25 de nov de 2016

Rússia e Hezbollah “oficialmente” trabalhado em conjunto na Síria




Times of Israel, 25 de novembro de 2016. 



Por Dov Lieber



A cooperação militar tinha estado sob o radar; a milícia xiita empurra credenciais como sendo um exército convencional. 

A – Rússia e o Hezbollah começaram uma coordenação militar “oficial” na Síria, a pedido de Moscou, de acordo com um relatório publicado na quinta-feira em um site de notícias pró-Hezbollah. 

O site libanês pró-Hezbollah Al-Akhbar informou que os funcionários do Hezbollah reuniram-se com “altos” oficiais russos na perigosa cidade de Aleppo, na semana passada naquilo que foi a primeira reunião oficial direta entre os dois lados desde o começo da campanha militar de Moscou, que resolveu envolver-se na guerra civil síria. 
O relatório observa que as autoridades russas e o Hezbollah se encontraram antes em condições não-oficiais, como em salas de operações de combate.

A reunião, supostamente organizada pela Rússia, teria estabelecido uma comunicação “contínua” e canais de compartilhamento de informações entre os dois lados sobre o que está acontecendo no campo de batalha, o que inclui planos para o futuro. 

A Rússia está especialmente interessada na coordenação com a infantaria do Hezbollah no terreno, em Aleppo, onde ataques aéreos são menos eficazes na cidade densamente povoada, disse o relatório. 



A milícia apoiada pelo Irã é estimada como tendo 5.000-8.000 combatentes na Síria, mas alguns analistas acreditam que o número poderia ser maior. 

Já houve clara coordenação entre o Hezbollah e a Rússia, bem como entre a Rússia e outras milícias xiitas na Síria, disse Michael Horowitz, diretor de Inteligência no Prime Source, uma consultoria geopolítica com sede no Oriente Médio, acrescentando que não se surpreendeu com o relatório. 

A decisão de divulgar as relações entre o Hezbollah e Moscou como “oficial” provavelmente deriva do aumento do desejo do Hezbollah de se descrever como um exército convencional, disse Horowitz. Ele observou que o relatório de quinta-feira segue o primeiro desfile militar do Hezbollah na Síria em meados de novembro, durante o qual a milícia ostentava o seu avançado armamento russo e americano. 



A nova coordenação oficial entre Moscou e o grupo terrorista xiita não afetará a postura aberta pela guerra do Hezbollah contra Israel, disse o relatório. 

Likud MK Avi Dichter, ex-chefe da agência de segurança Shin Bet, alertou em 16 de novembro que os interesses russos no Oriente Médio não coincidem com os de Israel e do Estado judeu e que devem ser vigilantes quanto a crescente influência russa na região, apesar do aprofundamento nas relações diplomáticas entre Moscou e Jerusalém. 

Considerando que Israel considera o Irã, o patrono do Hezbollah, e o seu maior inimigo na região e que prioriza defender-se contra o grupo terrorista libanês, “A Rússia não vê o Irã e os seus representantes de acordo com o nível de ameaça que representam ou transmitem em direção a Israel”, disse Dichter em uma entrevista à Reuters, acrescentando que “vê o Hezbollah positivamente como lacaio do Irã na Síria e no Líbano, [e está] apoiando a atividade da milícia xiita no Iraque e na Síria”.  

Israel teria executado numerosos ataques aéreos na Síria desde que a guerra civil começou, em uma tentativa para parar o contrabando de armas avançadas para o Hezbollah, mas se absteve de se envolver no conflito mortal que envolve o país. 

Artigos recomendados: 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...