4 de dez de 2018

Chile – Parlamento chileno discutirá a legalização da maconha para uso recreativo em 1º de janeiro de 2019

Sebastián Piñera, presidente do Chile



No Chile, os parlamentares confirmaram na sexta-feira que retomarão o projeto de lei para descriminalizar a maconha. Após dois anos de suspensão no parlamento, essa iniciativa controversa será considerada prioritária a partir de 1º de janeiro de 2019. 

Depois do “casamento” gay, lei de mudança de sexo e de gênero a partir dos 14 anos, agora o Chile discutirá a legalização das drogas, mais especificamente a maconha. Sebastián Piñera, atual presidente do Chile já criticou os defensores da maconha no passado [inclusive com dados plausíveis], porém, assim como Macri que mudou de ideia [$] sobre o aborto, Piñera também pode mudar com facilidade. A prova disso está na seguinte questão: embora fosse supostamente contra o "casamento" entre pessoas do mesmo sexo, não houve nenhum tipo de projeto por parte dele para rever a lei e referendá-la, ou para criar mecanismos legais de proteção aos cristãos pelas consequências legais de sua aprovação, como tem ocorrido naturalmente em todo o mundo onde o “casamento” igualitário foi aprovado, e a liberdade de culto e de expressão têm sido corroída. Aliás, ele mais recentemente até enviou ao Congresso uma lei para que "casais" do mesmo sexo obtivessem o direito de adotar. O que é bem contraditório para alguém que se opunha ao "casamento" entre pessoas do mesmo sexo.


Piñera, que se dizia um conservador, no fim, tornou-se um globalista ou social-democrata, que contraria seu eleitorado em troca de prestígio e poder. Embora, o termo “tornou-se” seja deveras eufemismo, pois, quando se dá sinais de traição a primeira vista, significa que fica muito difícil levar isso como um mero erro, mas sim como um estelionato eleitoral e ação fria e calculada. Piñera fez exatamente isso, ele mentiu para os conservadores, mas, pelo fato de ter se feito atrás de uma máscara conservadora ao disputar o poder nesse cenário polarizado, ele pareceu a opção mais razoável; apesar de sua aparente traição. Esse foi o motivo de ter sido eleito, e esse é o motivo dele continuar traindo ou agindo contra os conservadores. 

Esse tipo de ação polarizante causa danos irreparáveis na sociedade, pois vai minando o Conservadorismo inato dos cristãos chilenos de várias matizes. Felizmente, o Chile ainda tem algumas boas opções. Os conservadores sob a política polarizante entre Piñera e Bachelet perderam em muitas frentes: aborto, casamento, proteção das crianças e agora podem perder a frente pelo combate as drogas. A economia do Chile permanece cristalina, e isso passa uma imagem boa para os investidores, porém, lobistas internacionais que se trasvestem de investidores também estão de olho em alas que são inalcançáveis para eles, como a cultura. A transformação da sociedade se tornou um hobby dos poderosos ideologizados das corporações. Nos Estados Unidos, inúmeras empresas fazem isso, bem como organizações não-governamentais isentas de impostos. 

Piñera, obviamente, deve seguir essa linha, pois faz parte de uma organização que agrega algumas pessoas que têm essa pretensão em mente: o Diálogo Interamericano. Clicando aqui vocês serão direcionados a página do Diálogo Interamericano [The Inter American Dialogue], um Think Tank que reúne figuras políticas de direita e esquerda, tanto da política quanto dos negócios. Esse Think Tank é defensor da legalização das drogas, [entre outras coisas] e todos os membros dele são defensores de tal política. Se Piñera se dispôs a trair seu povo em outras questões, com essa não será diferente. Ele poderá ter uma postura igual à de Maurício Macri durante o debate sobre o aborto, ou seja, se isentado para que o debate ocorra, e depois ratificando o resultado, como quem está neutro e permitiu o resultado do debate. O problema é que Macri foi descoberto articulando a aprovação do aborto, o que prova que Piñera pode usar uma tática similar sobre a questão da maconha, pois ele pertence a um grupo cujos membros são favoráveis a legalização da droga. 

Enfim. Esse link aqui exemplifica um pouco quem sempre foi Sebastián Piñera. O clube de globalistas traidores e falsos direitistas parece crescer a cada dia. Abaixo eu vou colocar alguns nomes que passaram por esse blog, mas que possivelmente estarão mais uma vez aqui então, por favor, preste atenção na lista de traidores e traidores em potencial:
  1. Sebastián Piñera - Chile 
  2. Iván Duque - Colômbia 
  3. Martín Vizcarra - Peru
  4. Mario Abdo Benítez - Paraguai 
  5. Maurício Macri - Argentina
Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...