8 de set de 2016

O Hezbollah se muda para o sul da Síria, para o outro lado da fronteira de Israel




Time of Israel, 08 de setembro de 2016. 






IDF diz que está acompanhando e “preparado para qualquer cenário”, conforme o grupo xiita se posiciona na porta ao lado. 

Combatentes do Hezbollah estão se preparando para se mudar para o sul da Síria se locomovendo para uma montanha que faz fronteira com Israel e Golan, informou a mídia estatal iraniana segunda-feira. 

O Hezbollah tem implantado um grande número de suas forças em Quneitra passagem que tem ligados os territórios sírios a Golã”, fontes anônimas disseram a agência de notícias semioficial Fars. 

Segundo as fontes, os combatentes do Hezbollah estão fazendo parte de uma operação “antiterrorismo” com o exército do governo sírio de Bashar Al-Assad para combater os vários grupos militantes localizados nas Colinas sírias de Golã. 

O IDF não quis comentar especificamente sobre os relatórios que dizem que o Hezbollah estaria tomando posições perto da fronteira com Israel, mas disse que “acompanha de perto todas as fronteiras de Israel, incluindo no norte, e continua preparado para qualquer cenário.”

O exército sírio, a Frente Fateh Al-Sham e o exército Khalid ibn al-Walid estão travando uma guerra sangrenta no sul da Síria, que por vezes se espalha para o território israelense. 

A Frente Salafista Fateh al-Sham, uma filial da Al-Qaeda, é o novo nome do grupo anteriormente conhecido como Frente al-Nusra. 

O grupo mudou seu nome em 28 de julho, o mesmo dia em que foi reconhecido como uma organização terrorista pelos Estado Unidos e o Irã. No dia seguinte, a Rússia se junto a eles ao declara-los terroristas e no dia seguinte, as Nações Unidas seguiram o exemplo. [Grande coisa!]. 

Da mesma forma, o Exército Khalid ibn al-Walid é outro sucessor de uma organização terrorista que estava operando fora das Colinas sírias de Golã, nos últimos meses: a Brigada dos Mártires Yarmouk. 

Em maio, um afiliado do Estado Islâmico, a Brigada dos Mártires Yarmouk fundiu-se com outros dois, que são os menores grupos na área, o Movimento Muthanna Islâmico e o Exército do Jihad, para formar o Exército Khalid ibn al-Walid. 

“Os combatentes sírios do Exército do Hezbollah têm vindo a trabalhar em um plano conjunto para acabar com a militância no sul da Síria, especialmente perto das Colinas de Golã”, disseram as fontes da Fars. 

Uma tentativa por parte dos Estados Unidos e da Rússia para mediar um acordo de paz parcial na Síria fracassou nesta semana, embora ambos os lados disseram que estavam comprometidos a continuar os esforços. 

Washington e Moscou apoiam lados opostos no conflito de cinco anos, que matou mais de 300.000 pessoas e obrigou milhões de pessoas a fugir. 

Artigo recomendado:



Nenhum comentário:

Postar um comentário