8 de mai de 2017

Adolescente é a 11ª vítima mortal de onda de esfaqueamentos em Londres

Prólogo. 

Já faz bastante tempo que diversos grupos – uns inclusive com quem eu não concordo em tudo – vêm denunciando a crescente onda de criminalidade islâmica na capital inglesa de Londres. Tanto em crimes cometidos aleatoriamente contra o primeiro infiel que veem na rua, quanto crimes cometidos em nome da “religião da paz,” contra os próprios aderentes da “religião da paz,” como, por exemplo, as meninas vítimas de mutilação genital. À mutilação genital pode ser atribuído a condição de prática de crime contra pessoas adeptas da “religião da paz.” Assim como outros crimes que são chamados de tradição dentro do corpo de doutrina, tal como o crime de agressão, que inclusive, é no Islã “uma bênção”, segundo alguns porta-vozes da “religião da paz.” 

Embora a imprensa faça questão de não especificar propriamente as circunstâncias dos crimes e quem os comete, alguns ficam muito claros se formos atrás de alguns dados de atentados e crimes envolvendo facas. Por exemplo: o soldado inglês Lee Rigby, que foi degolado por um muçulmano; ou o jovem norueguês de ascendência somali que esfaqueou várias pessoas em Russell; embora as autoridades tenham negado qualquer ligação dele com o terrorismo, como de praxe. E muitos outros casos. Embora seja praticamente impossível obter armas em Londres, seja por qual via for, o governo e as autoridades locais têm apoiado manifestações contra armas brancas. Algo bem politicamente correto que desvia o foco para o fato de que os ingleses estão indefesos, e que por trás dos dados que mostram o aumento de assassinatos e agressões por armas brancas, tem um muçulmano feliz, porque sabe que terá do seu lado os mentirosos da mídia e do governo. Verdadeiramente, o Brexit tirou o Reino Unido da União Europeia, mas não da tendência cultural marxista politicamente correta!



Notícias ao Minuto, 08 de maio de 2017.


Jovem de 17 anos ainda foi transportado para o hospital mas acabou por falecer. Em apenas duas semanas, morreram 11 pessoas esfaqueadas. Crimes com facas têm aumentado em Londres nos últimos anos.

Continua a onda de esfaqueamentos mortais em Londres. A mais recente vítima é um jovem de 17 anos, que foi esfaqueado ontem à noite. O adolescente ainda foi transportado para um hospital no este de Londres, mas não resistiu ao grave ferimento e acabou por falecer. A polícia londrina já iniciou uma investigação a este homicídio.

Só nas últimas duas semanas, já morreram 11 pessoas esfaqueadas na capital inglesa.

Os crimes com facas estão a gerar preocupação, pois têm aumentado significativamente nos últimos cinco anos.

No ano passado, estes crimes registaram um máximo de quatro anos em Londres: até agosto registaram-se 1.749 esfaqueamentos de pessoas com menos de 25 anos. Segundo um relatório da polícia, apenas 5% dos crimes com facas estão relacionados com gangues.

Ontem, centenas de pessoas participaram numa marcha de protesto contra os crimes com armas brancas e de fogo na capital inglesa. As autoridades já estão anunciaram a criação de uma força especial que se vai dedicar exclusivamente a combater o crime com armas brancas. Esta força especial vai patrulhar locais que são mais problemáticos e onde há uma maior tendência para crimes com facas [leia-se: bairros predominantemente árabes muçulmanos]
Artigos recomendados: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário