17 de mar de 2017

A Rússia pede explicações para os ataques aéreos israelenses na Síria




JP, 17 de março de 2017.



O embaixador de Israel na Rússia foi convocado pelo ministro russo dos Negócios Estrangeiros nessa sexta-feira para dar uma explicação dos ataques aéreos de Israel na noite de quinta-feira na Síria, informou a mídia israelense. 

Israel usou seu sistema de defesa de mísseis Arrow pela primeira vez na noite de quinta-feira depois que jatos israelenses foram alvejados com mísseis antiaéreos sírios durante uma operação sobre a Síria. 

Em uma rara confirmação de Israel realizar ataques aéreos na Síria, a IDF disse na manhã de sexta-feira que “vários mísseis antiaéreos foram lançados na Síria durante a operação. Um dos mísseis foi interceptado pelos sistemas de defesa aérea da IDF." 



De acordo com a mídia árabe, os jatos tinham alvejado uma entrega de armamento avançado ao Hezbollah, que o exército sírio alegou ter sido atingido por um jato e derrubado outro com os seus mísseis. Provavelmente com os SA-5s da era soviética, uma reivindicação negada pela Força Aérea de Israel. 

Como resultado dessas atividades, uma sirene de alerta  de foguetes foi ouvida no Conselho Regional Aravot HaYarden no Vale do Jordão, em Israel. 

Uma fonte das FDI disse ao jornal Jersualem Post que Israel não tem planos de aumentar ou intensificar as tensões com o exército sírio; entrentanto, Israel continuará operando de acordo com suas linhas vermelhas, trabalhando para parar a transferência de armas, principalmente mísseis de longo alcance precisos que estão sendo transferidos do Irã, através da Síria, ao Hezbollah. 

Esta questão foi um ponto focal em conversações na semana passada entre o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e Putin em Moscou. 

Netanyahu procurou intensificar o entendimento de Putin sobre os interesses de Israel na Síria, bem como suas linhas vermelhas. Netanyahu sublinhou que Israel não permitirá que nenhuma tentativa do Irã ou do Hezboolah de enviar suas forças para a fronteira de Israel com a Síria e nas montanhas de Golã.

Artigos recomendados: 



Nenhum comentário:

Postar um comentário