25 de nov de 2016

A União Europeia está investigando o fornecimento de combustível russo para a Síria via Europa – segundo fontes




Reuters, 24-25 de novembro de 2016.






A União Europeia está investigando se os petroleiros russos transportaram combustível para a Síria através das águas do bloco, apesar de estarem proibidos, disse uma fonte da UE na quarta-feira.

Os embarques para a Síria reforçaram suprimentos militares para um país onde Moscou está realizando ataques aéreos contra rebeldes com o apoio do governo, informou a Reuters, citando fontes com conhecimento no assunto. 

O regulamento da União Europeia UE 1323/2014, introduzido há dois anos, proíbe qualquer fornecimento de combustível de avião para a Síria a partir dos territórios da União Europeia, independentemente se o combustível for originado da União Europeia. 

Questionado sobre a reportagem da Reuters, a fonte disse que a União Europeia estava “consciente e agindo sobre isso”, mas não deu mais detalhes. 

De acordo com as regras da União, se a Comissão Europeia achar que as sanções impostas pelo bloco estiverem sendo desrespeitadas, isso pode levantar a questão com os Estados-Membros responsáveis pela sua aplicação. 

A fonte se recusou a dizer se este era o caso agora. 

O Ministério da Defesa da Rússia disse que, uma vez que não era membro da União Europeia, tais sanções não se aplicam ao seu grupo aéreo na Síria. 

Pelo menos dois navios com bandeira russa fizeram entregas através do Chipre, disse à Reuters uma fonte de inteligência com um governo da União Europeia. Uma fonte de transporte em separado familiarizado com os movimentos dos navios russos embandeirados disse que os navios visitaram portos cipriotas e gregos antes de entregar o combustível para a Síria. 

Um legislador europeu já havia solicitado ao chefe da política externa do bloco para iniciar uma investigação. 

Marietje Schaake, membro do Parlamento Europeu pelo Partido Democrata Holandês, apresentou uma questão de ordem para a Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Federica Mogherini, em resposta ao relatório. 

Schaake perguntou a Mogherini, por escrito, se estava ciente de tais entregas de combustível, e se o território dos Estados-Membros da União Europeia era usado em contravenção às sanções. 

Será que a HR / VP (Mogherini) iniciará uma investigação sobre as circunstâncias em que dois Estados-Membros da União Europeia agiram, e se é de facto contrário a um regulamento do Conselho da União Europeia?”. 

O Ministério do Exterior cipriota disse que as suas autoridades não haviam aprovado a ancoragem de quaisquer navios russos que transportavam combustível de avião com destino à Síria. 

O Ministério das Relações Exteriores da Grécia submeteu ao Ministério do Transporte, que não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. 

Nos Estados Unidos, o porta-voz adjunto do Departamento de Estado, Mark Toner, disse: “Embora a decisão de permitir que uma escala em um porto seja uma determinação nacional, acreditamos que os Estados da região não devem apoiar qualquer navio-taque russo transportando combustível para ser usado em ataques aéreos em curso sobre os civis e a infraestrutura civil na Síria."

Artigos recomendados: 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...