24 de mai de 2017

Espanha – dois terroristas islâmicos marroquinos ligados ao ISIS detidos em Madri




The Local Es, 23 de maio de 2017.



A polícia de Madri prendeu dois homens suspeitos de pertencerem a uma célula jihadista com ligações ao Estado Islâmico. 

Os dois homens, com 43 e 22 anos de idade, alegadamente têm ligações fortes com uma célula que recrutou radicalizou e treinou possíveis terroristas para cometer ataques suicidas, foram detidos na noite de segunda-feira apenas horas antes do ataque à Arena Manchester, que até agora tirou 22 vidas e deixou mais de 50 feridos.

A polícia disse que os dois homens, ambos marroquinos, são suspeitos de serem “ciber-soldados” envolvidos em mais de uma centena de sites que visam capacitar membros do Estado Islâmico para realizar ataques, incluindo tutoriais em vídeo sobre como fazer bombas caseiras.



Em um comunicado, a Polícia Nacional disse que a dupla “se tornou radicalmente perigosa” após a exposição a “sites e vídeos projetados para treinar combatentes inghimasi com conhecimentos e habilidades necessárias para lançar ataques na Europa seguindo o modus operandi já visto em ataques no Reino Unido, Alemanha Bélgica e França”.

A polícia diz que os dois suspeitos passaram a maior parte do tempo em seus computadores em casa, raramente saíram de casa ou se misturaram socialmente, mas estavam em constante contato uns com os outros.

Desde que a Espanha elevou o seu alerta de terrorismo para quatro com a possibilidade de cinco após o ataque aos turistas na Tunísia, já prendeu 164 pessoas com supostas ligações ao jihadismo islâmico.

O país tem sido mencionado em sites extremistas como um possível alvo por razões históricas, uma vez que grande parte do seu território estava sob o domínio muçulmano de 711 a 1492.

Mas tem sido poupada de grande violência jihadista desde março de 2004, quando bombas explodiram em trens de cercanias em Madri, matando 191 pessoas em um ataque reivindicado por islamitas inspirados pela  Al-Qaeda.

Ao contrário da França ou da Bélgica, a Espanha corre menos risco de ser exposta aos cidadãos radicalizados que saíram para lutar no exterior e que retornam com planos de cometer atentados em sua terra natal.

Apenas cerca de 160 espanhóis se juntaram ao grupo Estado Islâmico no Iraque e na Síria, segundo o estudo do Instituto Real Eclano, comparado com aproximadamente mais de mil da França desde 2012.

Artigos recomendados: 


Fonte:https://www.thelocal.es/20170523/two-dangerously-radicalized-suspected-jihadists-arrested-in-madrid

Nenhum comentário:

Postar um comentário