3 de ago de 2017

Canadá – Google e YouTube ameaçam a liberdade de expressão: transformando a liberdade de expressão em discurso de ódio impondo a censura

Professor Jordan Peterson discursando na Universidade de Toronto 04/02/2017



Toronto Sun, 02 de agosto de 2017 






“Não entendo o que essas empresas fundamentalmente capitalistas estão fazendo se aliando com a esquerda radical”. 

"O processo de triagem do Google e do YouTube para conteúdo ofensivo parece contaminado por teóricos da justiça social politicamente corretos, ameaçando a voz da metade da população [?] que discorda de seu ponto de vista", diz o professor Jordan Peterson, da Universidade de Toronto. 

O defensor do discurso livre disse que provavelmente não é uma coincidência que a sua conta do Gmail tenha sido excluída no mesmo dia em que o YouTube publicou as suas novas “diretrizes sobre discurso de ódio” e diretrizes antiterrorismo online. 

A ação de bloquear o acesso aos canais populares do YouTube do polêmico acadêmico e aos seus vídeos tais como “a mente inconsciente do SJW (guerreiros da justiça social)” e “como parar de procrastinar”. 

Eles fizeram isso arbitrariamente, de repente, sem aviso prévio, sem explicação e sem possibilidade de recurso – esse é o processo”, disse ele. “Eu não entendo o que essas empresas fundamentalmente capitalistas estão fazendo se aliando com a esquerda radical”. 

Nicole Bell, porta-voz do Google, disse que o YouTube publicou uma atualização na terça-feira sobre os seus últimos esforços para combater o terrorismo e o extremismo violento online. 

O YouTube diz que não aceitará discurso de ódio baseado em raça etnia, religião, deficiência, gênero, idade, status, orientação sexual ou identidade de gênero e possivelmente outras categorias. 

Nós encorajamos a liberdade de expressão e tentamos defender o seu direito de expressar o seus pontos de vista impopulares, mas não permitimos discurso de ódio”, diz. “O discurso de ódio refere-se a conteúdos que promovem a violência ou o ódio contra indivíduos ou grupos com base em certos atributos... Existe uma linha tênue entre o que é e o que não é considerado discurso de ódio. Por exemplo, geralmente é bom criticar um estado-nação, mas não é bom publicar comentários odiosos e maliciosos sogre um grupo de pessoas com base exclusivamente em sua etnia”. 

O professor deixou irado os ativistas sociais por se recusar a usar os pronomes de gênero sob demanda. 

Bell não quis discutir o relato de Peterson. 

No entanto, sua conta no Gmail foi reintegrada depois que ele tuitou sobre o seu problema, e os meios de comunicação começaram a fazer perguntas e comentários. 

"O Google e o YouTube são utilitários de comunicação, e não os governos, e não possuem um processo justo e aberto de queixa e recuso [apelação] para monitorar a vasta quantidade de informações sob os seus cuidados", disse Peterson. 

"Qualquer um poderia dizer que se sentiu ofendido pelo conteúdo", disse Peterson. 

"Um indivíduo sem os meios para retaliar provavelmente teria que aceitar a censura", disse ele. 

Eles estão em um – o que chamaríamos – uma missão agradável para garantir que ninguém diga nada que não seja bom o suficiente para os seus padrões. E acho que é absolutamente reprovável”, disse Peterson. “Você sabe que a companhia telefônica não interferia com o que as pessoas diziam ao telefone na década de 1930.”

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário