6 de mai. de 2016

Muçulmano Sadiq Khan eleito presidente da câmara de Londres

Prólogo.

Algumas pessoas têm comentado sobre essa controversa, dum prefeito muçulmano em Londres, uma cidade tipicamente cristã, dum país cristão. No entanto, não se atentam ao fato de que o prefeito anterior, Boris Johnson, é um notório gayzista, ou seja, promotor da agenda LGBT. Quem não conhece as famosas parada gay de Londres, não sabe que os gestores das últimas “festividades” foram os conservadores da cidade, no caso, Boris Johnson, o então prefeito de Londres. Johnson faz parte do Partido Conservador Britânico, junto com o seu camarada David Cameron, o atual primeiro-ministro da Grã-Bretanha. Tanto Johnson quanto o seu homólogo são favoráveis à causa LGBT, e são ávidos promotores da agenda cultural e política de tal movimento.

É horrível que um a cidade com raízes cristã, dum país também cristão eleja um muçulmano? Sim, é horrível sim. Mas isso não significa que esse é dos males o maior – é uma péssima escolha, realmente! Mas essa escolha vem através duma sucessão de escolhas ruins, como no caso o próprio Johnson, e o próprio David Cameron, que são tão anticristãos quanto um muçulmano. O que está ocorrendo em Londres, e na Grã-Bretanha como um todo é um evento continuo de degradação. Johnson é tão ruim quanto o seu sucessor. Esse "erro" dos eleitores londrinos se traduz naquilo que o Partido Conservador é: esquerdista. 


Sadiq Khan e a mulher, depois de votar



DN, 06 de maio de 2016.

Trabalhista vai suceder ao "conservador" Boris Johnson à frente dos destinos da capital britânica.

Sadiq Khan, filho de imigrantes paquistaneses, foi eleito presidente da câmara de Londres, derrotando o candidato conservador, Zac Goldsmith. A vitória já está matematicamente garantida, apesar de ainda estarem a ser contados os votos, segundo a Sky News.
Na contagem das primeiras escolhas (cada eleitor faz duas escolhas no dia das eleições, indicando a sua primeira preferência e a sua segunda preferência), Khan conseguiu 44,2% dos votos, contra 35% de Goldsmith. Uma diferença de quase 240 mil votos. Como nenhum dos candidatos obteve mais de 50% dos votos, têm que ser contabilizadas as segundas preferências dos eleitores que não votaram nos candidatos que ficaram nas duas primeiras posições.

Sadiq vai suceder ao atual presidente da câmara, o conservador Boris Johnson, que abdicou de concorrer a um terceiro mandato consecutivo a pensar na luta pela liderança dos Tories quando o primeiro-ministro David Cameron decidir sair.

A campanha ficou marcada por várias polémicas entre Khan, 45 anos, um filho de imigrantes que cresceu num bairro social e trabalhou como advogado de direitos humanos até ser eleito deputado em 2005 e entrar para o governo de Gordon Brown, em 2008, e Goldsmtih, 41, ambientalista e deputado conservador, filho do falecido magnata e político James Goldsmith.

Khan foi acusado de apoiar extremistas islâmicos, ou pelo menos não se distanciar deles o suficiente, no que foi qualificado pela sua equipa como uma "campanha suja".

Goldsmith foi associado a donativos de mais de 50 mil euros de promotores imobiliários que na semana passada receberam autorização da câmara de Boris Johnson para construir centenas de apartamentos de luxo. Um porta-voz da campanha rejeitou qualquer "sugestão de impropriedade" e assegurou que todos os donativos são "pronta e transparentemente declarados de acordo com as regras".

A crise da habitação é aliás a preocupação mais referida pelos londrinos, devido ao contínuo aumento do já elevado preço das casas, a que se juntam as previsões de que a população de Londres deverá aumentar de oito para dez milhões nos próximos 15 anos. Khan prometeu que metade das habitações que vierem a ser construídas serão acessíveis e Goldsmith que até 2020 aumentará a construção para 50.000 habitações por ano, contra 25 mil atualmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...