27 de mai de 2017

Malásia – polícia prende seis pessoas por suspeitas de ligações com o Estado Islâmico




Asian Correspondent, 27 de maio de 2017. 



Seis homens foram presos em vários estados da Malásia por ligações suspeitas ao grupo terrorista Estado Islâmico. As prisões ocorreram entre 23 a 26 de maio, de acordo com um comunicado de imprensa da polícia emitido neste sábado. 

Channel News Asia informou que as prisões ocorreram em quatro estados incluindo a prisão de uma dupla de irmãos – um mestre religioso em Perak e um homem de negócios online em Kedah – por apoiar o ISIS e suas atividades e ações na Síria assim como suas ligações com o militante conhecido Muhammad Fudhail Omar.


 

Ambos os irmãos são parentes do conhecido militante Muhammad Fudhail Omar”, disse ao The Star o inspetor-geral da polícia Tan Sri Khalid Abu Bakar.  

Fudhail, que está na Síria, uma vez ordenou um ataque de lobo solitário em Sandakan em agosto do ano passado”, disse ele, acrescentando que os suspeitos foram detidos em 25 e 26 de maio. 

Khalid continuou, “Nós acreditamos que Fudhail provavelmente substituirá Muhammad Wanddy Mohamed Jedi, como o principal militante da Malásia”. Wanndy, um malaio, foi morto enquanto lutava junto com o Estado Islâmico na Síria. 

A polícia também prendeu um pastor de vaca em Kelantan, Muhammad Muzafa Arieff Junaidi, que se rendeu depois que a polícia emitiu um aviso ao público pedindo por informações, acreditando que o suspeito havia fugido para o sul da Tailândia depois de ser envolvido em contrabando de armas de fogo para o uso pelo grupo militante na Malásia. 

Também foi preso um soldado aposentado em Kedah, que é acusado de ser responsável por canalizar cerca de RM20,000 (US $ 4.700) para o Estado Islâmico na Síria através de múltiplas transações. Segundo a polícia, os filhos do suspeito já se mudaram para a Síria para lutar pela célula terrorista. 

Os dois últimos suspeitos incluem um oficial de controle de qualidade em Selangor e um homem desempregado de Kadah. 

As notícias das prisões ocorreram apenas alguns dias depois de surgirem informações sobre cidadãos malaios que estão entre os militantes que estão sitiando a cidade de Marawi, em Mindanao, nas Filipinas. 

As autoridades filipinas afirmaram que os combatentes da Malásia estavam entre vários militantes islâmicos mortos por tropas na cidade na semana passada. 

A Malásia prendeu mais de 250 pessoas entre 2013 e 2016 por suspeita de atividade terrorista ligada ao Estado Islâmico. 

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário