15 de nov. de 2022

Colômbia – o colombianos estão 25% mais pobres hoje desde que Petro se tornou presidente




LDD, 11/11/2022 



O preço do dólar saltou 1.300 pesos desde que a esquerda conquistou a vitória eleitoral definitiva em junho. A desvalorização colombiana está entre as mais acentuadas da região, atrás apenas da Argentina e da Venezuela. 

A vitória do presidente Gustavo Petro na Colômbia desencadeou o pânico e o ceticismo dos investidores sobre os rumos futuros da economia. Diante de um discurso antiempresarial e antiexportador, o principal meio de resseguro para os mercados foi o refúgio em moedas e ativos confiáveis. 

Desde junho passado, o peso colombiano acumulou uma desvalorização drástica de até 25%, o preço do dólar subiu de 3.700 para 5.000 pesos colombianos. A renda média dos colombianos está diminuindo em relação à quantidade de dólares que eles podem comprar, o que implica que o país se torna relativamente pobre em comparação com as economias desenvolvidas e os Estados Unidos em particular. 

Junto com outros países da região, a Colômbia se caracterizou por ter mantido instituições sólidas ao longo das últimas décadas, fato que deu lugar à estabilidade monetária. A desvalorização de 25% em apenas 6 meses é inédita para um país estável. 

A Colômbia registrou um dos saltos cambiais mais violentos do Hemisfério Ocidental desde 19 de junho passado, atrás apenas da Argentina e da Venezuela (esta última medida pela taxa estritamente oficial). 

Os mercados reagem ao pânico devido a dois fatos fundamentais: o ataque sistemático do novo governo ao sistema previdenciário de capitalização e a deterioração dos direitos de propriedade no país. 

O sistema de capitalização colombiano constitui a fonte necessária entre a poupança doméstica (em moeda local) e o crédito a empresas e famílias. A reforma previdenciária de Petro ameaça o sistema de poupança privada e deteriora os incentivos para a demanda por pesos colombianos. 

Por outro lado, o discurso “antiextrativista” questiona os direitos de propriedade no país e sugere um retrocesso para os principais produtos de exportação da Colômbia, principalmente commodities.

A desconfiança também pode ser observada do ponto de vista da sustentabilidade da dívida pública colombiana. O índice JP Morgan Country Risk subiu de 725 pontos base em 18 de junho para 1.141 pontos hoje, atingindo um máximo de 1.280 pontos em 20 de outubro. 

O "efeito Petro" sobre os colombianos implica que o país seja obrigado a pagar um aumento de 4% na sobretaxa que deve pagar acima da taxa de juros internacional pelos serviços da dívida, chegando assim a uma sobretaxa total de 11,4% atualmente. 

Embora com uma ordem de magnitude drasticamente menor, o efeito Petro foi semelhante ao que causou a vitória kirchnerista na Argentina durante o mês de agosto de 2019 .

Artigos recomendados: Colômbia e Moeda


Fonte:https://derechadiario.com.ar/latinoamerica/latinoamerica_colombia/hoy-los-colombianos-son-un-25-mas-pobres-desde-que-petro-llego-a-la-presidencia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...