19 de mar de 2019

A medida que a crise na Venezuela se aprofunda, os EUA se concentram na ameaça rebelde comunista na Colômbia




Reuters, 18 de março de 2019 








Washington (Reuters) – Enquanto os Estados Unidos realizaram seu maior esforço diplomático na América Latina [nunca visto] em anos para tentar derrubar o ditador venezuelano Nicolás Maduro, as forças armadas americanas estão se concentrando em um subproduto da crise: um fortalecimento dos rebeldes colombianos em ambos os lados do país, que faz fronteira com a Venezuela. 

O almirante norte-americano Craig Faller, chefe do Comando Sul dos Estados Unidos que supervisiona as forças norte-americanas na América Latina, disse à Reuters que os Estados Unidos concentraram seu foco nos rebeldes e aumentaram o compartilhamento de informações com autoridades colombianas. 


Autoridades dos Estados Unidos veem uma crescente ameaça do Exército de Libertação Nacional (ELN) da Colômbia e das facções das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) que se recusam a aderir a um acordo de paz de 2016 para acabar com cinco décadas de guerra civil. 

Os Estados Unidos acreditam que os rebeldes estão aproveitando a crise da Venezuela para expandir seu alcance naquele país e o escopo de atividades ilegais de longa data, incluindo o tráfico de drogas. 

Nosso principal papel em trabalhar com nossos parceiros colombianos é ajudar no compartilhamento de informações. O que nós sabemos, nós compartilhamos”, disse Faller. Perguntando se o compartilhamento de informações sobre os rebeldes aumentara com o aprofundamento da crise na Venezuela, Faller respondeu: “Absolutamente”. 

Os riscos dos insurgentes de ambos os lados da fronteira colombo-venezuelana acrescentam outra camada de complexidade à crise na Venezuela, onde o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, diz que todas as opções estão na mesa para remover Maduro do poder. 

Autoridades dos Estados Unidos enfatizaram uniformemente as ferramentas diplomáticas e econômicas para acelerar a saída de Maduro, como sanções, mas Faller reconheceu que as forças armadas dos Estados Unidos estavam prontas para fornecer opções, se necessário. 

Ao mesmo tempo, ele observou que nenhum aliado dos Estados Unidos na região buscava uma solução militar para a crise na Venezuela. 

Meu trabalho é estar preparado, estar na ponta dos meus pés, o tempo todo. Mas estamos conversando com nossos parceiros e ninguém, ninguém acha que uma opção militar é uma boa ideia”, disse Faller. 

Leia o resto clicando aqui

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...