25 de jul de 2016

Turquia - emitido 42 mandados de detenção contra jornalistas





Euronews, 25 de julho de 2016. 




Por Lurdes Duro Pereira



Despedida em 2013 de um jornal pró governamental depois de ter criticado ministros apanhados num caso de corrupção, Nazli Ilicak é apenas uma das jornalistas alvo de um mandado de detenção na Turquia. A lista é composta por 42 profissionais.

Entre eles estão jornalistas com ligações a Fethullah Gülen, o teólogo turco exilado nos EUA e que Ancara responsabiliza pela tentativa de golpe de Estado.



Os mandados emitidos na sequência das investigações à tentativa falhada de golpe de Estado já foram criticados por várias organizações que falam de um novo ataque à liberdade de expressão.

Desde 15 de julho, milhares de pessoas foram detidas. Entre elas professores, juízes, militares e elementos das forças policiais. Ainda assim, a imagem que nos chega do país é de uma certa unidade. Este domingo, e pela primeira vez, os apoiantes dos AKP – partido no poder – e o principal partido da oposição condenaram a uma só voz o golpe de Estado.

Um apoiante do CHP, Partido do Povo Republicano diz que a formação vai estar atenta às consequências do Estado de emergência. Garante, ainda, que o partido vai continuar a levantar a voz para defender os direitos e as liberdades individuais.

Liberdades que segundo a Amnistia Internacional estarão a violadas pelo Governo turco. A ONG de defesa dos direitos humanos assegura ter provas que atestam casos de abusos e tortura de pessoas que se encontram nos centros de detenção na Turquia.



Nenhum comentário:

Postar um comentário