15 de jun de 2018

Pró-vidas pedem ao Senado evitar que ameaça do aborto se consolide na Argentina




Acidigital, 15 de junho de 2018 



Buenos Aires, 15 Jun. 18 / 03:00 pm (ACI).- A Unidade Pró-vida, rede argentina que reúne cerca de cem organizações a favor da vida, pediu ao Senado que evite que a ameaça de aborto se consolide no país, depois que foi aprovado pelos deputados em 14 de junho.

O Senado argentino terá a oportunidade de corrigir essa perigosa ameaça aos direitos humanos e honrar a vontade do povo da Nação”, expressou através de um comunicado.

Na última quinta-feira, depois de uma seção que durou mais de 20 horas, a Câmara dos Deputados aprovou o projeto de despenalização do aborto com 129 votos a favor, 125 contra e uma abstenção. Agora a iniciativa passará ao Senado.


Este resultado lamentável não nos amedronta, nos fortalece”, afirmou a Unidade Pró-vida e também agradeceu a “coragem dos deputados que se levantaram em defesa das mulheres e dos nascituros, erguendo a voz por aqueles aos quais querem silenciar com a sua eliminação sistemática”.

A organização considerou que a Câmara dos Deputados não acolheu “os sólidos fundamentos científicos, jurídicos, médicos e sociais que foram manifestados durante os dois meses de audiências públicas, argumentando que o aborto é um fracasso social, que nunca será uma resposta humana para superar os diversos desafios da nossa sociedade”.

Além disso, denunciou que “este debate ocorreu em um contexto ofuscado por campanhas de desinformação, pressões políticas e interesses econômicos que, sem dúvida, influenciaram o voto dos nossos deputados”.

Mostraram cifras falsas, expressões e slogans muito diferentes da realidade e que nos impedem de entender a magnitude do que estamos discutindo, que é institucionalizar a violência contra a mulher. Em cada aborto, morre um menino ou uma menina inocente e destroem uma mulher”, assinalou a Unidade Pró-vida.

Com esta aprovação, “estamos nos aproximando perigosamente de estabelecer uma política de descarte que permita a eliminação sistemática de pessoas, sem solucionar a mortalidade materna e outros problemas profundos que afetam as mulheres”.

Apesar deste resultado, a rede pró-vida está com muita esperança, pois as exitosas e multitudinárias marchas pela vida, realizadas durante esse período de debate, mostram que “o povo argentino tomou consciência do que está em jogo”.

Finalmente, a Unidade Pró-vida renovou o seu compromisso de trabalhar “com mais entusiasmo ainda, oferecendo todo o nosso apoio aos nossos representantes. Porque temos certeza de que o nosso povo, de norte a sul do país, ama e defende a vida de todos, sempre”.

Só poderemos construir uma Argentina mais justa, baseados no respeito inabalável do direito de todos à vida, protegendo especialmente os mais vulneráveis”, afirmou a rede pró-vida.

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...