11 de ago de 2018

Finlândia – o departamento de Estado norte-americano acusa a Rússia de despertar desconfiança na Finlândia sobre a sua possível adesão à OTAN

O presidente finlandês, Sauli Niinistö, participou da Cúpula da Otan em 12 de julho.


YLE, 11 de agosto de 2018 



Um documento de um correio eletrônico desclassificado de 2016 diz que os Estados Unidos chegaram a conclusão que os atores russos estavam por trás dos esforços para “levantar suspeitas sobre a adesão à OTAN” na Finlândia e na Suécia. 

Uma intercepção eletrônica feita pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos cuja informação sobre foi obtida por meio de um processo de Lei de Liberdade de Informação pelo  provedor de notícias online Buzzfeed nos Estados Unidos, lança uma luz sobre a visão das organizações de inteligência dos Estados Unidos sobre a intromissão russa na Suécia e na Finlândia. 



Embora muitas partes do texto ainda estejam classificadas, o texto tem o seguinte a dizer em uma seção intitulada “Atividades russas em países não-membros da OTAN”: 

A Rússia concentrou recursos significativos em parceiros específicos, como a Suécia e a Finlândia”. 

Um complô contra a OTAN. 

Com relação à Finlândia, o documento diz que o país tem sido alvo de ataques da mídia destinados a dividir o país. 

A Finlândia também enfrenta intensos ataques da mídia supostamente liderados pelo Kremlin, que servem para criar desconfiança entre líderes e cidadãos e levantam suspeitas sobre a adesão à OTAN”, diz o documento. 

Na Suécia, o documento diz que os atores russos são suspeito de estar por trás de esforços para se infiltrar na Suécia com informações distorcidas e falsas sobre a OTAN na imprensa sueca, além de realizar ataques cibernéticos contra veículos de mídia suecos em março de 2016. 

A SAPO, o Serviço de Segurança sueco, deu um passo sem precedentes em abril afirmando publicamente que, pelo menos, um indivíduo na discussão sobre a cooperação com a OTAN, do lado anti-OTAN, estava diretamente ligado à inteligência russa”, diz a mensagem eletrônica. 

De acordo com as datas escritas no documento, ele foi redigido originalmente em 19 de outubro de 2016. Partes do documento foram marcados como “não classificados” em 15 de setembro de 2017. O e-mail foi enviado para as embaixadas e consulados dos Estados Unidos na Alemanha, Reino Unido, Bielorrússia, e a Rússia. As embaixadas dos Estados Unidos na Finlândia e na Suécia não constavam na lista de destinatários. 

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...