3 de jun. de 2022

Suíça foi pioneira no uso de aplicativo de rastreamento de (pessoas) coronavírus na Europa


O crédito social foi idealizado em Davos por Klaus Schwab, mas foi na China que ele foi inicialmente implementado. Na China, gradualmente foram implementadas tecnologias de rastreamento da população, ao ponto em que todos os meios tecnológicos tornaram-se emissores de dados para o banco de dados do governo central. Começou com a simplificação da identificação digital, câmeras de rastreamento nas ruas com reconhecimento facial, para no fim a tecnologia chegar aos aparelhos celulares, TV, rádio e computadores, todos com uma função uniforme. Toda tecnologia no mercado tornou-se interconectada ao banco de dados central. Tudo o tempo todo está medindo e passando informações dos cidadãos. No Ocidente, as corporações fazem isso através das suas várias tecnologias, e compartilham informações umas com as outras, até que no fim essas informações sejam repassadas de bom grado aos governos. Empresas como o Google, que já disse que sua tecnologia de mapas pode rastrear tropas em um campo de batalha, e Facebook, que já implementou tecnologia de reconhecimento facial (que estará de volta no Metaverso, embora não admitam), não medem esforços em nos provar que essas tecnologias não estão isentas de serem usadas para nosso mal, mesmo nas mãos do setor privado. 

A Suíça tem suas próprias particularidades em relação a forma como a agenda globalista é implementada lá, mas é como qualquer país: a elite decide o que fazer com a ralé, e são poucos os que resistem – ao menos verbalmente. Contudo, essa elite exige que os cidadãos de segunda classe se submetam à agenda, ou sofram as consequências. Por ser o quartel-general dos psicopatas da elite, a Suíça se torna também um campo de experimento imprescindível para eles, e por isso, vez ou outra pipocam notícias de como a programação está sendo conformada no país. No artigo abaixo é relatado como o país se tornaria pioneiro na tecnologia de rastreamento, o Contact Tracing (Rastreamento de Conato). No artigo, eles mencionam como as grandes companhias cooperaram para a criação do modelo que queriam, o que torna muito mais revelador como essa tecnologia ganhou particularidades que só vemos em algumas tecnologias de empresas privadas. Enquanto a Suíça ganha a fama de pioneira pelo rastreamento, a Polônia, um país que muitos acreditavam ser governado por um conservador, foi pioneira no certificado de vacinação, que mais tarde foi adotado pela União Europeia  – que elaborou o seu próprio certificado – com a ajuda do próprio governo polonês.  Tal como a Suíça, eles alegam atualmente que a tecnologia teve seu uso pausado, mas temporariamente. 



Suíça será pioneira no uso de aplicativo de rastreamento de coronavírus na Europa


SWI, 09/06/2022 



O Parlamento deu luz verde para o lançamento público do SwissCovid, um aplicativo de rastreamento de contatos para ajudar a conter a pandemia de coronavírus. 

Na segunda-feira, a Câmara dos Deputados seguiu o Senado ao aprovar uma lei que estabelece a base legal para o aplicativo, que usará ondas Bluetooth para permitir que smartphones se comuniquem anonimamente. 

O sistema DP-3T foi desenvolvido pelos dois Institutos Federais de Tecnologia da Suíça em Zurique e Lausanne com a experiência dos gigantes da tecnologia dos EUA Google e Apple

O aplicativo armazena os dados do smartphone dos usuários por 21 dias, permitindo que eles sejam notificados se tiverem contato próximo com pessoas infectadas. 

O uso do SwissCovid é voluntário e os dados coletados são armazenados em servidores descentralizados, alguns operados pelo estado, bem como alguns pela Amazon Web Services na Alemanha. 

Prevê-se que a aplicação seja disponibilizada ao público em geral no final de junho, servindo de ferramenta para prevenir uma potencial segunda onda de infeções por Covid-19 no país. 

Até agora, a Suíça registrou cerca de 31.000 casos de coronavírus e mais de 1.660 mortes relacionadas ao Covid-19, mas o governo diminuiu gradualmente as restrições abrangentes à vida pública, à medida que o número de novos casos caiu acentuadamente. 

Complementar 

O aplicativo faz parte da estratégia das autoridades de saúde para rastrear todas as infecções, isolando pacientes e colocando em quarentena as pessoas que estão em risco após terem entrado em contato próximo com uma pessoa infectada – ou seja, a uma distância inferior a dois metros durante um período de pelo menos 15 minutos. 

As pessoas notificadas pelo aplicativo são solicitadas a consultar um serviço de informações para receber conselhos sobre como procurar tratamento médico e como proteger outras pessoas da infecção. 

As autoridades cantonais continuam a rastrear todos os casos relatados de coronavírus. 

Os pacientes são contatados por telefone na tentativa de identificar e encontrar todas as pessoas que também podem ter sido infectadas. Eles são solicitados a entrar em quarentena e consultar um médico se desenvolverem sintomas e precisarem de cuidados médicos. 

Vigilância 

As críticas ao aplicativo vieram principalmente de alguns membros do Partido Popular Suíço, de direita, durante o debate de segunda-feira na Câmara dos Deputados. 

Thomas de Courten alertou contra um sistema de vigilância estatal que comprometeria a privacidade, dizendo que isso o lembrava do romance distópico de George Orwell, Nineteen Eighty-Four. 

O ministro do Interior, Alain Berset, cuja pasta inclui questões de saúde, tentou dissipar essa preocupação, dizendo que o uso do aplicativo SwissCovid era voluntário. 

Especialistas esperam que pelo menos 60% da população instale o aplicativo em seus telefones celulares para produzir uma massa crítica de dados. 

As pessoas que testam positivo para o Covid-19 precisam ficar em casa e são elegíveis para benefícios financeiros como resultado da ausência do trabalho, explicou Berset. 

Atualmente, cerca de 60.000 pessoas na Suíça estão usando o aplicativo SwissCovid em caráter experimental e o feedback tem sido principalmente positivo, acrescentou. 

O governo planejou inicialmente introduzir o dispositivo de rastreamento sem criar uma base legal que regulasse os detalhes, incluindo o acesso a testes gratuitos para uma pessoa que recebe uma notificação no aplicativo. No entanto, o parlamento no mês passado insistiu em um procedimento legislativo regular.




Coronavírus: aplicativo SwissCovid


Informações técnicas

FOPH, 01/04/2022 


O rastreamento de contatos identifica pessoas que tiveram contato próximo com pessoas infectadas com o coronavírus. O aplicativo SwissCovid suporta esse processo, estabelecendo se houve contato próximo e notificando rapidamente se houver risco de infecção.

Suspensão temporária

Agora que o requisito de isolamento foi levantado, as condições para a operação contínua efetiva do aplicativo SwissCovid não estão mais em vigor, pelo menos temporariamente. Por esse motivo, o Conselho Federal decidiu suspender o aplicativo SwissCovid por enquanto. Isso está de acordo com a base legal, que prevê a desativação do sistema caso deixe de ser necessário para combater a pandemia. No entanto, continuamos atentos à situação epidemiológica e retomaremos a operação do aplicativo SwissCovid se for necessário. Por esse motivo, manteremos as infraestruturas de TI necessárias em segundo plano.

O que devo fazer como usuário do aplicativo SwissCovid?

  • Devo desinstalar o aplicativo?

Sim. Você pode desinstalar o aplicativo.

  • O que posso fazer se não quiser ou não conseguir desinstalar o aplicativo?

Atualize o aplicativo. A versão mais recente do aplicativo SwissCovid contém apenas uma tela com a informação de que foi suspenso. Os dados não são mais trocados entre telefones celulares e a interface para Apple e Google é desligada automaticamente.

  • O que posso fazer se não quiser ou não conseguir desinstalar ou atualizar o aplicativo?

Você pode desligar a interface para Apple e Google manualmente. Você faz isso da seguinte forma: vá para Configurações > Serviços e preferências do Google > (para Android) Notificações de exposição COVID-19 ou (para iOS) Notificações de contato e desative as notificações.

Isso não se aplica ao app "Certificado COVID"

Produtor

O sistema de aplicativos SwissCovid foi desenvolvido em nome e em cooperação com a FOPH pelo Escritório Federal de Tecnologia da Informação, Sistemas e Telecomunicações FOITT, os Institutos Federais de Tecnologia de Zurique (ETH) e Lausanne (EPFL) e a empresa suíça Ubique.

Artigos recomendados: Big Tech e NOM


Fonte:https://www.swissinfo.ch/eng/swiss-to-pioneer-use-of-coronavirus-tracing-app-in-europe/45823496

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...