23 de mar de 2018

Ataque no Sul de França e reivindicação pelo Estado Islâmico




Observador, 23 de março de 2018. 



Um homem ligado ao Estado Islâmico sequestrou várias pessoas num supermercado em Trèbes, França. Ataque fez três mortos e o atirador foi abatido pela polícia. Há um português entre os feridos.

Um atirador de 26 anos, Redouane Lakdim, sequestrou esta manhã várias pessoas num supermercado de Trèbes, perto de Carcassonne, no sudoeste de França, a 700 km de Paris. O sequestro terminou ao início da tarde, e as informações divulgadas até agora dão conta de três mortos e cinco feridos (dois deles polícias). O sequestrador foi abatido pelas autoridades. O ministro do Interior, Gérad Collomb, já fez saber que o atacante era um jovem de Carcassone, conhecido das autoridades, mas por pequena delinquência. “Pensamos que não havia radicalização”, disse o ministro. O ataque já foi, no entanto, reivindicado pelo auto-proclamado Estado Islâmico.


A agência de notícias Amaq avançou que o ataque desta manhã foi levado a cabo “por um soldado do Estado Islâmico”. A SIC-Notícias avança que um dos feridos graves do ataque é um português de 27 anos, de acordo com um amigo da família contactado por aquele canal de televisão. A Secretaria de Estado das Comunidades não confirma, no entanto, a informação. “Os serviços consulares estão a falar com as autoridades francesas, mas ainda não temos informação sobre a existência de vítimas portuguesas”, disse ao Observador fonte oficial da Secretaria de Estado.

Na conferência de imprensa depois de terminado o sequestro, o ministro explicou que Lakdim agiu sozinho e que começou por roubar um carro em Carcassone: feriu o condutor e matou o passageiro com um tiro na cabeça. Depois, ao volante desse carro, a uma distância de 15 minutos do supermercado, disparou seis vezes sobre um grupo de quatro polícias que regressava do jogging. Um polícia foi ferido a tiro no ombro mas está estável e fora de perigo. O carro foi mais tarde encontrado no parque de estacionamento do supermercado.

O homem, que afirmou agir em nome do grupo terrorista Estado Islâmico, entrou no supermercado cerca das 11h00 (10h00 em Lisboa) e foram ouvidos tiro. O ministro confirmou que Lakdim foi morto na sequência da intervenção das forças de segurança para terminarem com o sequestro no supermercado.

A Reuters avançou que o atirador libertou todos os reféns e ficou dentro do estabelecimento com um coronel de 45 anos que se ofereceu como “moeda de troca”. Este militar e outros dois polícias acabaram por ser feridos durante a investida das autoridades e ainda não se conhece o seu estado. O canal de televisão francês BFM TV indicou que o sequestrador exigiu a libertação de Salah Abdeslam, o único sobrevivente dos terroristas envolvidos nos ataques do Estado Islâmico em Paris, em novembro de 2015, que fizeram 130 mortos.

O primeiro-ministro francês declarou, durante a manhã, que tudo levava “a crer que se trata de um ato terrorista”. Édouard Philippe cancelou a agenda e vai seguir os acontecimentos a partir da residência oficial. Emmanuel Macron, o presidente francês, falou a partir de Bruxelas e afirmou que parece tratar-se de um “ataque terrorista”. No Twitter, garantiu aos habitantes de Trèbes a “total solidariedade e mobilização dos serviços do Estado”.


A imprensa francesa cita um cliente do supermercado que conseguiu fugir e relatou esse momento: “Um homem gritou e disparou várias vezes, eu vi a porta de uma arca frigorífica, chamei as pessoas para se esconderem. Éramos dez e ficámos lá uma hora, ouvimos mais tiros e saímos pela porta de emergência atrás dele”.

Para esta operação foram mobilizados três helicópteros da polícia militar, 80 bombeiros e várias equipas de emergência médica. O homem estaria armado com facas, pistolas e granadas e gritou “Allah Akbar” ao entrar no supermercado.

O ministro do Interior francês esteve no local mal soube do ataque e pediu, através das redes sociais, que não se propagassem fake news.

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...