7 de mai de 2018

“Centros de Prevenção de Overdose” de Nova York permitirá que os próprios viciados tomem conta da supervisão médica




Dailywire, 07 de maio de 2018. 






As fundações da Open Society de George Soros ajudaram a lançar o esforço em 2015. 

O prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio (D), anunciou recentemente planos para abrir quatro locais de injeção supervisionados, onde os usuários de drogas ilegais podem aplicar sua doses sem medo de serem presos, enquanto profissionais médicos aguardam para evitar que tenham overdoses fatais. 

Os Centros de Prevenção de Overdoses propostos seriam espaços de consumo seguro onde os toxicodependentes podem autoadministrar narcóticos pré-obtidos [eufemismo para comprados dos traficantes], tais como heroína, OxyContin e outros opiáceos. Os profissionais de saúde treinados não ajudariam diretamente com as injeções, mas forneceriam suprimentos para injeções estéreis aconselhando os usuários sobre práticas de injeção seguras, monitorariam suas reações aos medicamentos e administrando medicamentos que poderiam neutralizar as overdoses. Os centros também forneceriam acesso a uma variedade de serviços sociais, como conectar usuários de drogas a programas que poderiam ajudá-los a largar o vício. 


A epidemia de opióides já matou mais pessoas em nossa cidade do que acidentes de trânsito e homicídios combinados”, de Blasio, disse em um comunicado divulgado quinta-feira. “Depois de uma revisão rigorosa de esforços semelhantes em todo o mundo, e após cuidadosa consideração de especialistas de saúde pública e segurança, acreditamos que os centros de prevenção de overdoses salvarão vidas e levarão mais nova-iorquinos ao tratamento necessário para vencer esse vício mortal”. 

Dados preliminares indicam que houve mais de 2.800 mortes por overdoses na cidade de Nova York nos últimos anos. Autoridades de saúde afirmam que os locais de injeção reduziram as mortes, diminuíram as mortes, e o risco de transmissão de doenças infecciosas bem como o consumo de drogas. 

Nós perdemos pessoas em suas casas, em seus porões, no banheiro de um McDonalds ou um Starbucks sozinhas sem ajuda”, disse Blasio à Rádio WNYC. “Isso não pode continuar. Centros de prevenção de overdose nos dão uma chance de realmente mudar isso”. 

O plano prevê que a cidade estabeleça dois locais de injeção em Manhattan, um no Brooklyn e outro no Bronx. Todos os quatro locais propostos são “centros de troca de agulhas” existentes, onde os usuários de drogas podem trocar agulhas de seringas usadas por limpas. Grupos sem fins lucrativos autorizados financiariam e operariam os locais, mas essas organizações ainda não foram identificados publicamente. 

Vários promotores distritais devem apoiar a proposta de Blasio para proteger aqueles que operam os centros de processos judiciais, criando assim uma atmosfera convidativa para a clientela que quebra a lei. A cidade também precisava da aprovação da Secretaria Estadual de Saúde, que responde ao governador Andrew Cuomo (D), que será [provavelmente] reeleito no final deste ano. Cuomo disse na sexta-feira que o pedido de autorização será analisado de perto. Se aprovado, a cidade começaria um período de divulgação para os bairros previstos para abrigar as instalações de injeção antes de iniciar um programa piloto [teste] de um ano. 

No entanto, de Blasio pode enfrentar a intervenção das agências federais, como a Drug Enforcement Administration (DEA). 

As instalações de injeção supervisionadas, ou os chamados locais de injeção segura, violam a lei federal”, disse a porta-voz da DEA, Katherine Pfaff, ao BuzzFeed News em fevereiro. “Qualquer felicitação do uso de drogas ilícitas é considerada uma violação da Lei de Substâncias Controladas e, portanto, sujeita a ação legal”. 

Os opositores argumentam que os locais de injeção promoverão o uso de drogas ilegais, enquanto o representante do Senado dos EUA Dan Donovan (R-Staten Island / Brooklyn) chamou a proposta de “insanidade liberal” que “nos leva longe demais”. Suas comunidades estão participando de uma atividade ilegal. 

Para os policiais, a ideia de permitir conscientemente o uso de drogas é algo difícil de aceitar”, disse o tenente John Grimpel, porta-voz do Departamento de Polícia de Nova York (NYPD). “Mas a missão do NYPD é impedir que pessoas morram, seja por crimes violentos, colisões de veículos ou overdoses de drogas. À medida que esses centros de prevenção a overdoses se tornarem realidade, a meta é garantir que essas instalações – e os bairros ao seu redor – sejam seguros e livres do tráfico de drogas e que a qualidade de vida seja preservada”. 

O esforço para criar locais de consumo em Nova York começou em 2015 em uma prefeitura organizado pela Open Society Foundations (OSF) de George Soros. Uma coalizão de grupos de reforma da saúde e da justiça criminal formou a Safe Injection Facilities NYC (SIF NYC) “para a saúde, segurança e dignidade das pessoas que injetam drogas”. A campanha foi liderada pela Drug Policy Alliance (DPA) que recebeu uma doação de US $ 50 milhões por dez anos da OSF até  2012 "para fazer avanços na reforma da políticas de drogas".  Soros participa do conselho de diretores da DPA. Uma porta-voz da organização disse ao The Daily Wire que não tem planos de financiar ou administrar nenhum dos locais de injeção propostos. Atualmente, essas instalações não operam nos Estados Unidos, embora funcionários da Filadélfia, San Francisco e Seattle tenham trabalhado para implementar políticas semelhantes à proposta do prefeito de Blasio. Globalmente, aproximadamente 100 locais de injeção estão operacionais em nove países: Suíça, Alemanha, Holanda, Noruega, Luxemburgo, Espanha, Dinamarca, Austrália e Canadá. 

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...