29 de jul de 2017

O Mujahid de Hamburgo: Um “refugiado” palestino – e um “extremista” conhecido da polícia que não podia ser deportado.




Gates of Vienna, 28 de julho de 2017 






Como relatado hoje mais cedo, um jovem enriquecedor cultural foi preso em uma agitação jihadista em Hamburgo hoje com uma grande faca – possivelmente uma faca kebab – depois de ter matado uma pessoa e ferido cinco outras. 

Egri NOK compilou um relatório sobre os acontecimentos do dia em Hamburgo, e a resposta oficial. 

Hamburgo e a jihad de um refugiado palestino. 


Por Egri NOK


O agressor que hoje matou um homem em um supermercado em Hamburgo e feriu seis outras pessoas, um deles ficando gravemente ferido, era um “refugiado” palestino chamado Ahmed Al H., de acordo com o jornal alemão Tegesspiegel. Ele nasceu em 1991 na Arábia Saudita [ou os Emirados Árabes Unidos] e veio para a Alemanha como um refugiado. E embora estivesse previsto que ele seria deportado, ele não poderia ser, devido à uma falta de documentação. 


Ele é declaradamente conhecido pelas agências de inteligência alemãs como um extremista, e como um chamado “risco de segurança” – um daqueles avaliados por agências de inteligência alemãs como dispostos a cometer atos de violência. 

De acordo com o Bild, o alojamento de refugiados onde Ahmed residia foi invadido esta noite pela polícia. 

Um vídeo mostra os locais lutando contra o invasor usando cadeiras. 



Haverá uma conferência de imprensa da polícia amanhã às 12:00 sobre qual nós iremos informar. 

Comunicado de imprensa da polícia 70728-6a:

POL-HH: 707228-6A. Suspeito preso após ataque à faca, mais informações (ver também PM 170728-4A E – 5a..). 28/07/2017.

Hamburgo – data do crime: 28/07/2017 – 15:10. Cena do crime: Hamburgo, Barmbek-Nord, Fuhlsbuttler Stabe.

Devido aos eventos hoje uma comissão especial foi criada, a quem será confiada uma investigação mais profunda. A investigação será conduzida com a participação do departamento de homicídios (LKA 41) e o departamento de segurança do Estado (LKA 7).

O suspeito é um homem de 26 anos de idade, nascido nos Emirados Árabes Unidos (EAU). Sua cidadania atual ainda não foi esclarecida.

A arma do crime presuntivo foi encontrada e apreendida.

Por causa de documentos de identidade que foram encontrados assume-se que atualmente a pessoa assassinada é um homem alemão de 50 anos de idade.

Tanto quanto sabemos uma mulher (54 anos) e quatro homens (64, 57, 56 e 19 anos) sofreram ferimentos com faca. Um homem de 35 anos foi ferido enquanto tentava dominar o suspeito. Algumas das lesões são graves. As pessoas feridas estão sendo tratadas ou na cirurgia em diferentes hospitais.  

Uma linha de telefone especial + 4940-42722727 foi criada pela comissão especial para colher informações.

A investigação será conduzida em todas as direções. Isto  inclui explicitamente uma investigação pelo departamento de segurança do Estado.

Um site especial foi criado para fazer upload de fotos e vídeos do acontecimento. O URL deste site é hh.hinweisportal.de
Comunicado de imprensa da polícia #170728-5a

POL-HH: 170728-5a. Suspeito preso após ataque com faca, mais informações (ver também PM 170728 4a.). 28/07/2017 – 19:44. 

Enquanto isso, está claro que o suspeito atacou uma das vítimas no supermercado. Esta pessoa morreu no local do crime. Enquanto tentava escapar o suspeito feriu mais quatro pessoas com faca.

Pessoas que estavam no local foram capazes de dominar o suspeito em fuga. O suspeito foi gravemente ferido. Quando os policiais chegaram à paisana prenderam o suspeito.

Por enquanto não há nenhuma evidência de que havia um segundo agressor.

O real motivo do ato ainda está para ser explicado. As investigações vão continuar. 

Há uma mesquita com ligações com o Estado Islâmico, na mesma rua onde o criminoso foi visto cometendo o ato e gritando Alá Akhbar: 

Esta é uma foto antiga da mesquita na rua; o artigo (acessível através de um paywall) é de 2015. 

Resumo do artigo do Hamburger Abendblatt a partir de 2015: de acordo com o serviço de inteligência de Versfassungsschutz, cerca de 50 hamburgos deixaram a Alemanha para ir para a Síria e o Iraque para lutar pelo Estado Islâmico, e alguns deles eram estudantes do Imã da mesquita na rua. A mesquita em si está sendo monitorada por extremismo. 

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário