24 de mai de 2018

Investigadores responsabilizam Rússia pelo ataque contra o voo MH17




Euronews, 24 de maio de 2018. 



Por Antonio Oliveira E Silva



Uma equipa de investigadores internacionais, dirigida pelo holandês Fred Westerbeke , afirma que o míssil que abateu o voo MH117 da Malaysa Airlines, teve como origem uma "unidade militar russa."

O míssel Bouk-Telar pertenceria a uma brigada anti-aérea situada em Kursk.

O voo MH17 da Malaysa Airlines foi abatido em julho de 2014, quando sobrevoava espaço aéreo ucraniano, no leste do país, controlado pelos separatistas pró-russos. Morreram 298 pessoas a bordo, a maioria das quais, passageiros holandeses.



Em setembro de 2016, os investigadores internacionais anunciaram que o míssil tinha origem russa, tendo sido transportado a partir de território da Federação, antes de ser lançado, do leste da Ucrânia.

Os rebeldes, no entanto, recusaram qualquer responsabilidade pelo ataque.

A investigação focou-se depois no trajeto utilizado pela coluna militar desde Kursk até à fronteira ucraniana, com recurso a fotografias e videos.

A investigação, coordenada por representantes dos Países Baixos, incidiu também sobre cerca de 100 pessoas, sobre as quais recaem suspeitas de envolvimento na operação - nenhum nome foi revelado pelos investigadores.

Em conferência de imprensa, os representantes da equipa de investigação disseram aos jornalistas que a o processo se encontrava na sua "fase final," mas que havia ainda muito trabalho a fazer.

A recolha de provas, explicaram os investigadores, passa agora por um período de organização, para que possam ser levadas a cabo as primeiras acusações.


Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...