24 de jun de 2017

Primeiro-ministro sueco: "Os sacerdotes devem ser obrigados a realizar casamentos entre pessoas do mesmo sexo"



CBN, 23 de junho de 2017 






O primeiro-ministro da Suécia diz que nenhum sacerdote que trabalha para a Igreja da Suécia deve recusar-se a realizar ou a permitir casamentos entre pessoas do mesmo sexo. 

Stefan Lofven, um social-democrata, comparou sacerdotes que se recusam a casar casais do mesmo sexo com parteiras se recusando a realizar abortos. Ele disse ao jornal da Igreja da Suécia, Kyrkans Tidning: “Nós social-democratas trabalhamos para garantir que todos os sacerdotes casem todos os tipos de pessoas, incluindo casais do mesmo sexo. Se você é uma parteira, você deve fazer abortos, ou você deve encontrar outra profissão. O mesmo vale para os sacerdotes que não querem casar os homossexuais.”. 


Lofven estava se referindo à parteira cristã sueca Ellinor Grimmark, que foi forçada a procurar trabalho em outro país porque se recusou a participar de procedimentos de abortos. Grimmmark levou o caso para o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos

O casamento entre pessoas do mesmo sexo tem sido legal na Suécia desde 2009, embora os sacerdotes independentes da Igreja da Suécia possam escolher se realizam ou não casamentos do mesmo sexo. 

Lofven, que não é religioso, disse que a igreja estatal deveria ser uma “igreja democrática e aberta... que representa a igualdade de direitos de todas as pessoas. As pessoas que se amam, independentemente do sexo, devem ter o mesmo direito ao casamento”. 

Ele tem favorecido as mudanças na lei da igreja que tornariam os desejos de realizar casamentos entre pessoas do mesmo sexo um requisito para a ordenação sacerdotal. 

Artigos recomendados: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário