16 de jun. de 2022

O conselheiro presidencial que apresentou Epstein a Clinton encontrado morto por enforcamento e com um tiro no peito

Mark Middleton



VC, 14/06/2022 



Mark Middleton, o conselheiro presidencial que apresentou Jeffrey Epstein a Bill Clinton, foi encontrado morto enforcado com cabo de extensão barato... e com um ferimento de bala no peito. Sua morte foi considerada um suicídio. Alguns meses antes, uma mulher ligada a Middleton foi encontrada morta usando uma extensão semelhante. Há algo sinistro acontecendo aqui.

Como vocês provavelmente sabem, Jeffrey Epstein era um traficante de crianças bilionário cuja prisão, encarceramento e julgamento altamente antecipado em 2019 ameaçaram expor as tendências doentias da elite. Os registros de voo de seu infame Lolita Express (o jato particular usado para transportar hóspedes e vítimas para a ilha particular de Epstein) é quem é quem da elite global: políticos, celebridades, cientistas, financistas, membros de famílias reais, etc. as pessoas embarcaram no Lolita Express e possivelmente se envolveram em atos indescritíveis com as jovens vítimas que foram traficadas por Epstein ao longo dos anos. Bill Clinton embarcou naquele avião mais de 20 vezes.

Mas esse julgamento tão esperado nunca aconteceu. Epstein foi encontrado morto em sua cela em circunstâncias misteriosas . E, desde então, vários indivíduos próximos de Epstein também morreram em circunstâncias misteriosas. Por exemplo, em 2020, o produtor de Hollywood Steve Bing (que era próximo de Jeffrey Epstein e Bill Clinton) morreu depois de cair do 27º andar de seu prédio. Embora a causa oficial da morte seja “suicídio”, alguns afirmam que ele foi morto “estilo máfia russa” porque sabia demais (leia meu artigo sobre ele aqui).

Em fevereiro passado, Jean-Luc Brunel – o agente de moda que conseguiu mais de 1.000 garotas para Epstein – foi encontrado morto enforcado em sua cela. Mais uma vez, a causa oficial da morte foi considerada suicídio. Mais uma vez, os observadores acreditam que ele pode ter sido morto porque sabia demais.

E essa lista de mortes bizarras continua crescendo. Em 7 de maio, o ex-assessor presidencial de Bill Clinton, Mark Middleton, foi encontrado morto nas circunstâncias mais bizarras.

Cabo de extensão

Mark Middleton no site de sua empresa HVAC


Mark Middleton foi ex-assessor presidencial de Bill Clinton e diretor financeiro de sua campanha presidencial. Diz-se que ele apresentou Clinton a Jeffrey Epstein ao convidar pessoalmente o bilionário pelo menos sete vezes para a Casa Branca. Middleton também embarcou no jato de Epstein várias vezes.

Apesar da grande influência de Middleton sobre o presidente, sua carreira na Casa Branca terminou com uma nota amarga.

Middleton deixou a Casa Branca em fevereiro de 1995 e foi acusado de se estabelecer como um negociador internacional, exatamente o tipo de pessoa que atrairia Epstein."

Em 1996, uma investigação da Casa Branca descobriu que Middleton havia abusado de seu acesso para impressionar clientes empresariais e ele foi impedido de entrar na mansão executiva sem a aprovação dos superiores.

Daily Mail, o conselheiro da família de Bill Clinton que admitiu Jeffrey Epstein na Casa Branca sete vezes bloqueou a liberação de arquivos detalhando a cena da morte

Em 7 de maio de 2022, Middleton morreu repentinamente aos 59 anos. Ele foi encontrado pendurado em uma árvore com uma extensão de cabo barata do tipo Dollar Store em volta do pescoço e um ferimento de bala no peito. Segundo as autoridades, Middleton invadiu o Heifer Ranch (localizado a cerca de 30 milhas de sua casa) e usou uma mesa para construir forcas improvisadas.

O xerife do condado de Perry, Scott Montgomery, disse ao Daily Mail:

Eu não conheço o homem, e não sei por que ele escolheu nosso condado ou escolheu aquele local para cometer suicídio. Até onde sabemos, ele nunca esteve lá antes, e não temos registro de que ele tenha estado lá antes.

Ele morreu de um tiro de espingarda auto-infligido no peito. Ele encontrou uma árvore e puxou uma mesa para lá, e subiu naquela mesa, e pegou uma extensão e colocou em um galho, colocou em volta do pescoço e deu um tiro no peito com uma espingarda.

Ficou muito evidente que a espingarda funcionou porque não havia muito sangue nem nada no local. Você pode dizer que o tiro de espingarda foi no peito dele, você pode dizer isso porque há um buraco no peito e as balas saíram pelas costas dele. Foi definitivamente auto-infligido em nossa opinião.”

Segundo o xerife, Middleton estava “deprimido”.

Apesar de muitas perguntas sem resposta, a morte foi rapidamente determinada como suicídio. Além disso, o xerife deixou de falar com a imprensa devido ao fato de a família Middleton entrar com uma ação judicial impedindo a divulgação de informações sobre este caso. O processo afirma que a família tem “um interesse de privacidade em impedir que quaisquer 'fotografias, vídeos, esboços (ou) outro conteúdo ilustrativo' da cena da morte sejam divulgados”, alegando que esse material levaria a “estranhos e dolorosos artigos ofensivos sem respaldos sendo publicados online”.

Esse processo não impediu que pessoas próximas a Middleton expressassem suas preocupações. Um parceiro de negócios de Middleton está agora pedindo uma investigação independente, pois não pode acreditar que o homem cometeu suicídio. Em entrevista ao RadarOnline, o associado afirmou:

Todo mundo que eu conheço aqui, que trabalhou com Mark, sabe que é fisicamente impossível para Mark se matar.”

O associado também afirmou que Middleton lidava com empresas próximas aos Clintons.

Middleton estava ativamente envolvido em investimentos financeiros com os mesmos personagens de Little Rock que supostamente trabalharam com John Glasgow, o diretor financeiro da CDI Contractors Inc., a empresa líder que construiu a biblioteca Clinton.

Glasgow desapareceu sem deixar vestígios em 2008 depois de relatar irregularidades financeiras com os custos de construção da biblioteca Clinton e seus restos mortais foram encontrados no Petit Jean State Park em 2015. Sua causa de morte é indeterminada.

– Ibidem.

Embora essa história já seja incrivelmente suspeita, ela fica pior. Uma mulher ligada a Middleton foi encontrada morta em um rio com uma extensão (cabo) similar.

Ashley Haynes



Haynes era mãe de dois filhos do subúrbio de Little Rock de Maumelle. Ela desapareceu em 12 de janeiro, depois de deixar um bilhete no balcão da cozinha dizendo “na água, amo todos vocês”.

Após uma busca massiva, seu cadáver foi descoberto quatro dias depois por um amigo da família… submerso em 3 metros de água. O relatório da polícia afirmou:

"Sra. Haynes tinha uma bolsa amarrada à perna com uma extensão (cabo) verde. Dentro da bolsa havia um grande bloco de concreto que media 16x16x4.

Mais uma vez, as pessoas próximas a Haynes não podem acreditar que essa mulher cometeu suicídio em tal contexto.

Uma fonte próxima a Haynes, que trabalhou para um grupo de caridade para alimentar e vestir os sem-teto, disse a Radar que a ex-modelo de 110 libras que se tornou professora de ioga, nunca teria tirado a própria vida – muito menos usando um pedalinho até o rio carregando bloco de concreto de 58 libras, para cometer suicídio!

Não fazia sentido, ela nunca se mataria”, disse a fonte de Haynes. “Quando soube que ela havia desaparecido, soube instantaneamente que era um jogo sujo. Não acredito que ela tenha se matado. Como ela poderia remar rio abaixo com um bloco de concreto!

– Ibidem.

Meses antes, Haynes foi vista no escritório de Mark Middleton para discutir um assunto urgente.

Eu a vi no escritório de Mark!” o associado de negócios diz RadarOnline.com. “Eu estava saindo e ele (Middleton) estava me dizendo que tinha uma reunião financeira muito importante – e essa é a mulher que entrou!”

Não sei se há alguma conexão lá ou não, mas sei que foi chocante para mim ouvir que ela se afogou enquanto remava no rio Arkansas”, disse a fonte. “Então Mark morre misteriosamente alguns meses depois?

– Ibidem.

Assim como Middleton, Haynes foi considerada “deprimida” e sua morte foi determinada como “suicídio” pelos investigadores, embora nenhum deles tenha deixado uma nota de suicídio.

Para concluir

Semanas antes da morte de Jeffrey Epstein, escrevi que ele poderia acabar “suicidado” porque seu julgamento poderia expor alguns dos segredos obscuros da elite global. Desde então, várias pessoas proeminentes ligadas a Epstein e Clinton parecem ter sido “suicidadas” também. Quando se analisam as circunstâncias que cercam cada morte, surge um padrão: nenhuma nota de suicídio, nenhuma investigação aprofundada e pouca ou nenhuma cobertura da mídia.

A morte de Mark Middleton se encaixa nesse padrão. O homem que apresentou Epstein a Clinton foi encontrado enforcado com um ferimento de bala no peito… e foi rapidamente considerado suicídio. Além disso, qualquer tipo de investigação relacionada ao caso foi interrompida.

Apesar desse fato, há um detalhe muito importante que sugere fortemente que não seja um suicídio: o uso de um cabo de extensão da loja Dollar. Por que alguém que insiste em cometer suicídio por enforcamento usaria uma extensão de plástico barata em vez de uma corda de verdade? Além disso, por que uma mulher modelo de 100 libras usaria o mesmo tipo de cabo de extensão para prender sua perna a um bloco de concreto de 58 libras? Simplesmente não bate.

Se esses dois indivíduos foram realmente “suicidados”, o fio (cabo) de extensão se torna uma espécie de código deixado pelos executores. Primeiro, esse conexão bizarra liga as duas mortes em uma questão bastante inequívoca. Além disso, o próprio cabo de extensão pode simbolizar o motivo pelo qual eles foram “suicidados”. Talvez seja porque ambos estavam muito perto do... poder.

Nota do editor do blog: Jeffrey Epstein foi um figurão ligado a uma série de atores importante nas finanças, na política, na Big  Tech, na indústria e no entretenimento de modo geral. Ele era um financista e entusiasta do desenvolvimento científico e tecnológico, e financiou vários projetos envolvendo engenharia genética. Foi descoberto que ele era um pedófilo, e aliciador, mas suas conexões com figuras do mais alto-escalão que conviviam com ele e suas práticas criminosas é o que chama mais atenção. Entre esses que conviviam com ele, estavam Bill Gates e Bill Clinton. Epstein doou dinheiro para uma série de cientistas e universidades que acreditavam em tudo, menos em ética, e defendiam experimentos e todo o tipo de adulteração genética em nome da Ciência. O próprio Epstein era um eugenista fanático, e colocou em prática suas ideias eugênicas, principalmente em sua fazenda de mulheres, as quais ele mantinha para procriar. Sua morte envolta em mistério suscitou muitos a perceber o quanto a elite está fazendo de tudo para acobertar suas verdadeiras práticas, e como a mídia tem se esforçado para esfumaçar o caso Epstein, e dar atenção a quaisquer outros temas irrelevantes. O caso Epstein foi longe ao ponto de atingir até a infame família real britânica, através do seu príncipe, Andrew, que apesar de ter feito muitas viagens a ilha e Epstein, conseguiu se safar por meio de acordos com uma das vítimas, mas não o suficiente para recuperar sua honra perante a coroa. Enfim., este é um caso que vale a pena acompanhar. Assista ao vídeo do Felipe Folgosi para maior entendimento sobre o tema.

Artigos recomendados: IDDG e EGS


Fonte:https://vigilantcitizen.com/latestnews/the-extension-cord-code-the-mysterious-death-of-the-presidential-advisor-who-introduced-jeffrey-epstein-to-bill-clinton/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...