas que Washington e seus aliados tinham ignorado as advertências. 

11 de jul. de 2017

Pacto Hitler-Stalin: uma obscura aliança na Segunda Guerra Mundial





Epoch Times, 10 de julho de 2017 



Por Leo Timm 



A assistência soviética reforçou o inicial sucesso nazista na Guerra

Em abril de 1945, o Terceiro Reich estava quase perdendo a guerra. Os exércitos triunfantes de vários países avançavam em solo alemão de todas as direções. Entre os mais orgulhosos da guerra, estavam ninguém menos que as tropas da União Soviética (URSS), que capturaram o covil de Adolf Hitler, Berlim.

Quase quatro anos antes, em 1941, o Führer comandou a invasão da URSS na tentativa de exterminar seu povo e saquear seu território. Vinte e seis milhões de russos e vítimas de outras etnias soviéticas não sobreviveram ao ataque.

Mas, além do grande custo humano que muitos ex-Estados soviéticos recordam hoje como sendo a Grande Guerra Patriótica, uma história menos heróica fornece uma abordagem sóbria sobre a campanha militar mais brutal da Segunda Guerra Mundial.

14 de jun. de 2016

OTAN envia tropas para deter a Rússia, e as ordens de Putin são para observar e retaliar

Secretário-Geral da OTAN, Jens Stoltenberg presidente da OTAN e ministros da Defesa numa reunião da Aliança, com sede em Bruxelas, Bélgica, 14 de junho de 2016. 




Reuters, 14 de junho de 2016. 








Grã- Bretanha, Alemanha e os Estados Unidos avançaram planos nessa terça-feira para liderar uma nova força da OTAN na fronteira da Rússia a partir do ano que vem, e o presidente russo, Vladimir Putin ordenou para que suas forças armadas verifiquem e coloquem-se em prontidão para o combate. 

Semanas antes da cúpula crítica da OTAN em Varsóvia, três das maiores potências militares da OTAN disseram que iriam comandar cada um deles um batalhão cada em todo o flanco oriental para ajudar a dissuadir qualquer demonstração de força, como foi implementada por Moscou na Criméia em 2014. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...