8 de jun de 2017

O Estado Islâmico ameaça fazer uma investida terrorista nos Bálcãs




Balkan Insight, 08 de junho de 2017. 



O grupo autodenominado Estado Islâmico prometeu decapitar “infiéis” e matar os sérvios, os croatas e os “traidores” muçulmanos nos Bálcãs em uma nova ameaça à região, publicada na versão bósnia da revista dos jihadistas. 

Não, nós juramos por Alá, não nos esquecemos dos Bálcãs”, a versão bósnia da revista do Estado Islâmico advertiu, quando a organização terrorista emitiu uma nova ameaça para a região. 

Em um artigo intitulado “Os Bálcãs – Sangue para Inimigos e mel para os Amigos”, o grupo terrorista islâmico ameaçou diretamente os sérvios e os croatas por seu papel na guerra dos Bálcãs, bem como para os “traidores”  muçulmanos da fé islâmica. 



Logo, os soldados do califado atravessarão Belgrado, Zagreb, Sarajevo, Tirana, Pristina, Skopje e outras cidades, arrancando as cabeças e derramando sangue de infiéis”, alertou. 

Os jihadistas advertem que eles não esqueceram que os sérvios e croatas lutaram contra os muçulmanos da Bósnia na guerra de 1992-95. 

Vocês pensaram que quando voltassem para casa, com suas mãos manchadas do sangue dos muçulmanos, tudo estaria acabado?”, perguntou o grupo terrorista antes de avisar que a guerra dos anos 90 era o começo do fim. 

O artigo continua dizendo que todos os traidores da fé islâmica na Bósnia, na região Sandzak da Sérvia, na Albânia, no Kosovo e na Macedônia serão “exterminados” com “sabres e punhais”, a menos que eles retornem ao Islã. 

Seu sangue é mais caro e mais doce para nós do que os dos sérvios e croatas”, diz os autores do artigo também fazendo referência aos ataques ligados ao Estado Islâmico na Grã-Bretanha, França, Alemanha e nos Estados Unidos; países a quem se referem como sendo mais fortes do que os dos Bálcãs, mas ainda estando indefesos. 

Eles dizem também que o Estado Islâmico transformou esses países de potestades jubilosas em nações humilhadas e assustadas.  

Não pense que estão seguros e preparados”, advertem. 

A versão bósnia da revista do Estado Islâmico, desde setembro do ano passado, vem justificando os ataques perpetrados pelo grupo em todo o mundo. 

A revista foi publicada em várias línguas, incluindo Árabe, Inglês, Turco, Alemão e Francês, pelo braço de mídia do Estado Islâmico o Al-Hayat. Seu nome significa 'Roma' e é pensado como sendo usado para aludir à queda do Império Romano. 

Goran Kovacevic, professor da Faculdade de Criminologia e Estudos de Segurança da Universidade de Sarajevo, disse ao BIRN em novembro passado que o objetivo da revista é atrair muçulmanos bósnios pobres e desempregados. 

De acordo com dados oficiais, a Bósnia é um dos principais exportadores regionais de jihadistas para o Oriente Médio. 

Artigos recomendados: 



Nenhum comentário:

Postar um comentário