Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Israel. Ordenar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Israel. Ordenar por data Mostrar todas as postagens

12 de nov. de 2018

Ameaças Palestinas à Normalização de Relações dos Árabes com Israel

Gatestone, 11 de novembro de 2018 







  • "Não há lugar para o inimigo (israelense) no mapa." — Ismail Haniyeh, líder do Hamas, 29 de outubro de 2018.
  • Altas autoridades da Fatah, como Munir al-Jaghoob e Mohammed Shtayyeh, condenaram Omã por receber Netanyahu. Eles também condenaram os EAU por terem permitido que israelenses participassem do campeonato de judô.
  • De modo que a Fatah e o Hamas não conseguem se acertar quanto ao pagamento de seus trabalhadores, não conseguem se acertar quanto ao fornecimento de energia elétrica para a Faixa de Gaza e não conseguem se acertar quanto ao fornecimento de suprimentos médicos para os hospitais que se encontram nas regiões por eles governadas. No entanto eles concordam em infligir mais sofrimento e prejuízos aos seus próprios povos. Se eles continuarem agindo dessa maneira, chegará o dia em que os palestinos descobrirão que seus amigos e irmãos se tornaram seus piores inimigos.


Por mais de 10 anos o Hamas e a facção Fatah, sob o comando do presidente da Autoridade Palestina Mahmoud Abbas, estão em guerra. Tentativas de seus irmãos árabes, como o Egito, Arábia Saudita e Catar, de jogar uma pá de cal na luta pelo poder entre os dois grupos rivais palestinos até agora deram com os burros n'água, sendo improvável que produzirá resultados positivos em um futuro próximo. O abismo que separa o Hamas da Fatah continua extenso como sempre: os dois partidos se achincalham o tempo todo. A Fatah quer voltar a dominar a Faixa de Gaza, o Hamas esbraveja em alto e bom som: não. A Fatah quer que o Hamas se desarme e lhe ceda o controle da Faixa de Gaza, o Hamas diz não.

9 de dez. de 2018

Por que o Irã Banca Terroristas Palestinos?

Gatestone, 08 de dezembro de 2018 







  • O recado que o Irã está dando às famílias palestinas é o seguinte: "se vocês querem dinheiro e uma vida boa, mandem seus filhos morrerem na fronteira de Israel." Trata-se de uma mensagem com alta probabilidade de ecoar nos confins do mundo árabe, muito além dos palestinos.
  • O objetivo declarado da conferência patrocinada pelo Irã, o Fórum Mundial para a Proximidade das Escolas Islâmicas de Pensamento, é forjar a união dos muçulmanos. Para os iranianos e suas milícias, a unidade islâmica é pré-requisito para o avanço do objetivo final de remover o "tumor cancerígeno" (Israel) da face da Terra. O Irã não mede esforços para alcançar esse objetivo.
  • Se não fosse pelo apoio iraniano, a organização terrorista xiita libanesa Hisbolá não estaria apontando dezenas de milhares de foguetes e mísseis na direção de Israel. Se não fosse pelo apoio militar e financeiro iraniano, o Hamas, a Jihad Islâmica e outros grupos terroristas não teriam condições de disparar mais de 500 projéteis contra Israel num espaço de 24 horas, como ocorreu no mês passado.
  • Para que não paire nenhuma dúvida no ar: o Irã quer que os palestinos se explodam, o Irã quer varrer Israel do mapa e, se pudesse também varreria os EUA do mapa, conforme sugere seu expansionismo na América do Sul.
  • Ao que tudo indica, há mulás no Irã que não veem a hora da previsão de Khamenei sobre a destruição de Israel em 2040 se tornar realidade. O dinheiro iraniano prometido às famílias destina-se a incentivar mais árabes e muçulmanos a mandarem seus filhos lançarem ataques com foguetes contra Israel e atirarem pedras e bombas incendiárias contra os soldados israelenses.


Consoante com os preceitos da política de longa data de bancar qualquer um que queira destruir Israel ou matar judeus, o Irã decidiu dar dinheiro às famílias de palestinos da Faixa de Gaza mortos durante ataques desferidos contra Israel. A decisão se refere aos palestinos que forem mortos enquanto atacam soldados israelenses durante as manifestações que ocorrem todas as semanas, patrocinadas pelo Hamas, ao longo da fronteira entre Gaza e Israel. As manifestações começaram em março de 2018 sob o lema: "Marcha do Retorno".

2 de dez. de 2016

Hezbollah vs ISIS vs Israel




JP, 02 de dezembro de 2016. 






O ataque desta semana nos montes de Golan é um lembrete de que, independentemente de qual entidade está ganhando a guerra na Síria, todas elas têm um objetivo em comum: destruir o Estado judeu. 

Dois incidentes desta semana mostram a complexidade dos desafios enfrentados por Israel em sua frente norte. 

No primeiro, um ataque aéreo matou quatro membros da Brigada Khalid ibn al-Walid afiliada ao Estado Islâmico depois que uma patrulha da unidade de reconhecimento de Golani, no sul de Golan, foi alvo da organização. A aeronave israelense apontou uma instalação usada pelo grupo na área de Wadi Sirhan. 

28 de jun. de 2018

Espanha: Marco Zero do Movimento Anti-Israel na Europa

Gatestone, 27 de junho de 2018 





  • A proliferação do ativismo anti-Israel, impulsionado pela ascensão ao poder da extrema-esquerda, firma a Espanha como o Estado membro da UE mais hostil ao Estado Judeu.
  • A organização com sede em Madri, Action and Communication on the Middle East (ACOM), que luta contra o movimento anti-Israel BDS na Espanha, realçou que a moção aprovada em Valência é antissemita e incita ao ódio.
  • "O movimento BDS na Espanha adquiriu a atual virulência com o surgimento do 'Podemos', um partido de extrema-esquerda do tipo 'chavista' financiado pela Venezuela e pelo Irã.... À medida que o Podemos se assenhorou do controle dos governos municipais nas principais cidades espanholas, o movimento anti-Israel teve acesso a inúmeros recursos econômicos, humanos e organizacionais... O 'Podemos' coagiu mais de 90 pessoas a fazerem declarações desse tipo na Espanha em jurisdições cobrindo uma população de mais de oito milhões de habitantes" — Ángel Más, presidente da ACOM.

Valência, a terceira maior cidade da Espanha, aprovou uma moção para boicotar e difamar Israel, declarando a cidade "zona livre de apartheid israelense". A moção foi aprovada poucos dias após Navarra, uma das 17 comunidades autônomas da Espanha, tomar o mesmo tipo de medida. Ao todo, mais de 50 cidades e regiões espanholas aprovaram moções condenando Israel. A proliferação do ativismo anti-Israel, impulsionado pela ascensão ao poder da extrema-esquerda, firma a Espanha como o Estado membro da UE mais hostil ao Estado Judeu.

12 de out. de 2017

Estados Unidos e Israel anunciam saída da Unesco por “viés anti-Israel”



Epoch Times, 12 de outubro de 2017 



Falta de reformas no think thank educacional da ONU também está entre as justificativas

O governo dos Estados Unidos comunicou nesta quinta-feira sua decisão de retirar o país da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Dentre as justificativas elencadas pelo Departamento de Estado americano está a continuidade do ‘viés anti-Israel’ do órgão. A saída se efetivará em 2018, a partir de quando os EUA intentam estabelecer uma missão permanente de “observadores”, segundo o comunicado.

21 de dez. de 2018

Palestinos: Metralhar uma Mulher Grávida e Mentir

Gatestone, 21 de dezembro de 2018 





Segundo a lógica do Ministério da Informação do Presidente Mahmoud Abbas da Autoridade Palestina, soldados israelenses que estão atrás de terroristas configura um "ato de terrorismo", mas disparar tiros contra uma mulher grávida e outros seis civis israelenses parados em um ponto de ônibus, não.

A mensagem de Abbas ao mundo é a seguinte: onde já se viu israelenses ousarem tomar medidas de segurança para impedir ataques terroristas contra seus civis e seus soldados!

Por último, é interessante expor um detalhe importante sobre o porquê de Abbas e seus representantes manterem suas bocas bem fechadas: a repressão israelense contra o Hamas na Cisjordânia, na realidade, atende aos interesses da Autoridade Palestina. Sem a repressão, o Hamas teria derrubado o regime de Abbas há muito tempo e tomado o controle da Cisjordânia.

Na semana passada três israelenses foram mortos na Cisjordânia na mais recente onda de terrorismo palestino. As vítimas foram dois soldados e um bebê de apenas quatro dias, nascido prematuramente após a mãe ter sido baleada e ferida em um ataque com uma rajada de tiros perpetrado por terroristas palestinos.

O ataque terrorista ocorreu perto da cidade de Ramala, na Cisjordânia, de fato a capital da Autoridade Palestina (AP) onde o presidente Mahmoud Abbas bem como a maioria dos altos funcionários residem e trabalham. A chacina ocorreu quando uma rajada de tiros foi disparada do interior de um veículo em movimento nas proximidades da colônia de Ofra, e na sequência o veículo foi localizado pelo exército israelense no bairro de Ain Musbah em Ramala, nos arredores da residência particular e gabinete de Abbas.

7 de jun. de 2016

Vladimir Putin, aliado do Irã anuncia aliança com Israel na luta contra o terrorismo?

Benjamim Netanyahu e Vladimir Putin



Euronews, 07 de junho de 2016.


Por Francisco Marques | Com TASS, TIMES OF ISRAEL

Vladimir Putin anunciou esta terça-feira uma parceria “na luta contra o terrorismo” entre a Rússia e Israel. A aliança foi revelada no decorrer da terceira visita, em nove meses, de Benjamin Netanyahu a Moscovo.

Acompanhado pela mulher e dois outros membros do governo hebraico, o primeiro-ministro de Israel — curiosamente um forte aliado dos Estados Unidos — foi recebido esta terça-feira, no Kremlin, pelo Presidente da Rússia.

28 de mai. de 2018

Mídia Continua Incentivando a Violência do Hamas?

Gatestone, 27 de maio de 2018






Se esta tivesse sido a primeira vez que o Hamas provocou deliberadamente Israel a tomar medidas de autodefesa que acabaram com a morte não intencional de civis em Gaza, a mídia poderia ser desculpada por fazer o jogo do Hamas. As mais recentes provocações do Hamas, ao posicionar 40 mil moradores de Gaza na fronteira com o propósito de destruírem a cerca e penetrarem em território israelense com coquetéis Molotov e outras armas improvisadas, fazem parte de uma tática recorrente do Hamas que eu chamo de "estratégia do bebê morto". O objetivo do Hamas é fazer com que Israel mate o maior número possível de habitantes de Gaza, de modo que as manchetes sempre comecem e muitas vezes terminem com a contagem de corpos. O Hamas envia deliberadamente mulheres e crianças para a linha de frente, enquanto seus próprios combatentes se escondem atrás desses escudos humanos.

24 de fev. de 2022

Rússia contesta soberania de Israel sobre as Colinas de Golã e Jerusalém após governo apoiar a Ucrânia

Dmitry Polyanskiy


JP, 24/02/2022 



Por Tovah Lazaroff 



"A Rússia não reconhece a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã, que fazem parte da Síria", disse o vice-embaixador russo.

Moscou contestou a soberania israelense sobre as Colinas de Golã e Jerusalém pouco antes de seu ataque à Ucrânia.

A Rússia não reconhece a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã, que fazem parte da #Síria”, disse seu vice-embaixador, Dmitry Polyanskiy, ao Conselho de Segurança da ONU, que realizou um debate sobre o conflito israelo-palestino na quarta-feira.

A reunião mensal do Conselho de Segurança ocorreu enquanto a Assembleia Geral debatia a crise russo-ucraniana.

7 de set. de 2016

Israel reconhece a ajuda do Paraguai na luta contra o Hezbollah na América Latina

Hezbollah



JPost, 08 de setembro de 2016 – Jerusalém 07/09/2016, Brasília. 






O relatório afirmou que o Hezbollah continua a manter uma presença na América do Sul e no Caribe, "com membros facilitadores e apoiadores que exercem atividade em apoio à organização.”

Israel está ajudando o Paraguai a tomar medidas contra o Hezbollah na área da tríplice fronteira com a Argentina e o Brasil, o Ministério das Relações Exteriores reconheceu na quarta-feira ao anunciar a abertura da nova embaixada em Assunção. 

“Israel coopera com o Paraguai na luta contra o terrorismo e mantém um papel de apoio em ações contra o Hebollah na região da tríplice fronteira”, disse o ministério em um comunicado sobre as relações com o Paraguai. 

19 de abr. de 2016

Comemorando o Terrorismo ao Estilo Palestino

Gatestone, 19 de Abril de 2016






Hamas.


  • O júbilo palestino concernente ao ataque terrorista de ontem em Jerusalém, o primeiro deste tipo desde os atentados suicidas durante a Segunda Intifada há mais de uma década, é mais um lembrete da crescente radicalização no meio palestino.
  • O principal obstáculo à paz com Israel continua sendo a ausência de uma educação para a paz com Israel. Na realidade, pode-se afirmar com segurança que nunca houve nenhuma tentativa sincera por parte das facções e líderes palestinos em preparar seu povo para a paz com Israel. Muito pelo contrário, a mensagem que eles mandam ao seu povo continua sendo radicalmente contra Israel.
  • Isso põe em xeque a disposição tanto da liderança palestina quanto do povo de avançar na direção da paz e coexistência com Israel.

Logo depois da explosão do ataque terrorista em um ônibus de Jerusalém em 18 de abril, inúmeras facções palestinas se apressaram em emitir declarações aplaudindo a "heróica operação", exortando os palestinos a prosseguirem no caminho da luta armada contra Israel.

27 de mai. de 2022

Iraque aprova pena de morte para quem fala a favor da normalização das relações com Israel




LDD, 27/05/2022 



Após o apelo de proeminentes clérigos iraquianos e do resto dos países árabes para normalizar as relações com Israel, o movimento sadrista se mantém firme e aprova uma legislação brutal no Parlamento.

Apesar da forte influência dos Estados Unidos na política iraquiana, o Conselho de Representantes do Iraque aprovou nesta quinta-feira uma lei que pune com morte a normalização dos laços com Israel .

A lei foi aprovada com o voto a favor de 275 parlamentares, na assembléia de 329 assentos. Uma declaração do porta-voz do Parlamento disse que a legislação é "um verdadeiro reflexo da vontade do povo".

5 de ago. de 2022

Empresas israelenses lideram o mundo em investimentos em tecnologia de alimentos à base de plantas




TTI, 04/08/2022 



Por Sue Surkes e Ricky Ben-David 



Novo relatório mostra que Israel fica em segundo lugar apenas para os EUA em fundos investidos na indústria global de proteínas alternativas

As empresas israelenses estão liderando o mundo em investimentos em tecnologia de alimentos no setor de proteínas alternativas à base de plantas e ficam atrás apenas dos EUA em fundos investidos na indústria de proteínas alternativas como um todo, de acordo com um relatório atualizado publicado esta semana pela Good Food Instituto (GFI) Israel.

O setor de proteínas alternativas inclui substitutos à base de plantas para carne, laticínios e ovos, laticínios cultivados, carne e frutos do mar feitos de células e vários processos e produtos de fermentação. As startups de proteína cultivada e as startups de tecnologia de fermentação geralmente se sobrepõem.

7 de nov. de 2016

Influência da Rússia sobre o Hezbollah levanta bandeiras vermelhas em Israel





Defense News, 07 de novembro de 2016. 






Tel Aviv – quando a organização militante libanesa Hezbollah, juntou-se a luta em nome do presidente sírio Bashar al-Assad, praticamente desde o início da guerra civil síria, a avaliação profissional militar de Israel pensava essencialmente em deixá-los simplesmente sangrar. 

O Hezbollah é um inimigo que está melhorando as suas capacidades na Síria, mas qualquer mudança em suas capacidades de combate... Não deve garantir, no futuro previsível, qualquer ajuste da nossa parte no conceito operacional”, disse o general Shmuel Olanski, o então chefe de blindados de Israel, à Defense News em novembro de 2014, há mais de dois ano depois do banho de sangue cada vez mais brutal, de [que começou a] 6 anos e meio. 

Eu gostaria que eles viessem e nos confrontasse diretamente. Isso é, quando nós formos capazes de aproveitar de forma mais eficaz a nossa superioridade”, acrescentou. 

17 de mar. de 2017

A Rússia pede explicações para os ataques aéreos israelenses na Síria




JP, 17 de março de 2017.



O embaixador de Israel na Rússia foi convocado pelo ministro russo dos Negócios Estrangeiros nessa sexta-feira para dar uma explicação dos ataques aéreos de Israel na noite de quinta-feira na Síria, informou a mídia israelense. 

Israel usou seu sistema de defesa de mísseis Arrow pela primeira vez na noite de quinta-feira depois que jatos israelenses foram alvejados com mísseis antiaéreos sírios durante uma operação sobre a Síria. 

Em uma rara confirmação de Israel realizar ataques aéreos na Síria, a IDF disse na manhã de sexta-feira que “vários mísseis antiaéreos foram lançados na Síria durante a operação. Um dos mísseis foi interceptado pelos sistemas de defesa aérea da IDF." 

30 de nov. de 2016

Israel ataca comboio de Assad com mísseis russos “Buk” que seriam entregues ao Hezbollah





UT, 30 de novembro de 2016. 



Israel temia que o Hezbollah fosse obter os mísseis antiaéreos. 

O exército sírio disse que os jatos israelenses dispararam dois mísseis em uma área a oeste da capital de Damasco na quarta-feira de manhã, sem causar mortes, em um ataque planejado a partir do espaço aéreo libanês, informou a Reuters.  

Uma fonte militar disse que os aviões israelenses lançaram o ataque aéreo ao amanhecer, e os mísseis caíram na área de Saboura. O ataque foi uma tentativa de “desviar a atenção dos sucessos do Exército Sírio Árabe”, disse a fonte de mídia de Assad, SANA, citando uma fonte militar. 

Relatos na mídia árabe dizem que um comboio de armas destinadas ao Hezbollah era o alvo, Haartez especifica. A notícia veio em meio a tensões ao longo da fronteira norte de Israel depois de confrontos entre o exército israelense e militantes afiliados ao grupo Estado Islâmico nos últimos dias. 

12 de dez. de 2022

Israel adverte que bombardeará o aeroporto de Beirute se o Irã o usar para contrabandear armas para o Hezbollah





LDD, 12/12/2022 



Israel ameaçou no sábado bombardear o Aeroporto Internacional Rafic Hariri de Beirute se o terminal for usado como uma rota de contrabando de armas iranianas, em uma situação semelhante à que fez na Síria, após uma reportagem do canal saudita Al- Arabiya.

Israel alertou o Líbano no sábado que bombardearia o Aeroporto Internacional Rafic Hariri de Beirute depois que um relatório do canal saudita Al-Arabiya afirmou que o Irã havia recentemente transferido armas para o grupo terrorista Hezbollah por meio de voos civis que chegaram no mesmo dia.

27 de set. de 2017

Duro golpe em Israel: a Interpol aceita a Palestina como membro com pleno direito na organização

Um delegado palestino recebe a bandeira da Interpol do presidente da Organização Internacional de Polícia Criminal Meng Hongwei




Tims of Israel, 27 de setembro de 2017 






75 dos 133 estados-membros votantes apoiam a candidatura de Ramallah em uma votação secreta, das vociferantes objeções estavam os israelenses e os norte-americanos. 

Em uma dura derrota diplomática para Israel, a maior organização policial internacional do mundo aceitou na quarta-feira o “Estado da Palestina” como membro de pleno direito. 

Na  Assembleia Geral anual da Interpol em Pequim, foi aceito o pedido de adesão dos palestinos com 75 municípios votando sim, e 24 não votantes e 34 abstenções. 

6 de set. de 2018

Paraguai retrocede e leva a embaixada de Jerusalém de volta a Tel Aviv




AFP, 05 de setembro de 2018 



Paraguai anuncia transferência de embaixada a Tel Aviv, e Israel e Palestina reagem

O Paraguai anunciou nesta quarta-feira que transferirá novamente para Tel Aviv a sede de sua embaixada, que havia sido levada a Jerusalém em 21 de maio. A decisão provocou a imediata reação de Israel, que decidiu fechar sua representação diplomática em Assunção.

O novo governo do presidente Mario Abdo Benítez explicou que tomou essa decisão por seu desejo de "contribuir para que se intensifiquem os esforços diplomáticos regionais e internacionais a fim de alcançar uma paz ampla, justa e duradoura no Oriente Médio", segundo um comunicado da chancelaria.

16 de ago. de 2016

Israel - recrutadores de células terroristas do Hezbollah via Faceboook são presos na Cisjordânia e em Israel, pela Shin Bet

Um perfil do Facebook usado pelo Hezbollah para recrutar novos membros da Cisjordânia e Israel



Times of Israel, 16 de agosto de 2016. 







Nove palestinos detidos por supostamente planejar atentados suicidas e emboscadas sob as ordens de manipuladores do grupo terrorista xiita no Líbano e em Gaza. 

Os serviços de segurança de Israel separaram duas células terroristas que tinham sido criadas pela organização terrorista Hezbollah, prendendo nove supostos membros ao longo dos últimos meses, revelaram as autoridades nessa terça-feira. 

Membros do Hezbollah da Unidade 133 do grupo – sua unidade de operações estrangeira – que trabalha fora do Líbano e da Faixa de Gaza recrutava membros na Cisjordânia, e na Faixa de Gaza e em Israel através do site da mídia social Faceboook, disse o serviço de segurança Shin Bet

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...