10 de jun de 2017

Soldado islâmico afegão mata dois militares norte-americanos





SIC, 10 de junho de 2017. 



Dois militares norte-americanos foram mortos quando um soldado abriu fogo contra eles na região oriental do Afeganistão, disse este sábado um oficial afegão.

O porta-voz do governador da província de Nangarhar, Attahullah Khogyani, acrescentou que dois outros militares dos Estados Unidos ficaram feridos no ataque, que ocorreu no distrito de Achin.

Segundo esta fonte, o soldado afegão foi morto, depois de ter atingido os norte-americanos.

O distrito de Achin é considerado um dos bastiões do movimento Estado Islâmico no Afeganistão e foi nesta região que, em abril, os Estados Unidos lançaram a GBU-43, conhecida como "a mãe de todas as bombas", provocando cerca de uma centena de baixas no grupo jihadista.


Um porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, reivindicou o ataque contra os norte-americanos através da sua conta na plataforma de mensagens Twitter, dizendo que "um infiltrado" atacou soldados norte-americanos, "matando quatro", ao mesmo tempo que confirmou a morte do autor do atentado.

Não é a primeira vez que este tipo de ataques internos acontece no Afeganistão.

Em março, outro soldado afegão foi morto depois de ter atirado contra forças estrangeiras na base da província de Helmand, ferindo três norte-americanos.

Segundo dados dos Estados Unidos, entre janeiro e novembro de 2016, registaram-se 56 ataques internos, ou seja, de elementos dos grupos de segurança contra os seus companheiros, provocando 151 mortos e 79 feridos.

No Afeganistão, a violência aumentou nos últimos anos, depois do fim da missão de combate da NATO, que continua no país para assistência e capacitação das tropas afegãs, com 13.000 soldados, entre os quais os Estados Unidos preveem manter 8.400 este ano.

O Governo afegão controla somente 57% do território, segundo o inspetor geral especial para a reconstrução do Afeganistão, que é dos Estados Unidos.

Artigos recomendados: 



Nenhum comentário:

Postar um comentário