16 de fev de 2017

Distúrbios de Paris mapeados: 20 zonas de exclusão localizadas à medida em que a violência se espalha pela França



Express UK, 16 de fevereiro de 2017. 






Os tumultos de Paris agora estão se espalhando pela França enquanto os vigilantes encenam batalhas com a polícia que transformou partes do país em zonas proibidas. 

E a polícia diz que duas semanas de distúrbios civis levaram agora a confrontos frenéticos em 20 distritos com milhões de libras em danos apenas em Paris

É preocupante que cerca de 60% dos envolvidos nas brigas de rua são crianças, diz a polícia. 

Além de crimes graves em pelo menos 16 subúrbios do norte de Paris, os confrontos se espalharam para Nantes, na região da Bretanha, Lille – capital da região de Nord-Pas-de Calais e Rouen, na Normandia, onde o padre católico, Jacques Hamel foi assassinado. Ele estava fazendo uma missa no altar no verão passado. 


A polícia foi alvo de coquetéis molotov, perseguição com carros, e atingida com barras de aço, tiros e até mesmo sendo alvejada com bolas de metal pesado do jogo francês conhecido como Petanque. 

Centenas de oficiais armados tomaram as ruas e foram forçados a disparar rodadas de tiros de balas de borracha e gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes. 

O caos entrou em erupção depois que emergiu a notícia de que um policial violentou um imigrante anônimo nomeado de Theo, com um bastão. 


O escândalo, que tem mostrado policiais acusados, provocou uma série de protestos legais. Mas uma série de atos violentos, e protestos ilegais também ocorreram, com problemas que agora se aproximam da sua terceira semana. 

Centenas de carros foram incendiados, lojas e bancos saqueados, e até mesmo um veículo parado na área para deficientes foi destruído. Um ônibus cheio de turistas da Coréia do Sul foi alvo no norte de Paris na terça-feira, enquanto um bairro perto de uma das estações de trem mais movimentadas na cidade de Gare du Nord, que abriga a rede de trem Eurostar também foi atingido. 

Relatórios locais sugerem que o bairro popular de Marais no centro de Paris também foi palco de explosões de fúria ontem. 

A região norte-central de Île-de-France tem se deteriorado rapidamente com a polícia confirmando que a violência está piorando a cada noite, de acordo com o jornal Le Fígaro

Eles também dizem que aqueles nas ruas parecem adolescentes em oposição a uma multidão mais velha que inicialmente começou a violência. 

A polícia diz que 47 veículos foram incendiados no Dia dos Namorados, em comparação com 34 no dia 12. 

E 59 latas de lixo foram incendiadas em comparação com 21 nas mesmas datas. 

Dezenas de pessoas foram presas depois do suposto estupro e violência contra um homem identificado como Theo em 02 de fevereiro. 

A violência originou-se em uma propriedade do conselho chamada Rosa des Vents, em Aulnay-Sous-Bois, que é conhecido como o local onde “3.000”, reivindicaram o ataque de Theo como sendo por motivação racial. 

Um inquérito judicial foi agora lançado sobre a prisão de Theo com imagens da CCTV sendo analisadas após o primeiro-ministro François Hollande entrar no debate. 

No entanto, a divulgação do incidente não mostra sinais da diminuição de indivíduos que usam a Internet e os serviços de mensagens para organizar protestos viciosos a cada noite. 

Enquanto François Hollande apelou para a calma nas ruas exigindo a cessação das manifestações, a Frente Nacional da candidata Marine Le Pen tem ido mais além marcando os manifestantes como radicais e canalhas.

Chamando os incidentes generalizados de “uma vergonha para a França”, disse ela: “As forças da ordem são alvos de um bando de canalhas. O governo está em silêncio. Um silêncio que reflete a sua covardia e sua impotência”.  

Artigos recomendados: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário