20 de mai de 2017

Comunistas chineses lançam vídeo pró-ateísmo declarando que os seres humanos, e não Deus, salvou o mundo




The Christian Post, 18 de maio de 2017. 






Um vídeo de 11 minutos chamado “E se o ateísmo fosse uma religião?” lançado pela Liga da Juventude Comunista da China, e tem-se tornado viral nas mídias sociais. Ele argumenta que os seres humanos, e não Deus, salvou o mundo. 

O vídeo em questão, lançado no início de maio no Weibo, o equivalente chinês do Twitter, apresenta quadrinhos de estilo japonês e sátiras para atrair jovens espectadores, informou a International Christian Concern na quarta-feira. 


As conversas no foco do vídeo têm várias questões, tais como “Se o ateísmo é uma religião quem serão os seus ícones?” e “Quem salvou o mundo, Deus ou as pessoas?” como relatado por The Diplomat

Para responder à segunda questão, “pastor”ateu diz a um jovem sobre os segredos dos grandes filósofos e cientistas da história humana, tais como Galileo Galilei, Charles Darwin, Albert Einstein, entre outros, e explica que foram as suas realizações que salvaram o mundo. [nota: nenhum deles era ateu]

Como exemplo, o ateu argumenta que Willis Carrier, que inventou o moderno ar condicionado e salvou o mundo de “acabar no inferno quente”. 

Quando o jovem fez outra pergunta: “Outras religiões sempre amaldiçoam os ateus para irem para vários infernos. Agora, já que nós ateus também formamos uma religião, devemos também a maldiçoá-los em retribuição?” O falso pastor respondeu: 

Nossa religião ateísta é apenas uma piada no vídeo, mas nós ateus, nunca vamos amaldiçoar ninguém, apesar de na realidade as outras pessoas religiosas manterem o preconceito contra nós”. 

Conforme a Comissão dos Estados Unidos sobre Liberdade Religiosa Internacional apontou em seu relatório anual de 2017, mais da metade dos habitantes da China, cerca de 1,4 bilhão não é filiada a nenhuma religião ou crença. 

O ICC, que informa sobre a perseguição religiosa na China, insistiu que, apesar da popularidade do vídeo da Liga da Juventude Comunista, isto não deve ser tomado como um sinal de que o ateísmo está em ascensão no país. 

O Cristianismo está crescendo na China a taxas exponenciais e há mais crentes do que nunca agora”, observou ICC. 

Além disso, o fato de que o vídeo retrata o ateísmo como uma religião em si poderia ser um sinal de que o governo da China vê que está perdendo a batalha contra a religião, e pode representar uma nova abordagem para contrariar o crescimento do Cristianismo”. 

Autoridades comunistas foram engajar-se em uma ofensiva generalizada contra os cristãos nos últimos anos, na forma de demolições e retirada de cruzes de igrejas, e as prisões de pastores de igrejas subterrâneas, bem como de seus adoradores presos por rezar. 

O China Aid advertiu em janeiro que ao longo de 2016, as autoridades chinesas se envolveram em atividades para forçar todas as religiões a “render-se à autoridade e liderança do Partido Comunista Chinês”. 

Temos bons motivos para nos preocuparmos com o fato de que as principais religiões na China, especialmente as igrejas domésticas e as igrejas católicas e protestantes subterrâneas, sofrerão a supressão sem precedentes sob o nome de 'transformar-se no Partido Comunista da China' desde a Revolução Cultural, 'o cão de guarda da perseguição'", disse. 

Bob Fu, fundador e presidente da China Aid, disse ao The Christian Post no ano passado que a principal ambição do governo é conter o crescimento dos cristãos. 

A liderança está cada vez mais preocupada com o rápido crescimento da fé cristã e sua presença pública, e sua influência social”, disse Fu ao CP. “É um medo político para o Partido Comunista, conforme o número de cristãos no país supera grandemente os membros do partido”. 

Artigos recomendados: 




Nenhum comentário:

Postar um comentário