8 de set de 2018

A Lituânia pede para o Walmart parar de vender roupas com símbolos soviéticos




RFEL, 08 de setembro de 2018 



A Lituânia está pedindo ao Walmart, gigante do varejo norte-americano, que pare de vender roupas com símbolos soviéticos da foice e o martelo, que, segundo ela, insulta as vítimas da perseguição na era soviética. 

Você não compraria roupas com tema nazista, não é?” A ministra das Relações Exteriores do Estado Báltico, Linas Linkevicius, tuitou em 07 de setembro. “Confiamos na postura moral do Walmart para atender o pedido para retirar produtos com símbolos de assassinatos em massa”. 

O símbolo da foice e o martelo é proibido na Lituânia, uma nação de 2,9 milhões que foi a primeira república a se separar da União Soviética, quando começou a desmoronar em 1990 e desde então se tornou membro da União Europeia. 

Vilnius estima que mais de 50.000 lituanos morreram em campos, prisões e durante as deportações entre 1944 e 1953, enquanto outros 20.000 foram mortos em guerrilhas anti-soviéticas. 

Alguns políticos nos estados vizinhos do Báltico, Estônia e Letônia, onde as pessoas também sofreram décadas de ocupação soviética, uniram-se ao apelo para o maior varejista do mundo parar de vender produtos com tema soviético, o que parece estar na moda atualmente. 

O embaixador da Lituânia nos Estados Unidos, Rolandas Krisciunas, disse à AFP em 07 de setembro que o Walmart não respondeu ao seu e-mail esta semana pedindo ao varejista para retirar a mercadoria. 

O Walmart tem lojas em 28 países, mas não nos estados bálticos ou em outros países que já foram dominados pela União Soviética. 

Ainda assim, grande parte de sua mercadoria está disponível online, onde o Walmart está vendendo camisetas com capuz vermelho e camisetas estampadas com o símbolo da foice e do martelo sobre a legenda “CCCP”, que significa “URSS” no alfabeto cirílico. 

Blusas como “cool” no site do Walmart custam US $ 29, 95, enquanto as camisetas custam US $ 18. 

O Walmart não comentou imediatamente o assunto, mas as diretrizes publicadas em seu site proíbem a venda de produtos relacionados a “qualquer evento histórico ou notícias” que possa ser considerado “ofensivo”. 

Em maio, a fabricante alemã de equipamentos esportivos Adidas concordou em remover uma blusa vermelha com as letras USSR e emblemas da União Soviética em sua loja online. O item estava sendo vendido antes da Copa do Mundo de futebol na Rússia. 

A Lituânia era um campo de batalha entre as tropas nazistas e soviéticas durante a Segunda Guerra Mundial. 

Foi apreendida por Moscou em 1940 sob um pacto secreto com Adolf Hitler. Em uma década, cerca de 300 mil lituanos foram deportados, principalmente para a Sibéria, ou mortos em combates insurgentes. 

A Lituânia se juntou à UE e a OTAN em 2004. 
Nota: O Walmart atualmente tem feito lobby anti-armas nos Estados Unidos. Boa parte do empresariado norte-americano se identifica com o partido democrata, que atualmente é o Partido Comunista americano sob um rótulo diferente. A empresa de varejo, ao aderir a certas agendas, demonstra toda a sua complacência. Mesmo que aleguem ser por motivos altruístas, isso não muda o fato de que é parte da agenda de um grupo maior, e que esse grupo tem objetivos eminentemente marxistas. A ignorância histórica poderia ser alegada, mas o Walmart não tem demonstrado que é essa a questão. E muito além de ser sobre controle de armas, isso vai muito além, para outras questões ainda mais letais para a liberdade dos cidadãos americanos. 
Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...