5 de jul de 2016

Finlandeses e líderes suecos convidados em “círculo interno” na cimeira da OTAN

OTAN - Jens Stoltenberg falando a repórteres em Bruxelas em 4 de julho. 




YLE, 04 de julho de 2016. 



O Secretário-Geral da OTAN, Jens Stoltenberg, disse nesta segunda-feira que “cabe a Finlândia e a Suécia decidir se eles querem mais [do que apenas] o jantar.”. 

O presidente finlandês Sauli Niinisto e o primeiro-ministro sueco Stefan Lofven foram convidados a participar dum jantar de trabalho com os chefes de estado dos países da OTAN durante a cúpula da aliança em Varsóvia na sexta-feira. 

Esta será a primeira vez que os líderes dos países militarmente não alinhados vão participar em um evento de alto-nível a portas fechadas conforme a discussão livre entre os líderes dos aliados da OTAN ocorrem. 


O Secretário-Geral da OTAN Jens Stoltenberg, disse nessa segunda-feira que os dois membros nórdicos da União Europeia são membros-chave da Parceria da Aliança para a Paz. 

Ele ressaltou que a Suécia e a Finlândia estão tomando parte em muitas operações lideradas pela OTAN, por exemplo, no Afeganistão. Os países também desempenham um papel importante na segurança e estabilidade na região do Mar Báltico, disse o ex-primeiro-ministro norueguês. 

Questionado sobre a possível adesão à OTAN, Stoltenberg disse que era algo que “somente os finlandeses podem decidir”, acrescentando que era “absolutamente injustificada se provoca ou não reação”. 

“Convidamos os amigos íntimos para um jantar”.

“Estamos convidando a Finlândia e a Suécia, porque a Finlândia e a Suécia são dois dos nossos muitos poucos parceiros com maior oportunidade. Então, a Suécia e a Finlândia são amigos muito próximos da OTAN, e convidamos amigos para jantar. Portanto, esta é uma cooperação que é de benefício para a Suécia e Finlândia e de benefício da OTAN e de seus aliados. Então cabe a Finlândia e a Suécia decidirem se eles querem mais. Isto é apenas um jantar”. 

Na Cimeira de Varsóvia, o ministro da Defesa Jussi Niinisto assinou um acordo de cooperação com o seu homólogo britânico e secretário de Defesa Michael Fallon. A Suécia chegou a um acordo semelhante com o Reino Unido em uma cúpula da OTAN no país de Gales há dois anos e aprovou no mês passado uma carta de intenções a ser assinada com os Estados Unidos. O acordo é descrito como um documento técnico que não obriga a ação em uma situação de crise. YLE descobriu que a Finlândia e os Estados Unidos estão discutindo um acordo semelhante, mas que este ainda é um projeto em estágios iniciais. 

Laços mais estreitos entre a União Europeia e a OTAN. 

Em Varsóvia, a OTAN e a União Europeia assinaram um pacto de reforço da sua cooperação. Quem irá assinar pela União Europeia é o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk e o Presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker. A OTAN quer trabalhar mais estreitamente com a União Europeia em áreas como segurança marítima e guerra híbrida. 

Também participarão na cúpula de 8-9 de julho o ministro das Relações Exteriores finlandesa Timo Soini, e o ministro da Defesa Jussi Niinisto e o comandante das Forças de Defesa Jarmo Lindberg. 

Lavrov: “Nunca ceda à tentação”. 

Também na segunda-feira, o chanceler russo, Sergei Lavrov, foi citado pela TASS como dizendo: “Nós acreditamos que as nossas relações com a Finlândia estão a se desenvolver duma forma optimizada e hoje esperamos que nossos vizinhos finlandeses nunca cedam à tentação de se juntar às ações anti-russas”. 

Questionado sobre a possível resposta da Rússia se a Finlândia se juntar a OTAN, ele respondeu: “A questão é puramente militar, puramente técnica. Obviamente, se a infraestrutura de uma organização que é nomeadamente sua inimiga se aproximar de suas fronteiras, você terá que reagir de alguma forma.”.

“Nós temos bastante experiência nesta área”, acrescentou Lavrov. “O Ministério da Defesa e o pessoal em geral estão certos do que deverão fazer”. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...