4 de jun. de 2022

Mulher recebe transplante de orelha feito com suas células em uma impressora 3D




LP, 03/06/2022 



O tecido foi cultivado em laboratório até estar pronto para ser implantado no paciente.

Pela primeira vez, uma orelha humana criada a partir de células de uma mulher foi implantada graças a uma impressora 3D, anunciou nesta quinta-feira uma equipe médica norte-americana.

Esta operação foi realizada no âmbito de um ensaio clínico destinado a avaliar a segurança e eficácia de tal implante para pessoas afetadas por microtia, cujo ouvido externo não se desenvolveu corretamente.

AuriNovo, nome do implante, foi desenvolvido pela empresa 3DBio Therapeutics e a operação foi realizada por Arturo Bonilla, fundador de um instituto especializado no tratamento dessa malformação, em San Antonio, Texas.

Como médico que tratou milhares de crianças afetadas pela microtia em todo o país e no mundo, estou entusiasmado com essa tecnologia e o que ela pode significar para os pacientes e suas famílias”, disse o cirurgião, citado em comunicado da empresa.

O procedimento é realizado com células de cartilagem da sua orelha, que são então cultivadas para obter uma quantidade suficiente e misturadas com um hidrogel de colágeno. A referida mistura é utilizada para imprimir o implante.

Este é cercado por uma capa impressa biodegradável, que é absorvida pelo corpo do paciente ao longo do tempo.

A orelha transplantada deve desenvolver a aparência de uma orelha natural, incluindo sua elasticidade.

O ensaio clínico compreende um total de 11 pacientes na Califórnia e no Texas.

Dr. Bonilla disse esperar que este implante possa um dia substituir os tratamentos existentes, que envolvem a criação de uma prótese a partir da extração de cartilagem de uma costela ou uma substância chamada polietileno poroso.

A primeira solução é um procedimento pesado e o implante de polietileno poroso é menos flexível do que o testado hoje, explicou.

Cerca de 1.500 bebês sofrem de microtia a cada ano nos Estados Unidos, de acordo com a empresa.

Se não tiverem problemas de saúde, essas crianças podem viver normalmente; no entanto, alguns suportam mal o olhar de outros sobre essa malformação.

Entre os fatores que podem aumentar os riscos de microtia estão diabetes na mãe e uma dieta materna pobre em carboidratos e ácido fólico.

Os implantes impressos em 3D também podem ser usados ​​para outras condições relacionadas à cartilagem, como defeitos ou lesões no nariz, reconstruções mamárias ou meniscos danificados no joelho.

Artigos recomendados: impressoras3D e Alimentos


Fonte:https://larepublica.pe/ciencia/2022/06/03/mujer-recibe-trasplante-de-oreja-fabricada-con-sus-celulas-en-una-impresora-3d/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...