11 de jan de 2017

Um bombardeio chinês voou em torno das ilhas Spratlys em uma exibição de força: disse um oficial dos Estados Unidos




Reuters, 10-11 de janeiro de 2017. 



Um bombardeio estratégico H-6 chinês voou ao redor das ilhas Spratly no fim de semana em uma nova demonstração de força no disputado Mar da China Meridional, disse uma autoridade norte-americana nesta terça-feira. 

Foi o segundo voo de um bombardeio chinês no Mar da China Meridional este ano. A primeira foi em 01 de janeiro, disse o funcionário sob a condição de anonimato. 

O voo poderia ser visto como uma demonstração de “força estratégica” pelos chineses, disse o oficial. 


Isso ocorre depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter assinalado uma abordagem mais dura à China quando assumir o cargo em 20 de janeiro, com tuites criticando Pequim por suas práticas comerciais e acusando-a de não ajudar a controlar a Coreia do Norte. 

O comandante Gary Ross, porta-voz do Pentágono, disse que não fez comentários específicos sobre as recentes atividades de bombardeios chineses, mas acrescentou: “Continuamos observando uma série de atividades militares chinesas na região”. 

Em dezembro, a China sobrevoo com o bombardeio H-6 ao longo da “linha de nove traços” que usa para mapear suas áreas reivindicadas por quase todo o Mar da China Meridional, uma rota comercial global estratégica. Esse voo também foi feito ao redor de Taiwan, que a China tem como sendo sua província renegada. 

Em agosto, a China realizou “patrulhas de combate” perto das ilhas contestadas no Mar da China Meridional. 

Trump enfureceu Pequim ao romper com décadas de política dos Estados Unidos falando com a presidente taiwanesa por telefone. 

Um jornal chinês alertou Donald Trump no domingo que a China “se vingaria” se ele renegasse a política de uma só China, apenas algumas horas depois que a presidente de Taiwan fez uma parada controversa em Houston. 

Na semana passada, a China disse que um grupo de navios de guerra chineses liderados por seu único porta-aviões estava testando armas e equipamentos em exercícios nesta semana no Mar da China Meridional, onde o território é reivindicado por vários estados regionais. 

Navios de guerra dos Estados Unidos conduziram o que eles chamam de “liberdade de navegação” e patrulhas através do Mar da China Meridional no ano passado em meio à crescente preocupação com a construção chinesa de tiras de ar e docas em recifes e ilhas artificiais no território disputado. 

Artigos recomendados: 



Nenhum comentário:

Postar um comentário