29 de nov de 2016

Alemanha – Merkel diz: “Alemães devem aprender a conviver com a ciberguerra russa”




The Local De, 29 de novembro de 2016. 



Ataques cibernéticos da Rússia são agora tão comuns que a Alemanha deve aprender a lidar com eles como parte da vida cotidiana, a Chanceler Ângela Merkel disse nessa terça-feira, após a maior economia da Europa sofrer seu maior ataque online. 

Quase um milhão de clientes da Deutsche Telekom foram tirados do ar a partir de domingo, com o que o chefe de segurança online da Alemanha descreve como sendo “um ataque de hackers”.

Merkel disse que ela não sabia quem estava por trás do ataque, mas acrescentou que “tais ataques cibernéticos, ou conflitos híbridos, como são conhecidos na doutrina russa, agora fazem parte da vida diária e temos de aprender com eles.” 
Temos de informar as pessoas e expressar claramente as nossas convicções políticas”, disse ela, apelando a população para “não se deixar irritar” com tais operações desonestas. 

Você apenas tem que saber que existe tal coisa de aprender a conviver com isto”, disse ela aos jornalistas. 

Merkel havia dito no início deste mês que os ataques orquestrados pela Rússia “também poderia desempenhar um papel” na campanha eleitoral da Alemanha no próximo ano. 

O aviso foi repetido pelo chefe do serviço de inteligência estrangeira na terça-feira. 

A Europa está no foco dessas perturbações, e particularmente a Alemanha”, disse o chefe do serviço de inteligência estrangeira Bruno Kahl em entrevista ao jornal Sueddeutsche Zeitung

Há indícios de que “ataques cibernéticos estão ocorrendo sem outra razão senão semear a incerteza política”, disse Kahl. 

“O crime organizado”

O maior grupo alemão de telecomunicações Deutsche Telekom tornou-se a mais recente vítima de um ataque online que durou mais de um dia a partir de domingo. 

Ficou rapidamente claro para nós que era um ataque de hackers”, disse Arne Schonbohm, o chefe do Serviço Federal de Segurança da Informação, ao grupo de jornalistas regionais Funke

Isso é o crime organizado”, disse ele, acrescentando que os hackers aparentemente usaram os chamados malwares Mirai para infectar roteadores, impedindo-os de conectar à rede principal. 

O ataque poderia ter causado muito mais destruição, Schonbohm disse ao jornal Die Welt

Tivemos sorte desta vez – o ataque não funcionou corretamente”, disse ele. 

Enquanto conseguiu forçar o roteador alvo a desligar, o malware não foi instalado corretamente e foi destruído quando o roteador foi reinicializado. 

O jornal Tegesspiegel, citando fontes de segurança não identificados traçou uma ligação entre o evento de domingo e a Rússia. 

O Mirai foi desenvolvido pelo grupo hacker russo Sofacy, que tinha como alvo o parlamento alemão em 2015, disse o jornal, acrescentando que o ataque às telecomunicações poderia ser um ensaio antes de um ataque mais amplo quando a Alemanha receber a cúpula do G20 em junho próximo. 

Ataque repetido. 

A Rússia foi culpada por várias operações de hackers importantes, com até mesmo Washington no mês passado acusando formalmente Moscou de tentar “interferir” na corrida da Casa Branca em 2016 com ataques online atingindo instituições políticas dos Estados Unidos. 

Com a Alemanha também se preparando para uma eleição geral esperada no próximo mês de setembro, os principais políticos estão receosos de que eles também possam ser vítimas de operações desonestas semelhantes. 

Merkel disse que “já estamos, até agora mesmo, tendo que lidar com informações da Rússia ou com ataques à Internet que são de origem russa ou com notícias que se mostram como sendo informações falsas”. 

A Alemanha sofreu ataques cibernéticos repetidos nos últimos anos. 

Em setembro, foram enviados e-mails falsos a vários partidos políticos, nos quais o remetente se passava como sendo da sede da OTAN, mas que de fato continham um link que instalava software de espionagem nos computadores das vítimas. 

Os e-mails afetaram as operações partidárias, como a rede regional da União Democrata Cristã em um estado ocidental, e os escritórios federais do Partido Die Linke. 

O Parlamento alemão também foi vítima de um ataque em 2015, no qual os serviços de segurança, desde então, atribuiu à Rússia. 

Essa operação desonesta contra o Bundestag envolveu um ataque agressivo da Sofacy, que também atingiu membros da OTAN e colocou a estação de TV francesa a TV5Monde fora do ar.

Em meio a frequência crescente dos ataques, o Ministério da Defesa da Alemanha criou neste ano o departamento de cibernética para coordenar uma resposta a invasões online. 

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...