23 de nov de 2016

Áustria – sobe queixas criminais feitas contra os requerentes de asilo




The Local AT, 22-23 de novembro de 2016. 



Novos dados do Ministério do Interior da Áustria mostram que o número de queixas criminais feitas contra os requerentes de asilo aumentou acentuadamente. Isso é de acordo com as estatísticas divulgadas pelo ministro do interior Wolfgang Sobotka (OVP), em resposta a uma pergunta parlamentar de Rupert Doppler (FPO). 

De acordo com os números (que são dados brutos que ainda não foram submetidos a um controle de qualidade [crivo]), os sírios são os menos susceptíveis de estar em conflito com a lei, enquanto os afegãos, argelinos, marroquinos e nigerianos são os mais propensos de ter um “encontro” com a polícia. 


Em Viena, 730 queixas criminais foram feitas contra requerentes de asilo do Afeganistão no ano passado. Este ano, houve 960 casos entre janeiro e o final de agosto. Para os requerentes de asilo da Argélia, acusações criminais no mesmo período aumentaram de 1.229 para 1.353, e para os nigerianos os números subiram de 1.168 para 1.280. O maior número de queixas criminais contra requerentes de asilo foi na capital, Viena, seguido da Baixa Áustria. Burgerland tinha o menor número. 

No entanto, o número de requerentes de asilo residentes em Viena também aumentou acentuadamente desde o início do ano passado. No final de agosto de 2016, 5.618 afegãos, 683 nigerianos e 183 argelinos viviam na capital. Em comparação, no final de agosto de 2015, havia 2.176 afegãos, 443 nigerianos e 64 argelinos. As queixas criminais contra os requerentes de asilo aumentaram 38,8 % desde o início de 2015. 

A maioria das infrações cometidas por requerentes de asilo no ano passado foram crimes contra a propriedade (42.010 casos), seguido por acusações de lesão corporal (23.951). 

O porta-voz do Ministério do Interior Karl-Heinz Grundbock confirmou que o ministério vai mudar a lei sobre os requerentes de asilo que tenham cometido crimes. “Se um requerente de asilo é condenado pela lei penal, isso pode leva-lo a perder o seu estatuto de asilo ou ter o seu asilo negado. O ministério também está procurando acelerar o processo de deportação para tais casos.” 

“Retrato impreciso”.

No entanto, Christoph Riedl, um “especialista” de asilo para a caridade Diakonie criticou a publicação dos índices. “Só porque o número de acusações criminais aumentou, isso não significa automaticamente que os requerentes de asilo estão a cometer mais crimes”, disse ele. “Estes são números para queixas-crimes e estatísticas não per capita”, acrescentou. Ele disse que o fato de que mais policiais terem sido mobilizados desde o ano passado, significa que os números de condenações aumentaram –, mas não necessariamente o número de crimes. 

Ele acrescentou que muitas das queixas-crimes são por infrações relativamente pequenas – como transportar documentos falsos. “No entanto, muitos refugiados do Afeganistão têm pouca escolha sobre viajar com documentos falsos”, disse Riedl. “Para interpretar estes números corretamente, precisamos olhar para as estatísticas do número de condenações”, disse ele. Estatísticas criminais completas para 2016 não serão publicadas até o início de 2017. 
Nota finais do autor do blog: obter documentos falsos é crime. O fato de recorrerem a isso já mostra quem realmente são. Não importa o estatuto deles. É por isso que é necessário um controle de imigração, e investigações subsequentes para aqueles que alegam sere refugiados de guerra, ou coisa parecida. Ninguém pode ser idiota o bastante, para aceitar de bom grado qualquer um em sua casa, sem saber quem a pessoa realmente é. É preciso ser mais do que um tapado para o fazer. 
Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...