5 de out. de 2022

O governo de oposição de Joanesburgo desmorona; partido marxista racista pode governar a África do Sul

O comunista e supremacista negro, Julius Malema




BTB, 04/10/2022 



Por Joel B Pollak 



A cidade de Joanesburgo, na África do Sul, que era governada por uma coalizão da oposição desde as eleições municipais do ano passado, viu seu governo desmoronar no fim de semana, um sinal de que o país pode ser liderado por um partido racista de esquerda após as eleições de 2024.

A liberal Aliança Democrática (DA), o maior partido de oposição do país, fez avanços constantes nas áreas urbanas nas últimas duas décadas. No ano passado, conseguiu assumir a conturbada cidade de Joanesburgo, instalando o médico Mpho Phalatse como prefeito.

Joanesburgo, o centro económico do país e a metrópole industrial mais importante do continente africano, sofreu nos últimos anos uma elevada criminalidade e um declínio dos serviços públicos. O partido no poder do país, o Congresso Nacional Africano (ANC), é amplamente visto como corrupto e incompetente, usando o poder político para financiar sua rede de patronagem e negligenciando as funções básicas do governo. O DA governou com sucesso na Cidade do Cabo e espera empurrar o ANC abaixo do limite de 50% nas eleições gerais de 2024.

Mas o DA enfrentou um desafio de outro partido de oposição em ascensão, o Economic Freedom Fighters (EFF), um partido militante, racista e socialista liderado pelo ex-líder da juventude do ANC Julius Malema, conhecido por usar vermelho e por sua atitude incendiária e  retórica anti-branca.

Na sexta-feira passada, o ANC conseguiu dividir a frágil coalizão através da qual o DA governava Joanesburgo quando dois outros pequenos partidos - COPE e ActionSA, formados por membros descontentes do ANC e DA, respectivamente - votaram contra a coalizão do DA.

Isso permitiu que o ANC instalasse seu próprio prefeito, Dada Morero, e derrubasse a estratégia política mais ampla do DA, que tem sido convencer os eleitores sul-africanos de que pode ser confiável para liderar governos de coalizão eficazes se o ANC for deposto do poder em 2024.

O resultado, alertam os analistas políticos Ray Hartley e Greg Mills, é que o EFF, e não o DA, pode acabar governando em uma coalizão após as eleições de 2024, permitindo que o ANC minoritário permaneça no poder e enviando a África do Sul em uma espiral íngreme para destruição.

Com a EFF no governo, dizem eles, Malema poderia ser vice-presidente; o governo poderia confiscar terras agrícolas de propriedade de brancos sem compensação, como o Zimbábue fez em 2000; e o Estado poderia nacionalizar a indústria privada, entre outras mudanças radicais.

Enquanto isso, como Joanesburgo e grande parte do resto do país sofrem frequentes faltas de eletricidade, juntamente com pobreza severa e desigualdade econômica, a mídia e a elite intelectual da África do Sul se ocupam com obsessões do Primeiro Mundo, como as mudanças climáticas.

Artigos recomendados: Malema e África


Fonte:https://www.breitbart.com/politics/2022/10/04/johannesburgs-opposition-government-collapses-racist-marxist-party-could-govern-south-africa/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...