Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Espanha. Ordenar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Espanha. Ordenar por data Mostrar todas as postagens

11 de out. de 2017

A Silenciosa Conquista Islâmica da Espanha

Gatestone, 08 de outubro de 2017 





  • "Expulsos há cinco séculos pelos cruzados cristãos, os árabes estão de volta à Espanha, usando seus petrodólares para comprar terras que foram tomadas de seus antepassados pela espada". — James M. Markham, The New York Times, 1981.
  • O diário madrilenho ABC ressaltou que 800 mesquitas na Espanha estão fora de controle. O diário espanhol La Razon acusou os doadores do Golfo, como o Qatar, de serem a origem da islamização da Espanha. Os sauditas também lançaram um novo canal de televisão espanhol, Córdoba TV, seguidos pelo Irã com outro canal.
  • Eles sonham e trabalham para recuperar o "califado perdido" da Espanha. Alguns islamistas o fazem com bombas e atropelamentos. Outros, mais discretamente, o fazem com dinheiro e dawa, divulgação do Islã. A segunda maneira pode ser ainda mais eficiente do que a primeira.

A cerimônia realizada em 2003 foi anunciada com manchetes bombásticas: "após uma demora de mais de 500 anos, os muçulmanos espanhóis finalmente conseguiram construir sua própria mesquita à sombra de Alhambra, outrora símbolo do poder islâmico na Europa". Uma equipe da Al Jazeera foi enviada para fazer a cobertura do evento: um muezim (encarregado que chama os muçulmanos às orações do alto dos minaretes) subiu ao alto do minarete da Grande Mesquita de Granada para chamar os fiéis para a oração pela primeira vez em cinco séculos.

6 de out. de 2016

Jihadistas Visam a Espanha

Gatestone, 06 de outubro de 2016. 



"As ações de seus antepassados são o motivo de nossas ações de hoje".



Por Soeren Kern


  • O documento do Estado Islâmico sustenta que desde o estabelecimento da inquisição espanhola de 1478, a Espanha "fez de tudo para destruir o Alcorão". Ele denota que a Espanha torturava muçulmanos, incluindo queimá-los vivos. Assim sendo, de acordo com o Estado Islâmico, "a Espanha é um estado criminoso que usurpa a nossa terra". O documento incita os jihadistas a "fazerem reconhecimento das rotas das companhias aéreas e de trens para futuros ataques". Ele também conclama seus seguidores a "envenenarem a água e os alimentos" com inseticidas.
  • "Nós iremos matar qualquer infiel espanhol inocente que encontrarmos em terras muçulmanas, e... independentemente se somos de origem europeia ou não, nós iremos matá-los em suas cidades de acordo com nosso plano". — Documento do Estado Islâmico, 30 de maio de 2016.
  • "Recuperaremos a al-Andalus, se Alá assim o desejar. Ó querida Andalus! Você achou que esquecemos de você. Juro por Alá que nunca esquecemos de você. Nenhum muçulmano pode esquecer Córdoba, Toledo ou Xátiva. Há muitos muçulmanos fiéis e sinceros que juram que voltarão à al-Andalus". — Vídeo do Estado Islâmico, 31 de janeiro de 2016.
  • "A Espanha é a terra de nossos ancestrais e nós a recuperaremos com o poder de Alá". — Vídeo do Estado Islâmico, 7 de janeiro de 2016.

Militantes islâmicos estão intensificando a guerra de propaganda contra a Espanha. Nos últimos meses o Estado Islâmico e outros grupos jihadistas produziram uma enxurrada de vídeos e documentos, convocando os muçulmanos a reconquistarem a al-Andalus.

Al-Andalus é o nome árabe dado às regiões da Espanha, Portugal e França ocupadas pelos conquistadores muçulmanos (também conhecidos como Mouros) de 711 a 1492. Muitos muçulmanos acreditam que os territórios perdidos por eles durante a Reconquista cristã da Espanha ainda pertençam ao mundo islâmico. Eles sustentam que a lei islâmica lhes dá o direito de reestabelecer o domínio muçulmano naquela região.

29 de abr. de 2019

PSOE vence eleições na Espanha, mas precisará de alianças para formar governo





Epoch Times, 28 de abril de 2019 








Ministro do Interior da Espanha, Fernando Grande-Marlaska, disse em entrevista coletiva que as eleições ocorreram com tranquilidade e sem qualquer incidente

O Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) venceu as eleições realizadas neste domingo (28) na Espanha, de acordo com os resultados parciais divulgados pelo governo do país.

Com 97,21% dos votos apurados, o partido liderado pelo atual presidente do governo da Espanha, Pedro Sánchez, obtinha 28,7% da preferência do eleitorado, o que seria equivalente a 122 cadeiras das 350 que compõem o Congresso dos Deputados.

A vitória do PSOE, que tinha 84 deputados na legislatura anterior, foi anunciada pela porta-voz do governo da Espanha, Isabel Celaá, em entrevista coletiva. Além do triunfo no Congresso dos Deputados, os socialistas garantiram maioria absoluta no Senado.

14 de jun. de 2018

Espanha – Ministro do Interior da Espanha promete remover o arame farpado das fronteiras de Melilla e Ceuta – bem-vindos jihadistas!

Roupas manchadas de sangue dos criminosos que atravessaram a fronteira



The Local Es, 14 de junho de 2018 





Fernando Grande-Marlaska, o recém-nomeado ministro do Interior do governo do primeiro-ministro socialista, Pedro Sánchez, indicou seu desejo de remover o controverso arame farpado projetado para dissuadir os migrantes [criminosos] de cruzarem ilegalmente do Marrocos para a Espanha. 

Há muito tempo as ONGs pedem a remoção do arame farpado instalando ao longo de trechos das cercas que dividem os enclaves espanhóis de Ceuta e Melilla, vindos do vizinho Marrocos, devido aos graves ferimentos que causam aos que tentam escalar as cercas. 

15 de abr. de 2016

Espanha: Cursos sobre o Islã em Escolas Públicas Portão de Entrada para o Islã Radical?

Gatestone, 15 de Abril de 2016.


  • As diretrizes para o ensino do Islã em escolas públicas, redigidas pela Comissão Islâmica da Espanha e aprovadas pelo Ministério da Educação, tem como objetivo despertar o fervor religioso e promover a identidade islâmica nos muçulmanos jovens na Espanha.
  • As diretrizes, que vislumbram o ensino de todos os aspectos da doutrina islâmica, cultura e história, são salpicadas com a terminologia "politicamente correta"... mas o objetivo como um todo é claro: doutrinar jovens com a visão de mundo islâmica.
  • De acordo com as diretrizes, os alunos do pré-primário (de 3 a 6 anos de idade) deverão estudar a profissão-de-fé islâmica, a Shahada, que assevera que "não há outro Deus a não ser Alá e que Maomé é o seu Mensageiro". A Shahada é o portão de entrar para o Islã: para alguém se tornar muçulmano basta repetir a Shahada três vezes na frente de uma testemunha. As crianças também serão estimuladas a "repetir, através de diferentes formas de expressão, os valores observados por Maomé".
  • No ensino fundamental (de 6 a 12 anos), as diretrizes exigem que as crianças "reconheçam Maomé como o último profeta enviado por Alá e aceitem-no como o mais importante dos profetas".

28 de jun. de 2018

Espanha: Marco Zero do Movimento Anti-Israel na Europa

Gatestone, 27 de junho de 2018 





  • A proliferação do ativismo anti-Israel, impulsionado pela ascensão ao poder da extrema-esquerda, firma a Espanha como o Estado membro da UE mais hostil ao Estado Judeu.
  • A organização com sede em Madri, Action and Communication on the Middle East (ACOM), que luta contra o movimento anti-Israel BDS na Espanha, realçou que a moção aprovada em Valência é antissemita e incita ao ódio.
  • "O movimento BDS na Espanha adquiriu a atual virulência com o surgimento do 'Podemos', um partido de extrema-esquerda do tipo 'chavista' financiado pela Venezuela e pelo Irã.... À medida que o Podemos se assenhorou do controle dos governos municipais nas principais cidades espanholas, o movimento anti-Israel teve acesso a inúmeros recursos econômicos, humanos e organizacionais... O 'Podemos' coagiu mais de 90 pessoas a fazerem declarações desse tipo na Espanha em jurisdições cobrindo uma população de mais de oito milhões de habitantes" — Ángel Más, presidente da ACOM.

Valência, a terceira maior cidade da Espanha, aprovou uma moção para boicotar e difamar Israel, declarando a cidade "zona livre de apartheid israelense". A moção foi aprovada poucos dias após Navarra, uma das 17 comunidades autônomas da Espanha, tomar o mesmo tipo de medida. Ao todo, mais de 50 cidades e regiões espanholas aprovaram moções condenando Israel. A proliferação do ativismo anti-Israel, impulsionado pela ascensão ao poder da extrema-esquerda, firma a Espanha como o Estado membro da UE mais hostil ao Estado Judeu.

2 de ago. de 2018

Espanha – ministro socialista espanhol nega que o país enfrenta uma "imigração em massa", mas diz que a Europa precisa de "sangue novo"

Josep Borrell



The Local Es, 31 de julho de 2018 



O ministro das Relações Exteriores da Espanha, Josep Borrell, negou nesta segunda-feira que o país esteja passando por uma migração “em massa” e disse que a Europa precisa de “sangue novo” para compensar uma baixa taxa de natalidade. 

Estamos banalizando a palavra ‘massa’”, disse ele a repórteres após conversas em Madri com seu colega jordaniano, Ayman Safadi. 

Cerca de 21 mil migrantes chegaram à Espanha por mar desde o começo do ano e 304 morreram na tentativa, segundo a Organização Internacional para as Migrações. 

12 de set. de 2017

Crise Migratória Atinge a Espanha

Gatestone, 12 de setembro de 2017 


Por Soeren Kern


  • "Os maiores movimentos migratórios ainda estão por vir: a população da África dobrará nas próximas décadas. Um país como o Egito irá crescer e chegará aos 100 milhões de habitantes, a Nigéria a 400 milhões. Na era digital, com a internet e celulares, todo mundo sabe da nossa prosperidade e estilo de vida." − Gerd Müller, Ministro do Desenvolvimento da Alemanha.
  • "Os jovens têm celulares e veem o que está acontecendo em outras partes do mundo e isso age como um ímã." — Michael Møller, Diretor do Escritório das Nações Unidas em Genebra.
  • "Se não conseguirmos resolver os problemas centrais dos países africanos, dez, vinte, até mesmo trinta milhões de imigrantes chegarão à União Europeia nos próximos dez anos." — Antonio Tajani, Presidente do Parlamento Europeu.

A Espanha está prestes a ultrapassar a Grécia como segunda maior porta de entrada aos migrantes que ingressam na Europa pelo mar. O salto repentino da migração para a Espanha ocorre em meio a severas medidas restritivas ao tráfico de pessoas ao longo da rota marítima Líbia/Itália, hoje a principal porta de entrada de migração para a Europa.

O deslocamento para o oeste nas rotas de migração da Grécia e da Itália indica que a Espanha, situada apenas a 16 km da África por via marítima, poderá em breve estar no olho do furacão da crise migratória da Europa.

28 de mai. de 2018

Espanha – Governo espanhol perto de ruir: a crise na política espanhola



Euronews, 28 de maio de 2018



Por António Oliveira e Silva 



É esta quinta-feira que se debate no Congresso dos Deputados a moção de censura registada pelo maior partido de oposição em Espanha, o PSOE (centro-esquerda).

O debate na câmara baixa tem como objetivo o fim do Governo do presidente Mariano Rajoy (PP, centro-direita) e a convocação de eleições legislativas antecipadas em Espanha.

Pedro Sánchez, secretário geral do PSOE, comprometeu-se a levar a cabo um processo rápido, reduzindo ao mínimo o tempo para negociar apoios com possíveis apoiantes, desde os antissistema de esquerda do Podemos (Pablo Iglesias) a nacionalistas e independentistas.

9 de jul. de 2018

Espanha – A Espanha pode se tornar um novo hotspot migrante, diz chefe da agência de fronteira da União Europeia




The Local Es, 08 de julho de 2018 



O chefe da agência da fronteira da União Europeia alertou neste domingo que a rota do Mediterrâneo ocidental, do Marrocos à Espanha, pode se transformar no próximo caminho-chave para migrantes que buscam chegar à Europa. 

Se você me perguntar qual é a minha maior preocupação atual, eu diria que a Espanha”, disse Fabrice Leggeri, chefe da Frontex, ao jornal Welt am Sonntag. 

Dados divulgados pela Organização Internacional para a Migração mostraram que os migrantes que chegavam à Espanha somavam 6.513 nos primeiros seis meses de 2017. 

29 de ago. de 2018

Primeiro-ministro socialista da Espanha quer uma “Comissão da Verdade” sobre a Guerra Civil e o regime de Franco na Espanha

Pedro Sánchez o novo Zapatero



RPP, 29 de agosto de 2018 



O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez, levantou essa possibilidade na conferência de imprensa realizada na cidade boliviana de Santa Cruz de la Sierra com o ditador da Bolívia Evo Morales. 

O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, mostrou sua vontade de estabelecer uma Comissão da Verdade “para reaver” o que aconteceu durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939) e a ditadura do general Francisco Franco (1939-1975). 

Temos que criar uma Comissão da Verdade para acordar uma versão nacional do que se passou durante a Guerra Civil e durante a ditadura de Franco”, disse Sánchez em entrevista à emissora de televisão chilena 24 Horas. 

31 de mai. de 2018

Bascos "puxam o tapete" de Mariano Rajoy – a possível destituição de Rajoy




Euronews, 31 de maio de 2018. 


Por Nara Madeira


O Partido Nacionalista Basco (PNV) anunciou, ao Partido Popular, que vai votar a favor da moção de censura, apresentada pelo PSOE ao executivo de Mariano Rajoy.


14 de out. de 2016

Espanha – investigação antiterrorista leva autoridades a invadirem o resort na Costa Blanca

Uma prisão foi feita em Altea.



The Local es, 13 de outubro de 2016. 



A polícia espanhola invadiu um açougue halal em Altea, e um popular resort na Costa Blanca, em uma operação contra células terroristas jihadistas ligadas ao Estado Islâmico. 

Um homem foi preso em Altea, apenas dez minutos ao longo da costa de Benidorm, na quarta-feira de manhã, enquanto outro foi preso em Ceuta e mais dois no Marrocos, em uma operação conjunta antiterrorista. 

Os quatro homens, de nacionalidade marroquina, são todos suspeitos de terem ligações à atividade militante islâmica, disse o Ministério do Interior espanhol. 

5 de jun. de 2022

Biden quer dividir cota de refugiados com Pedro Sánchez: intercâmbio de cartéis




PP, 03/06/2022 



Por Oriana Rivas 



O presidente dos EUA está tentando reassentar os imigrantes irregulares que estão lotando a fronteira sul dos EUA. É por isso que o governo procura aliados. Mas o país europeu tem seus próprios desafios de imigração que se tornaram uma dor de cabeça para o governo espanhol.

A próxima Cúpula das Américas pode ser o palco para Estados Unidos e Espanha anunciarem um acordo para enviar refugiados ao país europeu. É uma proposta do governo de Joe Biden para as travessias ilegais excessivas que mês após mês saturam os limites da fronteira sul dos EUA.

É por isso que, como aconteceu quando o governo do Afeganistão caiu nas mãos do Talibã, Biden está recorrendo a outros governos para ajudá-lo a lidar com as consequências das decisões tomadas por seu governo. "O número inicial de refugiados reassentados pela Espanha seria 'modesto', mas simbolicamente importante", segundo documentos obtidos pelo Axios, o portal que revelou a informação.

13 de out. de 2016

Espanha – migrantes ilegais saltam a cerca na fronteira da Espanha com Marrocos durante chuva pesada

Os homens comemoram a passagem para Espanha. 



The Local es, 13 de outubro de 2016. 



Cerca de 100 migrantes africanos conseguiram escalar por cima da cerca entre o Marrocos e o enclave espanhol de Melilla nesta quinta-feira sob forte chuva, segundo a polícia, no último avanço ao sistema de fronteira. 

As oito (0600 GMT), desta manhã, houve um investida organizada que foi esmagada pelas forças marroquinas”, disse um porta-voz da polícia da Guarda Civil da Espanha à AFP.

"200 pessoas foram presas, mas 100 conseguiram chegar a Melila"

27 de abr. de 2016

Felipe VI vai convocar legislativas antecipadas para 26 de Junho

Prólogo.

Daí você percebe que a Europa está numa situação ridícula, quando o Rei, uma figura sem igual numa nação como a Espanha tem que se mobilizar, para agilizar eleições, ou para poder fomentar acordos entre partidos de esquerda e direita, para que governe o país numa coalizão – um país, que é um dos berços do catolicismo, e que no passado, enfrentou uma sangrenta guerra civil promovida por ateístas revolucionários, aos gostos do Podemos, o partido patrocinado pelo Irã e a Venezuela de Hugo Chávez. Tal como a Espanha, Portugal também está na mesma, com uma oligarquia de esquerda no poder. A cultura e os valores já eram! Já se foram. O que resta agora é ser governado por incompetentes e suicidas culturais. 

E, tanto Portugal, quanto a Espanha pretendem trazer “refugiados” muçulmanos. Portugal ainda recebe poucos deles, mas a Espanha já deteve centenas que estavam diretamente ligados ao grupo terrorista Estado Islâmico. Iglesias acha que o país pode muito bem receber um número sem precedentes, para que possam fazer justiça social, com o dinheiro do contribuinte, e assim se sentirem satisfeitos. A monarquia espanhola parece satisfeita em arbitrar a destruição do país e de sua cultura.

17 de out. de 2018

Partidos de extrema-esquerda, PSOE e Podemos incentivam a União Europeia a ser cúmplice de Maduro

Pedro Sánchez casaco preto, e Pablo Iglesias casaco cinza


Panam Post, 17 de outubro de 2018 






A União Europeia anunciou que mudará sua estratégia contra a Venezuela: não haverá mais sanções. Agora, impulsionados pelo PSOE e Pelo Podemos, eles tentarão “dialogar”. 

Como explicou segunda-feira a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, esta nova estratégia se concentrará na “criação de um grupo de contato para servir como um facilitador do diálogo entre o governo e a oposição”. Anos de miséria e morte, e alguns não entenderam que Maduro, e o Chavismo de modo geral, não vão sair por bem. 

Esta mudança de opinião na UE é impulsionada pela Espanha. O primeiro-ministro espanhol já disse que a Venezuela “tem de dialogar consigo mesma”. Mas, além disso, há uma questão fundamental na relação entre o país europeu e a Venezuela, que é: quem afinal manda na Espanha, Pedro Sánchez ou Pablo Iglesias? 

13 de set. de 2016

Espanha – imigrantes ilegais presos na cerca da fronteira por horas tentado entrar na Espanha

Dezenas de imigrantes à espera de horas em cima da cerca em Ceuta.



The Local Es, 12 de setembro de 2016. 



Pessoas que tentavam atravessar ilegalmente a fronteira em um dos enclaves norte-africano da Espanha ficaram presas no arame farpado por horas antes de serem forçadas a regressar ao Marrocos. 

A agência das Nações Unidas para Refugiados instou o governo da Espanha a agir de modo a respeitar os direitos humanos, depois que cerca de 150 imigrantes ficaram presos por horas em cima de seis metros de altura de cercas na fronteira de Ceuta com Marrocos. 

A ACNUR pediu o fim das hostilidades e o retorno automático de imigrantes para autoridades marroquinas nas fronteiras de Ceuta e Melilla. 

Um vídeo mostra dezenas de pessoas sentadas no topo das altas cercas, algumas apanhadas no arame farpado, conforme tentavam chegar à Europa. 

22 de out. de 2018

Espanha – Com o saldo de um morto, 200 invasores chegam ilegalmente ao enclave de Melilla, na Espanha




The Local Es, 21 de outubro de 2018 



Um migrante morreu no domingo e outros 19 ficaram feridos depois que 200 pessoas que tentaram escalar a cerca no enclave espanhol de Melilla, no norte do Marrocos, disseram autoridades locais. 

O homem estava entre os migrantes que escalaram duas cercas de arame farpado e pareciam ter morrido de ataque cardíaco, disseram eles em um comunicado. 

Infelizmente, um dos imigrantes morreu… parece que de uma parada cardiorrespiratória”, acrescentou o comunicado. 

20 de out. de 2018

Espanha: Recrutamento do Estado Islâmico Dentro das Prisões

Gatestone, 20 de outubro de 2018 






  • O grupo que o Ministério do Interior da Espanha descreveu como "Prisões de Linha de Frente" ("frente de cárceles"), estava empenhado em recrutar, doutrinar e radicalizar outros presidiários, bem como planejar ataques jihadistas.
  • "Queremos nos preparar para a jihad em nome de Alá. Tenho boas notícias: criei um novo grupo, estamos dispostos a morrer por Alá a qualquer momento. Estamos esperando sermos libertados da prisão para que possamos começar a trabalhar. Nós temos homens, nós temos armas e nós temos alvos. Só nos falta a prática." — Mohamed Achraf, em carta escrita na prisão a outro detento.
  • "A maioria dos indivíduos que está sendo investigada, longe de estar sendo 'desradicalizada', não só continua ativa na militância jihadista, como também se tornou ainda mais radical durante o encarceramento". − Ministro do Interior da Espanha.

A polícia espanhola desmantelou uma rede jihadista que operava dentro de mais de doze prisões espanholas. A rede, supostamente ligada ao Estado Islâmico, foi estabelecida e era operada por um dos jihadistas mais implacáveis do sistema prisional espanhol, aparentemente bem debaixo dos narizes das autoridades prisionais.

A existência da rede pôs em xeque não só a eficácia dos procedimentos de segurança nas prisões espanholas, como também os programas de "desradicalização" do país que visam "reabilitar" militantes islâmicos para a sua "reinserção" na sociedade.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...