6 de abr de 2017

Cerca de 80 crianças holandesas recebem treino militar do Daesh

criança soldado do Estado Islâmico



CM, 06 de abril de 2017. 



Relatório adverte para a possibilidade de menores se revelarem ameaça para a Europa.

O Daesh tem em seu poder pelo menos 80 menores holandeses que recebem "doutrina islâmica e treino militar" na Síria e no Iraque e que devem ser vistos como uma "ameaça potencial" para a Europa.

De acordo com um relatório publicado esta quinta-feira pelo Coordenador Nacional de Contraterrorismo e Segurança (NCTV) da Holanda, os menores "não deixam de ser vítimas" dos extremistas, mas o organismo, segundo avança agência espanhola Efe, adverte que o Daesh "poderá utilizá-los para cometer ataques terroristas" na Europa. 


"As crianças devem ser vistas como vítimas do Daesh, uma vez que podem estar muito traumatizadas pelo derramamento de sangue que possam ter testemunhado, mas sem perder de vista as possíveis ameaças que constituem para a sociedade", explica o NCTV.

O organismo holandês de contraterrorismo indicou que o Daesh utiliza já os menores em ataques terroristas na Síria e no Iraque, aproveitando-se do facto de serem vistos como gente "menos perigosa" e "com facilidade para passar despercebida".

"O Daesh encara os menores de idade como um elemento essencial para a sobrevivência do 'Califado' e há provas de que crianças cada vez mais jovens participam ativamente em atos violentos, já que vivem em zonas de guerra. As crianças estão expostas regularmente à violência e à morte", adverte o relatório.

O documento reconhece que a perda de territórios por parte do Daseh está a fazer com que muitas famílias com crianças estejam a regressar aos seus países na Europa, movimento que se prevê virá a aumentar nos próximos meses.

Cerca de 20 crianças menores de 9 anos viajaram para a Síria com os pais desde o verão de 2014, mas o número de crianças holandesas naquele país "poderá ser muito maior, uma vez que mais bebés de pais holandeses poderão ter nascido", entretanto, em território dominado pelo Daesh, alerta o relatório. 

No regresso à Holanda, acrescenta o documento, todas as crianças deverão ser identificadas através de testes de ADN que comprovem a relação com os que dizem ser seus pais.

"Estas crianças foram alimentadas com os valores extremistas desde pequenas e não têm que ser convertidas. É-lhes ensinado desde pequenas que qualquer pessoa que não aceite a sua interpretação do islão deve morrer", conclui o estudo do NCTV.

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário