21 de abr de 2017

Harvard: "Mudança de sexo ocorre diariamente. Discordar disso é violência de gênero"




CR, 20 de abril de 2017. 






A Universidade de Harvard está usando dólares de despesas para dizer aos alunos que “há mais de dois sexos” e que “o gênero é fluido e está em constante mudança”. A escola também está dizendo aos alunos que o sexo pode mudar diariamente – às vezes dependendo apenas de qual as pessoas escolhem usar. Se você discordar dessas declarações, está promovendo a "violência sistêmica”. 

O escritório da BGLTQ Student Life lançou um guia instruindo os estudantes a “lutar contra a transfobia” e “obter os fatos sobre a diversidade de gênero”, relatou Peter Van Voorhis para a Campus Reform.

“O guia, que foi distribuído aos estudantes no campus, declara que 'há mais de dois sexos' e que 'o gênero é fluido e está em constante mudança', acrescentando que a identidade de gênero de alguém 'pode ser afirmada e/ou expressa de várias maneiras' e pode até 'mudar diariamente'”. 

Sim, está certo. Como Voorhis relata, “o folheto diz aos alunos que para muitas pessoas a expressão cis e transgênero, ou identidade e autocompreensão podem mudar de um dia para o outro, observando que o gênero pode ser expresso através da linguagem, e mais”. 

A identidade de gênero pode mudar diariamente agora? 

Como você deve escrever uma lei que proteja contra a discriminação de gênero e sexual se a “identidade de gênero” de uma pessoa pode mudar diariamente? James Madison talvez tenha dito algo importante sobre as leismutáveis” ou em constante mudança e leis “incoerentes”. 

Destacar o ambiente de confusão em que o movimento dos direitos LGBT está nos forçando a entrar pode levar os alunos a sérios problemas. 

O que os seus cartazes estão ensinando na Universidade de Harvard e provavelmente em outros lugare, é que o entendimento tradicional dos papéis de homens e mulheres, as distinções entre homens e mulheres são “violência”. 

Se você seguir esta linha de raciocínio, então, quando, por exemplo, Jesus diz em Mateus 19, “você não leu que aquele que os criou desde o início os fez macho e fêmea e disse: portanto, o homem deixará o seu pai e a sua mãe e se apegará a sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne?” - isso é violência. 

Ou, nos termos de Harvard, “binários fixos e essencialismo biológico, manifesto em linguagem de gênero, misangenderismo [não há tradução exata disso] alguém que faz o policiamento dos corpos dos transgênero e ameaçam as vidas das pessoas trans”. 

Alguns estudantes não estão felizes com os seus dólares de mensalidade sendo usados para negar a realidade biológica para fazer com que os outros estudantes se sintam mais confortáveis com os seus delírios mentais.  

Campus Reform informa que vários estudantes ficaram ultrajados com o fato de que os fundos da escola foram usados para esta campanha, mas se recusou a comentar por medo de “potenciais repercussões da escola”. Também foi feita uma pergunta se a administração de Harvard parou para considerar se eles também estão fornecendo um espaço seguro para estudantes que pensam que os homens são homens e mulheres são mulheres. 

Este é o triste estado de coisas nas faculdades e universidades. Os valores tradicionais são chamados de violentos. A violência de uma multidão para silenciar a liberdade de expressão é chamada de justiça. Os mesmos lugares que pretendem criar espaços seguros para os estudantes liberais são muito perigosos para os pontos de vista alternativos. 

Quando será o suficiente? 

Artigos recomendados: 



Nenhum comentário:

Postar um comentário