12 de mar de 2017

Legalização da maconha não diminuiu tráfico no Uruguai, diz autoridade

EpochTimes, 12 de março de 2017. 








No mês de dezembro de 2016, a Brigada de Narcóticos informou que a maconha foi a droga mais apreendida, alcançando 4,305 toneladas

Legalização da maconha no Uruguai, aprovada em 2013, não afetou em nada o tráfico desta droga, foi o que afirmou o Diretor Nacional de Polícia do Uruguai, Mario Layera na terça-feira (6). Segundo ele, o narcotráfico ainda causou o aumento do número de homicídios.

“No ano passado tivemos os níveis históricos mais altos de confisco no país proveniente de outra região. Por isso, entendemos que o tráfico para o Uruguai não se ressentiu de maneira notável”, explicou Layera para a reportagem da rádio El Espectador, acerca da vigência da lei.


No mês de dezembro de 2016, a Brigada de Narcóticos informou que a maconha foi a droga mais apreendida, alcançando 4,305 toneladas até 18 de dezembro, quando em 2015 havia sido de 2,52 toneladas.

Layera também afirmou que graças ao contrabando de drogas verificado nos últimos tempos, houve uma elevação “dos níveis de crimes e homicídios”.



“O aumento da taxa criminal, que medimos de 2005 em diante, foi crescendo com base nos fenômenos de oferta e consumo de drogas”, assinalou.

A polícia uruguaia constatou, nos últimos anos, o incremento do número de homicídios, a maioria de homens jovens. Em inúmeras ocorrências, tratava-se de acerto de contas entre traficantes.

Layera também disse que autoridades foram ameaçadas após a adoção de novos métodos e providências no combate ao crime organizado.

“Várias autoridades do Ministério do Interior foram ameaçadas além de juízes, procuradores e algumas personalidades dos Direitos Humanos”.

Artigos recomendados: 



Nenhum comentário:

Postar um comentário