4 de mai. de 2022

Rússia reforça presença nas cidades ocupadas e reforço militar da UE à Moldávia




Euronews, 04/05/2022 



A cidade portuária de Berdyansk, no sul da Ucrânia, foi tomada pelas forças russas poucos dias depois do início da invasão da Ucrânia em finais de fevereiro.

De acordo com o Kremlin, praticamente não enfrentou qualquer resistência. A administração local agora controlada pela Rússia organizou uma visita de imprensa para jornalistas ocidentais.

Controlar este território é um objetivo estratégico que pretende estabelecer uma ligação por terra até à Crimeia.

"Não houve combates em Berdyansk pelo que toda a infra-estrutura da cidade foi preservada. Neste momento, encontra-se aqui a Administração Civil-Militar. Encontramo-nos numa fase de transição, da Ucrânia para a Rússia", afirma Alexander Saulenko, o novo chefe da administração pró-Rússia em Berdyansk.

Situação idêntica na cidade de Melitopol igualmente sob controlo das forças russas.

Moscou já controla a administração local que se esforça por criar uma aparência de normalidade.

"Todas as tropas ucranianas abandonaram a cidade. Só ficou a polícia para guardar a cidade, e é só isso. E se as tropas tivessem ficado, teria sido como Mariupol", afirma Svetlana Klimova, antiga funcionária num posto de abastecimento de combustível.


Receio que a Terceira Guerra Mundial esteja prestes a começar

Olga Chernenko 

Refugiada ucraniana de Mariupol

 

Antigo trabalhador portuário, Valery Berdnik, adianta "esperei pelos russos todos os dias. Quando soube (da chegada dos russos), fiquei tão feliz que tinha lágrimas nos olhos". 

Olga Chernenko é uma refugiada oriunda de Mariupol, ela manifesta sentir medo pelo que pode vir.

"Receio que a Terceira Guerra Mundial esteja prestes a começar. Porque se forem fornecidas armas à Ucrânia, a Rússia retaliará com ataques, e quem sabe como isto pode acabar, é muito assustador", afirma.

Apesar dos esforços para um rápido regresso à normalidade, a situação está longe de gerar um consenso alargado. No terreno, as opiniões permanecem divididas.


UE reforça apoio militar à Moldávia 


A União Europeia vai "aumentar significativamente" o apoio militar à Moldávia. Anúncio feito esta quarta-feira pelo presidente do Conselho Europeu. Charles Michel reuniu-se com a presidente moldava em Chisinau, a uns escassos 60 quilómetros da Transnístria, a região separatista do país que faz fronteira com a Ucrânia.

"A União Europeia é totalmente solidária consigo e com a Moldávia. É nosso dever europeu ajudar o vosso país e aumentar o nosso apoio à vossa estabilidade, segurança, integridade territorial e soberania. Este ano, planeamos aumentar significativamente o nosso apoio à Moldávia, fornecendo às forças armadas mais equipamento militar," declarou o presidente do Conslho europeu numa conferência de imprensa com Maia Sandu.

Há cerca de duas semanas, um general russo declarou que a intenção de controlar todo o sul da Ucrânia também se destina a criar um corredor em direção à Transnístria. A declaração surgiu no dia em que a Moldávia submeteu parte do questionário para a adesão à União Europeia.

Os militares russos são uma presença constante na região separatista moldava desde o acordo de cessar fogo em 1992. Uma auto designada missão de paz que devia ter terminado seis anos depois.

Nota do editor do blog: muito conveniente uma propagandista na forma de refugiada ficar suscitando uma Terceira Guerra Mundial, em um contexto de desabastecimento real, e de crise energética, no qual a Rússia e seu gás estão no centro. Se há propaganda, ela está dos dois lados da trincheira. 

Artigos recomendados: Rússia e Moldávia


Fonte:https://pt.euronews.com/2022/05/04/russia-reforca-presenca-nas-cidades-ocupadas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...