13 de jun de 2018

Tribunal do Arizona [mais uma vez] vota para forçar designers cristãs a criar convites para “casamento” gay

Joanna Duka e Brenna Koski



Instituto Cristão, 13 de junho de 2018 



Duas proprietárias de empresas cristãs foram informadas por um tribunal dos Estados Unidos que devem usar os seus talentos artísticos para criar convites para um “casamento” gay. 

O Tribunal de Recursos do Arizona decidiu contra as designers gráficas Joanna Duka e Brenna Koski, que dirigem uma empresa de papelaria que faz convites para casamentos e outros eventos. 

As proprietárias do Brush & Nib Studio foram acusadas de violar as leis de não discriminação em Phoenix, porque se recusaram a criar convites para casamentos entre pessoas do mesmo sexo. 


Ameaçadas

As designers gráficas lançaram uma contestação de pré-aplicação contra as leis no ano passado depois de serem ameaçadas com multa de US $ 2.500 e possivelmente prisão

Sua contestação foi rejeitada pela juíza Karen Mullins do Tribunal Superior do Condado de Maricopa em outubro e essa decisão foi agora confirmado no Tribunal de Apelações do Arizona. 

Escrevendo para o tribunal, o juiz Lawrence Winthrop decidiu que Duka e Koski “não podem discriminar potenciais clientes com base na orientação sexual”. 

Ele acrescentou que a empresa de papelaria não temdireito à liberdade de expressão da Primeira Emenda”. 

Forçadas a cumprir. 

As designers gráficas vão apelar da decisão para a Suprema Corte do Arizona com o apoio da Alliance Defending Freedom (ADF), um grupo de liberdade religiosa. 

Jonathan Scruggs, da ADF, disse: “Os artistas não devem ser forçados, sob ameaça de multas e prisão, a criar obras de arte contrárias às suas convicções centrais. A decisão do tribunal permite que o governo compile duas artistas que alegremente servem a todos para transmitir uma mensagem sobre o casamento com a qual elas não concordam. Isso contradiz as liberdades básicas que nossa nação sempre apreciou”. 

Padeiro cristão. 

Essa decisão ocorre depois de uma vitória de um padeiro cristão na Suprema Corte dos Estados Unidos na semana passada. 

Os juízes decidiram por 7-2 a favor de Jack Phillips, dizendo que ele havia sido vítima de “clara hostilidade inadmissível” por suas crenças religiosas. 

Mas o tribunal não chegou a fazer um julgamento mais amplamente aplicável com o juiz Anthony Kennedy dizendo que a questão “deve esperar uma maior aprofundamento do caso”. 

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...