1 de abr de 2019

Peru – Grupo terrorista marxista Sendero Luminoso realiza campanha de vitimização na Bolívia

Com seguidores de Evo O Sendero Luminoso também teve reuniões com organizações do partido do presidente Morales.



Peru21, 01 de abril de 2019 








Os seguidores de Abimael Guzmán passaram por programas de televisão, universidades e até mesmo um corpo de justiça boliviano defendendo as ideias genocidas de Gonzalo. 

O “Pensamento Gonzalo” foi reconhecido pela Comissão da Verdade e Reconciliação (CVR) como a ideologia que orientou a ação terrorista do Sendero Luminoso. No entanto, nem o Movimento para os Direitos Fundamentais (Movadef) nem o grupo de advogados Relação Juris, ou a Afadevig (grupo de familiares senderistas) teve escrúpulo em reconhecer publicamente diante dos meios de comunicação, autoridades universitárias e funcionários da Bolívia que eles adotaram as ideias genocidas de Abimael Guzmán e que por isso são perseguidos pelo Estado peruano. 


Seguidores de 'Gonzalo' viajaram em fevereiro para o país vizinho para participar de uma audiência perante a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) e também tomou a oportunidade de obter entrevistas na TV e reuniões com autoridades e grupos relacionados com o governo de Evo Morales

Visita e vitimização. 

Adotamos uma linha de pensamento ideológico marxista-lenininista-maoísta Gonzalo e desde então há uma campanha sistemática de discriminação e perseguição”, disse Natalia Osco, um membro da Movadef, em um programa de televisão boliviano. Além disso, Alex Puente, porta-voz do grupo de advogados Senderistas, descreveu os terroristas condenados pelo ataque de Tarata como “presos políticos”. 

Além disso, várias organizações juvenis relacionadas ao governo Morales assinaram uma carta contra a demolição do mausoléu de Comas, onde estavam os restos de alguns sanderistas. 

Acreditamos que esses fatos implicam a impunidade e o genocídio perpetuados pelo Estado peruano”, assinalam grupos como Geração de Evo, Jovens do Movimento Al Socialismo, Conselho da Juventude Plurinacional, entre outros. 

A campanha do Sendero Luminoso na Bolívia também inclui uma entrevista com o reitor da Universidad Mayor de San Andrés, Waldo Albarracín. Eles também tiveram uma reunião com membros da Comissão da Verdade da Bolívia, um órgão do Ministério da Justiça daquele país. 

Os seguidores do líder terrorista Abimael Guzmán estabelecidos nesses espaços aproveitaram a visibilidade que lhes deram para participar em 171 sessões ordinárias da Comissão, onde uma série de reuniões com representantes de toda a América Latina que estão programados para monitorar o respeito pelos direitos humanos na região. Neste contexto, uma sessão aberta a sociedade civil acontece onde, este ano, cerca de 100 organizações participaram. O grupo de familiares senderistas falaram cerca de sete minutos. 

Outros dados. 

– O Ministério das Relações Exteriores do Peru protestou junto à Organização dos Estados Americanos (OEA) pela participação do Sendero Luminoso nas sessões da Comissão Interamericana dos Direitos Humanos (CIDH).

– Mais tarde, a Movadef, através de seu advogado Alfredo Crespo respondeu e enviou uma carta à OEA pedindo que não se surpreendessem com a reivindicação do Estado Peruano. 

– O Movadef tentou interferir no protesto contra a empresa Las Bambas. Na quinta-feira eles marcharam em Lima sem muito sucesso. 

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...