6 de set de 2016

Suécia – a polícia investiga uma nova explosão no inquieto subúrbio de Gotemburgo

Uma foto de arquivo de um cordão policial.


The Local SC, 06 de setembro de 2016. 



A polícia sueca está a investigar uma explosão em um apartamento no subúrbio de Gotemburgo, apenas duas semanas depois que um menino de oito anos de idade foi morto quando uma granada foi atirada em um prédio na mesma área. 

Ninguém ficou ferido na explosão recente, que ocorreu na segunda-feira à noite. 

“Isso começou na noite de domingo, quando algumas pessoas chamaram-nos e disseram ter ouvido um estrondo na área”, pressionado explicava o porta-voz Christer Fuxborg à agência de notícias TT. 

“Nós não encontramos nada naquela época, mas na segunda-feira uma pessoa que trabalha na área encontrou fragmentos de vidro”, acrescentou. 

Uma testemunha disse ao jornal Goteborgs-Posten afirmando que um grande buraco tinha sido feito dentro da varanda do apartamento e as janelas tinham sido quebradas. 

Policiais e peritos em bombas investigaram o local durante toda a segunda-feira, e disseram que o incidente foi classificado inicialmente com tentativa de homicídio. 

Um homem idoso que estava no prédio no momento ficou em estado de choque com o evento, e a polícia acredita que o ataque pode ter sido equivocadamente lançado contra o apartamento errado. 

“É possível que a explosão tinha por objetivo atingir alguém que não seja o homem que vive neste endereço, porque essa pessoa é completamente conhecida por nós”, disse o porta-voz da polícia Peter Aldersson ao Goteborgs-Posten

As autoridades não descartaram a possibilidade de o incidente estar ligado ao prolongado conflito entre quadrilhas na área que custou a vida de uma criança britânica no mês passado. 

O menino de oito anos Yuusuf Warsame de Birmingham, Reino Unido estava visitando Biskopsgarden com sua família quando foi morto por uma granada

O professor de criminologia Jerzy Srnecki disse ao The Local que a morte da criança, bem como o tiroteio de alto perfil em um restaurante na área em 2015, são partes de “ciclos de violência” beligerantes de gangues no subúrbio. 

[Violência islâmica, só para acrescentar]. 


Artigo recomendado:



Nenhum comentário:

Postar um comentário