22 de mar de 2018

Simpatizante do policial muçulmano assassino diz que sua condenação aconteceu porque o sistema falhou




Yahoo! News AU, 22 de março de 2018. 



Mohamed Noor, o policial norte-americano acusado de assassinar a mulher australiana Justin Damond, acaba de enfrentar o tribunal. 

Noor foi acusado de homicídio em terceiro grau e homicídio de segundo grau. Sua fiança foi fixada em US $ 500.000 e ele foi forçado a entregar o seu passaporte. 


O tribunal estava lotado de simpatizantes de Noor. Um deles falou conosco depois e disse que Mohamed Noor era a verdadeira vítima. 

Mohamed Noor é um imigrante afro-americano muçulmano… ele sofre tantos ataques… ele matou uma mulher branca, é por isso que ele está lá hoje. O sistema falhou com ele”. 

Em 15 de julho do ano passado, Noor e seu parceiro, Matthew Harrity, foram chamados para a casa de Damond depois que ela ligou para o 911 para relatar uma possível agressão sexual ocorrendo atrás de sua casa. 

Investigadores dizem que Noor, que estava sentado no seu carro de polícia, atirou na instrutora de Yoga nascida em Sydney enquanto ela se aproximava da janela do motorista do veículo. 

Noor disse que foi surpreendido por um som alto antes de abrir fogo. Ele alegou ter visto um jovem branco andando de bicicleta em direção à casa de Damond antes de abrir fogo. 

Mas as acusações revelaram que o policial não averiguou adequadamente a situação antes de puxar o gatilho. 

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...