1 de abr de 2017

Muçulmano belga volta após lutar com o Estado Islâmico e diz ainda acreditar no califado mundial

Michael 'Younes' Delefortrie



Daily Mail, 01 de abril de 2017. 



Por Paddy Dinham



Um jovem branco ex-católico que se converteu ao Islã antes de ser "radicalizado" e lutado pelo Estado Islâmico afirmou que “lamenta” o seu retorno à Bélgica, sua terra natal. 

Michael 'Younes' Delefortrie, até mesmo batizou o seu filho com o nome de seu herói Osama bin Laden, mas insiste que ele não tem planos de realizar qualquer ataque terrorista agora que retornou à Europa. 

Falando à CNN como parte de um documentário, ele revela como ele se tornou um muçulmano para ter a sua vida de volta aos trilhos depois de uma educação conturbada que o levou a usar drogas. 


Mas os seus pontos de vista "se tornaram" cada vez mais extremos, e ele começou a se misturar com um grupo chamado Sharia4Belgium, que ajuda a contrabandear potenciais lutadores para a Síria e o Iraque para treinamento jihadista. 

Ele se juntou ao Estado Islâmico porque  eles eram “os mais comprometidos” com a introdução da lei Xaria e rapidamente começaram a atrair pessoas para o grupo terrorista, embora ele negue ter matado alguém. Delefortrie está agora de volta ao seu país de nascimento, mas já diz que sente falta de viver no Oriente Médio. 

Lamento ter voltado”, disse ele - “quero viver sob o califado”. 

Mas, apesar de sua aversão pela cultura ocidental, ele negou vigorosamente que estaria conduzindo qualquer ataque terrorista. 

Ele disse: “Por que eu deveria? Estou aqui para viver”, ele disse “E isso não está na minha agenda.”. 

Eu estou fazendo o que posso para espalhar a palavra do Islã. Esse é o meu objetivo. Nem todo muçulmano com uma ideologia é um terrorista ou um homem bomba em tempo integral pronto para explodir em um Shopping Center”. 

Mas apesar de alegar que ele não será diretamente responsável por qualquer morte, ele elogia as atrocidades como as do 11 de setembro, e nomeou o seu filho com o nome do homem por trás delas, Bin Laden. 

Ele disse: “Eu estou orgulhoso dele, porque esse homem é um herói. Se tivermos que condenar todo mundo que mata pessoas, o inferno estará cheio”. 

Ele acrescentou: “Se você está atacando as pessoas, às vezes alguém vai atacá-lo. Se você cuspir para o alto, às vezes o cuspe cairá de volta na sua cara”. 

No mês passado, após sua entrevista com a CNN, Delefortrie foi sentenciado a 18 meses de prisão por abuso doméstico, a qual está atualmente apelando. 

Artigos recomendados: 




Nenhum comentário:

Postar um comentário