13 de mai de 2018

Colômbia – Oficias da procuradoria de justiça dizem que o grupo terrorista ELN está doutrinando alunos na Universidade de Bogotá




Elnodo, 11 de maio de 2018. 



Algumas horas atrás, a Procuradoria-Geral da República invadiu a cidade de Bogotá, um centro de doutrinação do grupo terrorista ELN, no qual as crianças eram instruídas desde os 8 anos de idade. Segundo o relatório do gabinete do procurador:
“Folhetos e documentos servem como mais uma prova de recrutamento ilegal de crianças e adolescentes pelo ELN. O Ministério está avançando 615 investigações contra os líderes da organização criminosa pelo recrutamento ilegal”. 



Para o que também acrescenta: 

“Entre as novas evidências sobre o recrutamento ilegal de crianças e adolescentes pelo ELN o gabinete do promotor encontrou livros e documentos que seriam usados para inculcar ideias para legitimar a violência armada e promover o pensamento do ELN”. 

A Universidade Nacional é o maior centro de doutrinação terrorista dentro da legalidade? 

Perante os fatos, vale a pena perguntar se o promotor também avança investigações sobre a Universidade Nacional da Colômbia, que por suas ligações com grupos infiltrados no campus, poderia ser o maior centro de organizações doutrinadoras como o ELN ou FARC na história da Colômbia. 


Os fatos colocam de volta em causa o papel da ideologização da “liberdade acadêmica” da Universidade Pública, que se transformou em um dispositivo de violação dos padrões mínimos de qualidade de ensino, com o objetivo de impor as ideias marxistas estudantis. Um estudo sobre a própria universidade, desde 2007, resultou nos próprios alunos denunciando a existência de infiltrados de grupos armados ilegais. De acordo com eles: 
“Os entrevistados acreditam que a Universidade Nacional reflete certas fraquezas, e que, eles próprios, contribuem para formar uma imagem negativa da instituição. Entre essas fragilidades graves, motins e a presença de infiltrados de grupos armados ilegais que foram identificados na Universidade”. 

Especificamente, por décadas, a militância de terroristas nas organizações estudantis e, mais especificamente, na Universidade Nacional foi vista com indiferença pelo governo federal, razão pela qual, durante anos, os quadros das fileiras da organização fora da lei cresceram, de modo que não só ela tem responsáveis pela doutrinação que agem sem nenhuma sanção penal, como tem o processo de recrutamento de novos recrutas menores facilitado. 


Um relatório do ano de 2013 da RCN descreveu o grau de impunidade do ELN e das FARC dentro da Universidade Nacional como segue: 
“Nas imagens observa-se que, horas antes dos tumultos, na praça principal da Universidade Nacional, jovens encapuzados eram organizados e ouviam supostos comandantes de grupos fora da lei. Os jovens, vestidos totalmente de preto com jaquetas e balaclava, fazem formação e depois se dirigem coordenadamente a vários pontos da universidade. As imagens nos mostram que isso também inclui mulheres, bolsas artesanais e coletes explosivos usados durante os protestos também podem ser vistos. Vários banners com insígnias escrito FARC foram exibidos, o mesmo que horas depois, após os tumultos, a polícia levou embora”. 

Nesse contexto, é importante perguntar se a impunidade em torno da Universidade Nacional é necessariamente instituída para que ela se torne um centro de doutrinação de organizações terroristas desde que há legalidade para elas no território. A situação não seria nova, e obedeceria literalmente às estratégias de infiltração da sociedade civil por organizações extremistas fora da lei em países dominados pelo Comunismo, ou com um grande número de grupos terroristas como no Oriente Médio. 

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...