19 de ago de 2017

Cinco detidos após esfaqueamentos na Finlândia. Autor do crime é marroquino e requerente de asilo




DN, 19 de agosto de 2017 



Cinco pessoas foram detidas durante a noite. Autor do esfaqueamento tem nacionalidade marroquina

A polícia finlandesa anunciou hoje ter detido cinco pessoas numa rusga a um apartamento da cidade de Turku durante a noite, no âmbito da investigação aos esfaqueamentos que fizeram na sexta-feira dois mortos e oito feridos.

Logo a seguir ao ataque, a polícia deteve em poucos minutos o principal suspeito armado com uma faca, ferindo-o a tiro numa perna, numa praça do centro de Turku, cidade portuária no sudoeste da Finlândia, pouco depois das 16:00 locais (14:00 de Lisboa).



O [muçulmano] homem feriu mortalmente duas pessoas e o número de feridos foi revisto em alta, passando de seis para oito, três dos quais encontram-se internados nos cuidados intensivos. As duas vítimas mortais são finlandesas e, entre os feridos, há dois suecos e um italiano.

O principal suspeito está também hospitalizado, e a polícia não pôde até agora interrogá-lo, ignorando ainda as motivações do ataque.

"Temos agora seis suspeitos sob custódia, o principal suspeito e mais cinco", declarou o comissário Markus Laine, do Departamento Nacional de Investigações.

"Estamos a investigar qual foi o papel das outras cinco pessoas, mas não temos ainda a certeza de que estejam relacionados [com o ataque]. Vamos interrogá-los e poderemos depois dizer mais. Mas eles estiveram em contacto com o principal suspeito", acrescentou Laine.

O suspeito já foi identificado como um jovem marroquino de 18 anos, estando as autoridades a investigar os homicídios como crimes com motivação terrorista.

O Departamento Nacional de Investigações precisou também hoje na rede social Twitter que está em curso "uma cooperação internacional" para investigar este caso.

De acordo com a imprensa finlandesa, o homem atacou as vítimas "ao acaso" - uma informação que os investigadores não confirmaram -- e terá igualmente agido sozinho, mas as autoridades estão à procura "de outros autores possíveis".

Na sexta-feira, após o ataque, a polícia nacional anunciou ter aumentado o número de patrulhas.

Em junho, os serviços de segurança finlandeses (Supo) aumentaram em um nível a sua avaliação do risco de ataque terrorista, anunciando ter identificado atividade do grupo 'jihadista' Estado Islâmico que poderia ter a Finlândia como alvo.

O risco, até então considerado "fraco", é agora "elevado", o segundo nível mais grave numa escala de quatro.

Marroquino que esfaqueou pessoas na Finlândia era requerente de asilo


O jihadista marroquino detido na sexta-feira após esfaquear mortalmente duas pessoas e ferir oito na cidade de Turku, sudoeste da Finlândia, era um requerente de asilo que chegou ao país em princípios de 2016, indicou hoje a polícia.

O imigrante [muçulmano] de 18 anos, que continua internado nos cuidados intensivos depois de ter sido alvejado numa perna, atacou os transeuntes em pleno centro da cidade de forma aparentemente "aleatória", embora a polícia suspeite que optou sobretudo vítimas femininas.

"Pensamos que as vítimas foram escolhidas ao acaso, mas o seu alvo principal foram mulheres. Das dez vítimas, oito são mulheres e os únicos dois homens feridos foram atacados por terem tentado ajudar as mulheres ou deter o agressor", disse em conferência de imprensa a porta-voz da polícia finlandesa, Krista Granroth.

As duas vítimas mortais são uma mulher de 67 anos e uma adolescente de 15, precisou a polícia, acrescentando que uma delas teve morte imediata e a outra sucumbiu aos ferimentos já no hospital.

Dois dos oito feridos continuam internados nos cuidados intensivos, embora não corram risco de vida, ao passo que os restantes têm ferimentos menos graves, pelo que alguns já tiveram alta.

Entre os feridos, há um cidadão sueco, um italiano e um britânico.

As forças de segurança detiveram na sexta-feira à noite, num apartamento em Turku, outros quatro cidadãos marroquinos que estiveram em contacto com o agressor e estão, neste momento, a investigar se eles tiveram alguma coisa que ver com o ataque.

A polícia finlandesa está também a investigar, em cooperação com a Interpol, se o ataque de Turku tem algum tipo de relação com os atentados das cidades espanholas de Barcelona e Cambrils, que também foram perpetrados por cidadãos marroquinas.

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...