21 de nov de 2017

Reino Unido – governo oferece aborto grátis para crianças da Irlanda do Norte sem o consentimento dos pais




LifeSiteNews, 20 de novembro de 2017. 



Reino Unido, 20 de novembro de 2017 (SPUC) – verificou-se que o plano do governo de oferecer abortos gratuitos para as mulheres da Irlanda do Norte e pagar os custos de viagem também se estende aos menores de idade na província – e que eles [os abortos] podem ser realizados sem o consentimento dos pais. 

A ação foi criticada por ativistas e políticos da Irlanda do Norte, com um MLA advertindo que “poderia consignar relações abusivas e ilegais”. 


Traições repetidas. 

O ministro da Igualdade abandonou a política de neutralidade do governo do Reino Unido sobre o aborto em junho, quando se comprometeu a financiar os abortos praticados em mulheres vindas da Inglaterra e do País de Gales e da Irlanda do Norte, em resposta a uma emenda Discurso da Rainha por uma MP trabalhista Stella Creasy. Então, em outubro, o governo anunciou que cobriria o custo de viagem para o Reino Unido para mulheres de baixa renda e a criação de um sistema de atendimento telefônico centralizado – um complemento que atende às mulheres mais pobres, pois não há financiamento adicional para apoiar mulheres que querem manter os seus bebês [vivos]. O complemento foi feito sem a consulta parlamentar ou consulta pública. 

“No seu melhor interesse”. 

Agora surgiu a notícia que o esquema seria estendido aos menores de idade. Em resposta a uma pergunta parlamentar de Lord Alton de Liverpool, o subsecretário de Estado da Saúde para o Estado, Lord O’ Shaughnessy, disse que os menores de 18 anos “receberiam ajuda para os custos de viagem caso recebessem benefícios qualificados ou cumpram os critérios de baixa renda”. Ele também confirmou que, desde que preenchessem os requisitos estabelecidos nas diretrizes da Fraser, um médico ou profissional de saúde podem fornecer.. “Conselhos e tratamentos de saúde sexual e reprodutiva, incluindo o aborto, sem o consentimento dos pais, para jovens menores de 16 anos”. 

Essas diretrizes, com base em uma decisão de 1985, indicam que o aborto e a contracepção podem ser administrados aos com menos de 16 anos sem o consentimento dos pais para os critérios do que “seria do interesse do jovem receber tal conselho ou tratamento sem o consentimento dos pais”. 

Minar os pais e colocar as crianças em perigo.

Ontem, o líder do TUV, Jim Allister, pediu ao governo que “pense novamente e considere as ramificações desta política de proteção infantil NI”. Ele advertiu que a decisão “deixa as crianças vulneráveis àqueles que se envolvem em atividades sexuais ilegais, pressionando as meninas a se livrar dos seus filhos não nascidos sem contar aos pais – algo que poderia criar relações abusivas e ilegais”. 

Hoje, Sammy Wilson, do East Antrim, se juntou ao protesto, dizendo que permitir que as meninas viajassem para a Inglaterra para um procedimento de aborto sem o consentimento de seus pais era “prejudicar o papel da paternidade”. 

Isso abre toda uma série de questões, entre elas e a proteção infantil”, continuou ele. “Também há certamente um elemento criminoso a considerar, pois as meninas menores de 16 anos estão abaixo da idade do consentimento”. 

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...