15 de mar de 2017

Suíça – a Associação de Rifles ameaça propor um referendo por causa das leis sobre armas da União Europeia



Swissinfo, 15 de março de 2017. 



Por Urs Geiser



Os grupos de lobby de armas na Suíça protestaram contra um regulamento do Parlamento da União Europeia para reforçar as regras de propriedades de armas. 

Na terça-feira, o Parlamento Europeu aprovou propostas para restringir a posse de armas, nomeadamente através da introdução de controles mais rígidos, reduzindo o número de cartuchos para rifles semiautomáticos até dez, e da criação de registros de armas. 

A Suíça não é um membro da União Europeia, mas está sujeita a estas novas regras como um membro dos 26 países do grupo de Schengen de fronteira única


A Associação de Rifle Suíço (Tiro suíço) disse que iria forçar um referendo – com a recolha de pelo menos 50.000 assinatura – se o parlamento aprovar uma proposta do governo para adotar as normas europeias. 

A nova regulamentação não poderia impedir ataques terroristas e as leis existentes na Suíça eram suficientes para combater o comércio ilegal de armas, disse a associação. “Isso é fazer com que os cidadãos acreditem que estão seguros”, criticou Dora Andres, presidente da Swiss Shooting. 

Ela acrescentou que a Suíça tinha uma longa tradição de propriedade de armas com os seus caçadores, atiradores e colecionadores de armas. 

Seguindo o mesmo caminho, Werner Salzmann, parlamentar do Partido Popular Suíço de direita, pediu que rejeitasse o regulamento da União Europeia. 

No entanto, Chantal Galladé, parlamentar do Partido Social Democrata de esquerda [tinha que..], disse à rádio pública SRF que os atiradores esportivos ou a polícia poderiam continuar usando suas armas como antes. 

Os números dos suíços que mantiveram o seu rifle ou pistola militar depois do serviço militar caíram três quartos em dez anos. 


Isenções suíças. 

Em março passado, a ministra da Justiça, Simonetta Sommaruga, disse que os planos da União Europeia de controle de armas mais rígido não afetariam a tradição suíça de manter os rifles do exército em casa. 

Houve grande controvérsia na Suíça em torno da proposta relativa aos rifles semiautomáticos, pois teria afetado todos os membros do exército suíço que optaram por levar suas armas para casa depois do dever oficial - pouco mais de 10% de todos os conscritos.

Os opositores às alterações propostas na lei discutem que os eleitores suíços em 2011 rejeitaram um registro de armas nacionais. 

Eles também reclamaram que o uso de rifles de emissão padrão seria complicado para ex-membros do exército suíço, tornando a posse de armas dependentes de aderir a um clube de rifle. 

Artigos recomendados: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário