13 de mai de 2018

Finlândia – A Finlândia se prepara para facilitar o reagrupamento familiar de "crianças refugiadas"

Habat Wardhere veio para a Finlândia quando ele tinha 14 anos. Ninguém sabe para onde ele está enviando o seu dinheiro ganho, provavelmente!




YLE, 11 de maio de 2018



Uma nova decisão do Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias dá às crianças refugiadas o direito de continuar o processo de reunificação familiar mesmo depois que fizerem 18 anos. 

A Finlândia vai relaxar sua política sobre jovens refugiados que se candidatam a se unirem a suas famílias, seguindo uma decisão da União Europeia. Sob as novas diretrizes, as crianças refugiadas têm direito ao reagrupamento familiar, mesmo que completem 18 anos durante o processo de inscrição. O assunto foi relatado pela primeira vez pelo Helsingin Sanomat


Até agora, a Finlândia e outros países da União Europeia encerraram o processo de reagrupamento familiar após o requerente de asilo ter atingido a idade adulta. Como a lei finlandesa não pode contradizer a legislação da União Europeia, o Serviço Finlandês de Imigração (Migri) deve mudar sua política atual

Vamos selecionar todos os casos em que a nova decisão da União Europeia se aplica e garantir que não haja inconsistências”, diz Sanna Helauriutta, da Migiri. 

No futuro, os jovens que tenham sido reconhecidos como refugiados podem solicitar o seu reagrupamento familiar se o pedido de asilo tiver sido apresentado antes dos seus 18 anos de idade. Além disso, o pedido de reagrupamento deve ser apresentado ao Migiri no mais tardar três meses após a aprovação do pedido de asilo. 

Nos últimos anos, tem sido difícil para os jovens refugiados trazerem suas famílias para a Finlândia,  com o Migiri aprovando cerca de 7% de todos os pedidos. Dos 291 pedidos de reagrupamento familiar que a Migiri recebeu entre 2011 e 2015, 21 pedidos foram concebidos. Nos últimos 12 meses, o Migiri iniciou 75 processos de reunificação familiar na Finlândia, onde os guardiões dos jovens refugiados querem se reunir com eles. 

A organização das Nações Unidas para as Crianças, UNICEF, criticou a Finlândia em março por violar os direitos das crianças requerentes de asilo, detendo-as e deportando-as para países que considera inseguros

Adolescência sem mãe. 

A nova decisão não afetará as decisões já tomadas que não podem sofrer apelação. Um desses casos é o de Habata Wardhere, que veio da Somália para a Finlândia aos 14 anos, fugindo da organização terrorista Al-Shabaab. 

O irmão de Habat, que havia chegado à Finlândia, iniciou o processo de reunificação para que a sua mãe se juntasse a eles. No entanto, o irmão completou 18 anos antes do Migiri tomar sua decisão e, como resultado, o processo foi suspenso. 

Habat, de 21 anos, se pergunta como seria sua adolescência se sua mãe estivesse na Finlândia. 

"Lembro-me da sensação de ter passado o dia fora com os meus amigos, e quando chegou a hora de ir para casa, meus amigos receberam telefonemas de suas mães perguntando sobre seu paradeiro. Ninguém me perguntou onde eu estava [aff!]. Espero que os jovens que estão passando pelo processo de reunificação familiar tenham mais felicidade do que eu e o meu irmão tivemos”, acrescenta. 

No entanto, Habat está satisfeito por sua vida estar indo bem. Ele aprendeu a falar finlandês rapidamente, estudou para se tornar técnico em medicina, encontrou trabalho e tem uma família agora. Ele se tornou cidadão finlandês no ano passado. 

Além disso, sua mãe está segura, pois a situação de segurança sem Mogadíscio melhorou significativamente nos últimos tempos. Habat está planejando viajar para a Somália neste verão para visitar sua mãe, que ele não via há sete anos. 

"Eu ainda me pergunto onde fica minha casa. Eu não tenho certeza. Eu passei minha adolescência na Finlândia e me tornei um adulto aqui. Mas eu deixei a Somália completamente?

Habat costumava pensar que ele voltaria para a Somália um dia. "Ainda estou um pouco perdido. Mas eu prevejo que meu futuro está aqui na Finlândia". 

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...